Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Registro Geral de Animais

PL que tornar microchip de identificação obrigatório para cães e gatos do DF

Redação

Publicado

Foto/Imagem: iStock
Agência CLDF

Projeto de autoria do deputado Daniel Donizet (PL), em tramitação na Câmara Legislativa, torna obrigatória a identificação de todos os cães e gatos do Distrito Federal por meio da implantação de microchip. Além de conter todas as informações do tutor e do animal, caso ele se perca ou seja roubado, a identificação por microchip vai permitir a implantação de Políticas Públicas voltadas para a guarda responsável, o controle populacional e o atendimento veterinário.

Segundo o deputado, o microchip pode ser implantado na pele do animal de forma indolor e sem riscos para sua saúde. “A tecnologia trouxe um método de identificação de cães e gatos bem mais eficaz e seguro que as tradicionais coleiras. O dispositivo pode conter informações mais completas do animal, como data da última vacinação, por exemplo. Esse método já é obrigatório em países da Europa e ajuda a esclarecer casos de roubo de animais, maus-tratos e abandono”, esclareceu Daniel.

O PL 1399/2020 cria ainda o Registro Geral de Animais (RGA), que seria semelhante ao nosso RG. O documento vai conter número, data de registro, informações gerais como nome, raça, porte, cor, etc, além das informações e contatos do tutor. Todas essas informações seriam registradas no microchip, que poderão ser acessadas por profissionais que tenham um leitor específico.

O PL do deputado Daniel Donizet prevê a implantação de Políticas Públicas que garantam o fomento ou gratuidade na identificação eletrônica de animais comunitários, de famílias de baixa renda, que estejam sob a tutela de protetores, abrigos e ONGs, entre outros.

A proposta tramita na Comissão de Meio Ambiente, com relatoria da deputada Júlia Lucy (Novo).​​​​​​​

Publicidade
Comentários

Covishield e CoronaVac

DF já imunizou mais de 100 mil pessoas com a 2ª dose de vacinas contra a Covid

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Pouco mais de dois meses após iniciar a campanha de vacinação contra a Covid-19, o Distrito Federal atingiu a marca de 100.248 pessoas imunizadas com a segunda dose (D2) da vacina.

Estudos indicam que somente após a aplicação da segunda dose, o ciclo de imunização é finalizado e a eficácia global da vacina está assegurada. No caso da vacina Covishield (Oxford/Astrazeneca), a eficácia global é de 76%, já para a CoronaVac (Instituto Butantan), a eficácia global é de 50,38%, podendo prevenir em até 78% os casos de internação hospitalar.

Para a infectologista da rede de saúde, Joana d’Arc Gonçalves, o marco na vacinação do DF é um bom motivo para se comemorar, mas a médica reforça que ainda há um longo caminho a ser percorrido. “Essa é uma marca interessante. Ainda não é o suficiente, porque a gente precisa de uma imunidade de rebanho, mas demonstra uma disposição da população em se vacinar e um esforço da própria rede em manter e ampliar a vacinação”, afirma a infectologista.

Para os vacinados com a CoronaVac, o prazo para receber a segunda dose varia entre 14 e 28 dias. Já os que receberam a vacina Covishield devem retornar à unidade de saúde em até três meses após a administração da primeira dose. Atualmente, estão sendo vacinados os idosos acima de 66 anos, os profissionais de saúde de consultórios, clínicas, laboratórios, farmácias, funerárias, do Instituto Médico Legal (IML) e membros das forças de segurança.

“Mesmo as pessoas vacinadas têm de manter alguns cuidados para não servirem como vetor da doença. Porque, mesmo imunizado, em algumas circunstâncias, se pode ir a algum ambiente e acabar sendo infectado pelo vírus. E aí o seu organismo pode até resolver e você não desenvolver a doença, mas você pode transmitir mesmo estando vacinado. Então até as pessoas vacinadas devem manter o mesmo cuidado”, completa Joana d’Arc.

Continuar lendo

SysCoin Space

Brasília ganhará maior polo de empreendedorismo digital do Brasil

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação

É fato que a pandemia de Covid-19 mudou a vida das pessoas, das empresas, a forma de trabalho e a economia. Dentro desse cenário, inovação é a palavra chave para manter muitos negócios vivos e com alto grau de rentabilidade. Pesquisas mundiais têm alertado a população e a classe médica sobre o impacto futuro da Covid-19 nas empresas e negócios.

O mundo empresarial, em especial, se viu diante de um grande desafio para conseguir manter seus negócios em plena atividade. O presencial migrou para o digital e muitas empresas passaram a enxergar nessa possibilidade o fio de esperança para continuarem existindo. O distanciamento social e as medidas de isolamento e proteção aceleraram bastante o processo de transformação digital das empresas. Especialistas apontam que a pandemia do novo coronavírus nos trouxe 10 anos à frente.

A SysCoin Commerce, a maior agência de e-commerce do Centro-Oeste, ciente dessa nova realidade se prepara para trazer para a Capital Federal, ainda no primeiro semestre de 2021, o primeiro e maior polo de empreendedorismo digital do Brasil, a SysCoin Space. Atuante no mercado desde 2015, a empresa viu a sua demanda crescer exponencialmente em 2020. Com essa tendência crescente e latente no mercado, a marca decidiu inovar e trazer um novo sistema para fomentar o mercado empresarial.

É o que explica o CEO da SysCoin, Hugo Cândido, “nosso novo investimento é a criação de um polo de e-commerce em Brasília. Trata-se de um espaço feito e pensado para desenvolver negócios digitais, desde a concepção até a operação. Novos empresários ou até mesmo os antigos que estão se digitalizando estão aproveitando essa oportunidade para avançar neste novo mundo”, explica.

Segundo Cândido, as empresas terão cada vez mais parte de sua operação no ambiente digital, seja um canal de divulgação, seja um canal de vendas, ou até mesmo ferramentas de gestão interna da empresa conectadas na internet. Ele explica que nessa nova fase, a SysCoin entra oferecendo avaliação e know-how. “O primeiro passo se dá por uma consulta inicial com um especialista a fim de medir seu grau de maturidade no mundo digital e a partir disso criar uma trilha de conhecimento que ele deverá cumprir”, enaltece.

Sou uma empresa, o que devo fazer para ter acesso?

Para se submeter ao programa de acompanhamento da SysCoin, é necessário que solicitar o atendimento de um dos especialistas. Não há custo inicial e o projeto será entregue após a consulta. Uma vez que o empresário enxerga a oportunidade de ter esse suporte, o projeto evolui para uma proposta de parceria.

Ampliação do mercado consumidor, novos canais de vendas, novos canais de divulgação, maior eficiência operacional, redução de custos, aumento da lucratividade, melhora dos indicadores de gestão são alguns benefícios apresentados com esse modelo de consultoria inédita

Fora essa nova modalidade, a SysCoin Space, oferece diversos serviços complementares com as mais variadas operações de e-commerce, fazendo com que o empresário ganhe tempo e poupe custos. Entre os serviços estão a criação da loja virtual, consultoria, fotografia de produtos, marketing digital para e-commerce, design especializado, certificado digital, treinamento constante e ponto de retirada, ferramentas que corroboram para o crescimento da empresa no ambiente digital.

O que tem de inovador?

Tudo em um só lugar. A SysCoin Space visa complementar todo esse ecossistema digital. É algo novo, nunca antes visto e muito promissor. Enquanto as demais empresas tocam este assunto como um tópico a mais de seu acervo, a SysCoin se dedica a isso de forma integral.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2015-2021 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços de notícias de agências nacionais e internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #GenuinamenteBrasiliense