Curta nossa página

Síncope

Corpo de Bombeiros ensina, em vídeo, a socorrer vítimas de desmaio

Publicado

ajuda desmaio
Foto/Imagem: Lúcio Bernardo Jr./Agência Brasília


Palidez, sudorese, tontura, visão turva. É assim que um desmaio anuncia sua chegada. Essa perda momentânea de consciência exige reação rápida de quem está perto da vítima – ainda que não indique necessariamente uma doença, a possível queda pode machucar bastante. Para ajudar nos primeiros socorros, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) produziu para suas redes sociais um vídeo ensinando como agir ao presenciar uma síncope.

O desmaio nada mais é do que uma defesa do organismo que, de alguma forma, ficou sobrecarregado. As causas podem ser variadas, indo de um simples jejum prolongado até problemas cardíacos mais graves. Mas a reação do corpo diante da situação extrema é a mesma: o fluxo sanguíneo no cérebro diminui, a oferta de oxigênio cai e a pessoa perde os sentidos.

Aos primeiros sinais que antecedem uma síncope, deve-se colocar a vítima sentada e bem amparada. De acordo com o cabo Estevão Aguiar, socorrista do 22º Grupamento de Bombeiros Militar, em Sobradinho, essa é a hora certa para iniciar um movimento de contrapressão. “A pessoa precisa abrir as pernas e colocar a cabeça perto dos joelhos”, ensina o socorrista. “Enquanto ela força a cabeça para cima, quem está prestando socorro pressiona para baixo”.

Outros movimentos, como pressionar uma mão contra a outra em frente ao corpo, também ajudam a aumentar a circulação de sangue no cérebro. Mas essas manobras são possíveis apenas quando a pessoa dá indícios de que irá perder a consciência. Se a pressão cair e o corpo não conseguir aumentar a frequência cardíaca para compensar, a síncope vem sem aviso prévio.

Caso encontre a vítima já desmaiada, checar a respiração é a primeira providência a ser tomada. “Se estiver respirando normalmente, procure elevar suas pernas”, sugere Aguiar. “Isso aumenta o fluxo sanguíneo na cabeça e ajuda a recobrar os sentidos”. Vale também afrouxar cintos, golas ou qualquer peça de roupa que provoque constrição.

O que não fazer

Enquanto algumas atitudes ajudam a preservar a saúde da vítima, outras podem agravar a situação. Tentar acordar a pessoa desmaiada jogando água no rosto, prática popularizada em filmes e novelas, não é recomendado. Segundo a cardiologista e instrutora do Samu Lorena Amaral, o risco de afogamento é real. “A água pode ser aspirada e ir parar no pulmão, mesmo que em pouca quantidade”, alerta.

Introduzir os dedos ou qualquer outro objeto na boca da vítima de desmaio também é perigoso. “Se não estiver totalmente inconsciente, ela pode morder com força suficiente para machucar”, explica. “O melhor para evitar engasgos é colocar a pessoa de lado, em posição de recuperação”. Lorena lembra que, qualquer que seja a situação, é importante ligar para o Samu (192) ou para o Corpo de Bombeiros (193) em busca de atendimento especializado.

Atualizado em 10/04/2022 – 20:30.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana