Curta nossa página

De 19 a 22 de setembro

Mostra de Cinema Argentino, gratuita, chega ao Cine Brasília

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Mi obra maestra/Divulgação


O Cine Brasília empresta sua tela para Mostra de Cinema Argentino de 19 a 22 de setembro. São cinco filmes de alta qualidade que revisitam a questão de quem faz o melhor na sétima arte no subcontinente latino-americano. A Mostra tem entrada franca.

Na programação comercial, com cobrança de ingressos, estreia o longa brasileiro “Os Jovens Baumann”, que brinca com linguagem híbrida entre ficção e documentário (“mockmentary” ou falso documentário, do neologismo em inglês).

A diretora Bruna Carvalho Almeida reconta o suposto desaparecimento de oito primos que se reuniam para passar férias em casa de fazenda, outrora sede de uma fazenda de café no Sul de Minas. A narrativa recupera a imagem estranha do VHS para tempos de 4K e é costurada por voz em off, num clima de mistério que não se resolve.

“Bacurau” continua lotando o Cine Brasília com audiências médias acima de 400 pessoas. Confira detalhes da Mostra e das sessões pagas a seguir.


Fichas técnicas, trailers

Mostra de Cinema Argentino (entrada franca)

“Minha obra-prima” (Mi obra maestra)
De Gastón Duprat e Mariano Cohn (2018, comédia, Argentina/Espanha, 61 minutos, 13 anos)

Sinopse: Arturo (Guillermo Francella) é um marchand encantador, sofisticado, embora um pouco inescrupuloso. Renzo (Luis Brandoni) é um artista plástico talentoso e um pouco selvagem, que está em decadência. Ainda que ambos estejam unidos por uma profunda e antiga amizade, não coincidem em quase nada: seus universos e ideias são opostos, o que gera constantes brigas e desentendimentos. Arturo vai tentar por todos os meios reverter a sorte do seu amigo e colocar sua obra no mercado. Porém, a obstinação e teimosia de Renzo farão fracassar cada tentativa. Quando tudo parece perdido, Arturo colocará em ação um plano tão extremo quanto genial.

Trailer

“Eu menina” (Yo Niña)
De Natural Arpajou (2018, drama, Argentina, 85 minutos, 13 anos)

Sinopse: Uma menina num universo volúvel e instável. Entre cartas que não são lidas, desenraizamentos, segredos e contradições. A menina estranha, a menina adulta, a menina pequenina tenta decifrar o que não entende e procura o amor que lhe falta enviando sinais marcianos.

Trailer

“Uma viagem inesperada”
De Juan José Jusid (2018, drama, Argentina/Brasil, 87 minutos, 16 anos)

Sinopse: A vida do engenheiro argentino Pablo (Pablo Rago) floresce no Rio de Janeiro ao lado da bela e jovem Lucy (Débora Nascimento). Em uma semana ele vai realizar o projeto mais importante de sua carreira: a inauguração de uma plataforma de exploração de petróleo. O clima bucólico é interrompido por uma ligação de sua ex-mulher, Ana (Cecilia Dopazo), que chorando lhe informa que Andrés (Tomás Wicz), filho adolescente do casal, está fora de controle e vai ser expulso da escola. Pablo decide parar tudo e voltar a Buenos Aires para um reencontro com o filho que não será fácil.

Trailer

“Tudo sobre o churrasco” (Todo sobre el asado)
De Mariano Cohn e Gastón Duprat (2016, documentário/ficção, Argentina. 90 minutos, 12 anos)

Sinopse: Documentário com um olhar afiado e incorreto sobre o churrasco, comida e ritual associados à identidade nacional argentina. Pela primeira vez, um filme indaga sobre os distintos aspectos do churrasco, e o faz mediante testemunhos de açougueiros, chefs de cozinha, psicólogos e outras pessoas relacionadas com o assunto.

Trailer

“As Ineses” (Las Ineses)
De Pablo José Meza (2016, comédia, Argentina/Brasil, 75 minutos, 13 anos)

Sinopse: Carmen e Rosa vão juntas dar à luz no hospital. As mulheres são vizinhas e seus maridos, Pedro e Ramón, têm o mesmo sobrenome García. Quando os García conhecem suas filhas não podem ocultar sua surpresa. Pedro acredita que a bebê morena que recebem da enfermeira não se parece com eles; e, aos gritos, Ramón jura que a bebê loira que acabam de entregar à sua esposa não é deles. Assim começa a incrível história dos vizinhos García e suas filhas: duas meninas trocadas no dia do seu nascimento… ou depois!

Trailer

Programação comercial (com cobrança de ingresso)

“Os Jovens Baumann”
De Bruna Carvalho Almeida (2018, suspense, Brasil, 70 minutos, 14 anos)

Sinopse: A história de jovens que misteriosamente desapareceram após as férias de verão da família. Através de cenas de fitas VHS com registros caseiros de seus últimos momentos, o filme reorganiza os fragmentos de um mistério até hoje sem solução.

Trailer

“Bacurau”
De Juliano Dornelles, Kleber Mendonça (2019, drama/ficção, Brasil/França, 132 minutos, 16 anos)

Sinopse: Num futuro recente, Bacurau, um povoado do sertão de Pernambuco, some misteriosamente do mapa. Quando uma série de assassinatos inexplicáveis começam a acontecer, os moradores da cidade tentam reagir. Mas como se defender de um inimigo desconhecido e implacável?

Trailer


Programação

Quinta-feira, 19/09
16h – Bacurau
18h30 – Os Jovens Baumann
20h – Minha Obra-Prima (Mostra do Cinema Argentino)

Sexta-feira, 20/09
16h – Bacurau
18h30 – Os Jovens Baumann
20h – Eu menina (Mostra do Cinema Argentino)

Sábado, 21/09
16h – Bacurau
18h30 – Os Jovens Baumann
20h – Uma viagem inesperada (Mostra do Cinema Argentino)

Domingo, 22/09
16h – Bacurau
18h30 – Tudo sobre o churrasco (Mostra do Cinema Argentino)
20h – As Ineses (Mostra do Cinema Argentino”

Na segunda-feira (23) e terça-feira (24), não há sessões de cinema.

Quarta-feira, 25/09
16h – Bacurau
18h30 – Os Jovens Baumann
20h – Bacurau


Serviço

  • Ingressos a R$ 12 (inteira) – a bilheteria não aceita cartões, apenas dinheiro
  • Cine Brasília – Asa Sul, entrequadra 106/107
  • Telefone: (61) 3244-1660

SIG Quadra 3

Bloco do Massay anima carnaval do CW&Co neste sábado (15)

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação

Preparem as fantasias, serpentinas e confetes que o CW&Co (SIG Quadra 3) se prepara para estrear na avenida. Neste sábado (15), a partir das 12h, a casa recebe o Bloco do Massay para fazer uma boa e animada festança. Os ingressos estão disponíveis no eventbrite a partir de R$ 20 (lote promocional).

Estreando no carnaval de Brasília, o músico Allan Massay preparou um repertório especial com clássicos da axé-music e também da MPB com mescla de guitarras com batuque da percussão e muito swing. Além da seleção de músicas que promete não deixar ninguém parado, a casa estará completamente redecorada para receber os clientes, tornando o ambiente ainda mais descolado e divertido.

Na ocasião, o local oferece dose dupla de vinho, espumante e cerveja (Heineken). A promoção é válida das 12h às 15h. Outra boa opção é se esbaldar com a nova carta de gin do CW&Co. Entre as sugestões destaque para o Espresso Tônica (R$ 35). A novidade une o clássico gin em uma versão diferente e saborosa. Outra boa opção é o gin preparado com canela e maçã verde (R$ 30) ou ainda versão refrescante à base de flor de sabugueiro e baunilha também. O clássico também tem vez com a gin tônica (R$ 30).

Continuar lendo

15 de fevereiro

Essa Boquinha Eu Já Beijei terá Ellen Oléria e Lan Lan no palco

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação

Pelo sétimo ano, o bloco feminista e  LGBTI Essa Boquinha Eu Já Beijei sai às ruas para promover uma festa democrática e de fomento à diversidade, resgatando a linguagem política associada à data – tudo com muita diversão, glitter e música boa, claro. Além de nomes importantes do cenário cultural brasiliense, o bloco convida para o baile oficial de 2020, a cantora Ellen Oléria e a compositora e percussionista Lan Lan. Ambas subirão ao palco no dia 15 de fevereiro, a partir das 11h, no gramado da Funarte, junto às integrantes da Boquinha, para animar o sábado de pré-carnaval.

Nascida e criada em Brasília, Ellen Oléria se formou e Artes Cênicas na UnB, tem mais de 15 anos de trajetória musical, cinco discos lançados e vários prêmios conquistados em festivais brasileiros. A artista conquistou projeção nacional não só pelo voz potente e repertório brasileiríssimo, mas pela representatividade e ativismo político em prol da população negra.

Já Lan Lan é percussionista, cantora e compositora, com mais de 30 anos de carreira e uma indicação recente ao Grammy, em 2018. Aos 50 anos, é referência em representatividade LGBTI na mídia.

As duas vão se unir à banda oficial da Boquinha, composta por Letícia Fialho (voz), Sam Defor (voz), Ju Rodrigues (Voz), Ive Lorena (voz), Larissa Umaytá (percussão), Anne Caroline Vasconcelos (percussão), Pricila Pit (percussão), Fernanda Pinheiro (percussão), Mariana Sardinha (cavaquinho), Irene Egler (violão), Bruna Tassy (contrabaixo e voz) e Thanise Silva (flauta) e Tamara Maravilha (DJ). O show contará, ainda, com a participação de Isadora Pina (saxofone e voz) e Lili Santos (trombone).

Juntas, elas vão comandar um repertório repleto de sonoridades, do samba ao afoxé, da farra à conscientização política e social. Na edição de 2020, o coletivo cria o projeto Sol à Pino, com a intenção de fomentar a curtição durante o dia e apoiar outros projetos da cidade, como fanfarras e DJs.

Feito por mulheres

O protagonismo feminino também prevalece bastidores. Assim, a produção fica a cargo das agitadoras culturais e idealizadoras do bloco, Pati Egito e Mari Mira – que também são DJ e VJ, respectivamente, e animam os intervalos da Boquinha com sets explosivos, resultado de anos de pesquisa e trabalho com música brasileira e cultura queer; Elisa Carneiro na apresentação; e Tava Gomes, que comanda a equipe de comunicação do bloco.

Coletivo de mulheres lésbicas

Com o mote “Machismo, racismo e LGBTIfobia nesse território não se criam”, o Essa Boquinha Eu Já Beijei é liderado por mulheres lésbicas que, para além do carnaval, são figuras ativas na defesa dos espaços reservados à cultura e à diversidade na capital federal.

“A marca do Nosso Bloco tem sido o protagonismo feminino. Então, nada mais natural que transformar esse espaço em um lugar de fala para debatermos assédio, violência contra o público LGBTI e racismo, por exemplo. São reivindicações que estão na letra das músicas, nas fantasias do público e principalmente no diálogo que estabelecemos junto ao poder público para realizar um carnaval mais consciente”, explica Pati Egito.

História

Em sete carnavais, o Essa Boquinha Eu Já Beijei viu seu público crescer de cinco mil pessoas, na primeira edição, para 40 mil pessoas em 2019. Porém, a posição de destaque no cenário alternativo do DF não foi conquistada, apenas, com números.

Com um discurso que ressalta a importância do autocuidado e da ocupação consciente dos espaços públicos, o bloco se orgulha em ser referência em segurança para os brasilienses e de já ter sido eleito por dois anos, um dos mais limpos de Brasília, graças a uma ação conjunta de sua produção com o Serviço de Limpeza Urbana.

Nova marca

Neste ano, para marcar seu amadurecimento no carnaval do DF, o bloco sairá às ruas de cara nova. A icônica boquinha, símbolo da agremiação entre 2014 e 2019, dará lugar a uma nova identidade visual, em que os dentes aparecem em alusão à resistência e à força feminista  e LGBTI.

Outra novidade é a integração com vários outros blocos brasilienses por meio de uma iniciativa do deputado distrital Fábio Félix, batizada de Carnaval de Todas as Cores. Para integrá-lo, blocos alternativos e de temáticas ligadas à diversidade assinaram uma carta-compromisso, em que assumem uma série de obrigações com a promoção de um carnaval seguro, pacífico e plural.

Apoio

O pré-carnaval do Essa Boquinha Eu Já Beijei, no dia 15 de fevereiro, também tem apoio do Fundo de Apoio à Cultura, da Secretaria de Cultura do Distrito Federal.

Continuar lendo

Costelada

CW&Co (SIG) tem churrasco com mestre defumador neste sábado

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação/Lucas'BBQ

Com a proposta de unir experiências gastronômicas e valorizar profissionais do quadradinho, o CW&Co (SIG Quadra 3) promove a Costelada com Lucas’BBQ neste sábado (8), a partir das 11h. Especialista em churrasco texano, o brasiliense já é conhecido na capital federal pelo preparo de suculentas carnes. Os ingressos podem ser adquiridos pelo Eventbrite e custam entre R$ 12 e R$ 45.

Com uso de técnicas norte americanas, Lucas Parente possui traços de influência de Aaron Franklin, texano mundialmente conhecido pelo cozimento lento de suas carnes. Sua técnica pode ser conferida de perto na Asa norte, onde Lucas’BBQ tem trailer, o brisket preparado pelo brasileiro pode ser facilmente comparado ao de Franklin.

Além do brisket, a dica é experimentar sua costela bovina, que dá nome ao evento. A carne possui sabor intenso em equilíbrio ao do sal, é bem defumada e tão suculenta que se solta dos ossos. O cupim preparado pelo churrasqueiro também ganha destaque, além de saboroso, derrete na boca e faz o gosto dos brasilienses.

A Costelada com Lucas’BBQ acontece no descolado jardim do CW&Co. A casa oferece uma extensa carta de vinhos, opções de chopes, cervejas especiais e também uma surpreendente carta de gin. Além de variadas opções de queijos artesanais e música ao vivo para o público presente.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão