Curta nossa página

DiVinho

Curiosidades e costumes: por que o vinho é a bebida preferida no inverno?

Publicado

vinho inverno
Foto/Imagem: Pavel Danilyuk


Apesar de beber 25 vezes menos vinho do que os beberrões portugueses, o brasileiro não dispensa uma garrafa nos meses mais frios do ano. No inverno, as vendas da bebida aumentam nos supermercados.

Uma pesquisa da Horus, empresa que analisa tendências a partir de notas fiscais emitidas no varejo, identificou que, nos meses de junho e julho de 2021, os consumidores deram preferência ao vinho.

Na alta temporada de vendas, entre aqueles que levaram para casa algum tipo de bebida alcoólica, 18% deles incluiu ao menos uma garrafa de vinho no carrinho.

Para fins de comparação, no pico do verão, entre dezembro e janeiro, a proporção de consumidores que colocaram o vinho na lista de compras variou de 15% a 9%.

O gosto por abrir uma garrafa de vinho no inverno pode ser explicado pelo fato que a bebida dilata os vasos sanguíneos da superfície corporal, proporcionando uma sensação de calor que ajuda a aquecer o corpo.

Os vinhos do inverno

Se no verão os vinhos brancos e rosés são os favoritos, no inverno, é a vez dos tintos. As bebidas encorpadas, amadeiradas, aromáticas e com alto teor alcoólico podem ser consumidas em temperatura ambiente e harmonizadas com pratos típicos da estação.

Nesta época, as bebidas derivadas de uvas como Touriga Nacional, Tempranillo, Pinotage, Malbec e Cabernet Sauvignon são as mais indicadas. Conheça as características de cada uma delas:

Touriga Nacional

Proveniente de Portugal, a uva Touriga Nacional é usada em vinhos de corte. De forma geral, a mistura gera bebidas elegantes, com grande corpo e taninos refinados, aromas de frutas negras, notas florais e nuances de especiarias.

A bebida pode ser harmonizada com pratos à base de carnes vermelhas.

Tempranillo

De origem espanhola, essa casta tinta produz vinhos estruturados, com taninos aveludados. Seus aromas são de frutas vermelhas e negras, notas de especiarias e toques de chocolate, couro e tabaco.

A harmonização é versátil e cai bem principalmente com carnes vermelhas e carnes de caça, como cordeiro e javali.

Pinotage

As castas Pinot Noir e Hermitage (Cinsault) dão origem a esta uva, a mais importante da África do Sul. A partir dela, produz-se vinhos concentrados, de taninos macios, com aromas de frutas vermelhas e negras, notas de especiarias e nuances de alcaçuz.

À mesa, a bebida pode ser consumida acompanhada de carnes vermelhas, massas e risotos.

Malbec

Embora seja uma uva originária da França, a Malbec é a casta mais cultivada da Argentina. O vinho produzido no país vizinho tem bom volume, contando comtaninos refinados e acidez equilibrada. Possui aromas de frutas vermelhas e frutas negras, notas de especiarias e toques de couro, chocolate e tabaco.

A harmonização do Malbec pode ser feita com carnes vermelhas e carnes de caça.

Cabernet Sauvignon

A casta Cabernet Sauvignon também se originou na França, mas se adaptou ao clima chileno. O resultado é uma bebida com acidez bem integrada, bom corpo e taninos refinados, com aromas de frutas vermelhas e frutas negras, notas de especiarias e um toque de pimentão verde característico dessa variedade.

Extremamente versátil, o vinho Cabernet Sauvignon, vai bem com carnes vermelhas, carnes de caça, massas, pizzas, risotos e é ideal para ser consumido com queijos.

Como beber vinho no inverno

Se no verão os vinhos estão associados a momentos de descontração ao ar livre, nos dias mais frios eles são ideais para eventos indoor ou para relaxar a sós, pois é uma forma agradável de encerrar o dia.

São comuns na estação refeições mais elaboradas, feitas com ingredientes mais gordurosos, tanto doces quanto salgados, ideais para reunir a família e os amigos ou cozinhar a dois.

Os favoritos são os fondues de queijo e chocolate, mas o período também é ideal para o consumo de carnes, como em um churrasco, e massas. Se a ideia for simplificar, sopas, caldos e queijos são opções mais adequadas.

Os vinhos também podem acompanhar atividades mais introspectivas. Ler um livro, assistir a uma série e até mesmo tomar um banho de banheira enquanto degusta a bebida são experiências que vão esquentar o inverno.

A bebida é, ainda, a estrela de viagens da temporada. Gramado (RS), São Roque (SP), Mendoza (Argentina), Carmelo (Uruguai) e Santiago (Chile) são alguns destinos que combinam experiências turísticas com tours e boas compras etílicas.

Atualizado em 25/03/2022 – 06:30.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana