Curta nossa página

Desenvolvimento econômico

Ceasa do Distrito Federal investiu 22 milhões de reais em melhorias

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Renato Alves/Agência Brasília
Ian Ferraz

A Centrais de Abastecimento do Distrito Federal (Ceasa-DF) reabriu nesta quinta-feira (5) o Mercado do Peixe e inaugurou o primeiro dos três novos pavilhões de comercialização. Os investimentos e mudanças no local chegam a R$ 22 milhões e a série de anúncios e novidades foi feita com a presença do governador Ibaneis Rocha e do vice-governador Paco Britto. A empresa também inaugurou um posto de Brigada de incêndio e primeiros socorros, bem como o edital de Parceria Público-Privada para a construção do Mercado Central de Brasília.

Ibaneis Rocha percorreu o local ao lado de parte do primeiro escalão do governo. Ele visitou as instalações e conversou com os feirantes e comerciantes. “O Distrito Federal tem uma grande produção agrícola e pecuária. Temos que ter espaços para que a população possa ter contato com esses produtores e acesso a uma alimentação de qualidade. Quanto mais investirmos aqui mais estamos investindo na qualidade de vida tanto da população da cidade quanto daqueles que moram na área rural”, disse o governador.

Inauguração do Pavilhão B10

O primeiro dos três novos pavilhões foi entregue nesta quinta-feira. O Pavilhão B10 é composto por seis boxes com aproximadamente 300m², cada. Eles foram projetados visando a sustentabilidade e a tecnologia. Será utilizada iluminação de LED e uma estrutura para o reuso de água, destinada para irrigação e combate ao incêndio, gerando e economia energética e preservando o meio ambiente. Além disso, os boxes possuem estrutura para construção de painel de energia fotovoltaica.

Além de aumentar a capacidade de armazenamento dentro do local, possibilitando incrementar ainda mais o leque de produtos comercializados, a expectativa é que o novo empreendimento gere cerca de 200 empregos diretos. “O caminho que estamos resgatando e trabalhando é o de uma política de abastecimento onde a Ceasa é a protagonista”, afirmou o secretário de Agricultura, Dilson Resende, um dos parceiros nas ações de melhorias da Ceasa-DF.

Reabertura do Mercado do Peixe

Em parceria com a Secretaria de Agricultura, a Ceasa-DF também reativou o Mercado do Peixe de Brasília. O objetivo é incentivar o consumo de pescados na capital. O espaço está localizado ao lado do Mercado Orgânico e oferecerá pescados a um preço acessível, além de dar oportunidade aos piscicultores para oferecerem e apresentarem seus produtos produzidos na região do DF e na Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (Ride).

Produtor da área de piscicultura, Henrique Preto de Carvalho comemorou a reabertura do Mercado do Peixe. “Antes, a gente passava de oito a dez meses para trazer o produto final e acabava transferindo o produto a outras empresas para eles manipularem e, só então, chegar para o consumidor final. Aqui vamos ter a possibilidade de passar nosso produto direto para o consumidor final. Isso é gratificante”, afirmou.

O DF é o terceiro maior consumidor de pescados no país, ou seja, há um alto potencial para um mercado local do produto. Além disso, houve um grande crescimento de produtores entre 2001 e 2018. As obras para reabertura do espaço foram realizadas pela Seção de Manutenção da Ceasa-DF, com isso, a empresa economizou cerca de R$ 120 mil.

Posto de Brigada de incêndio

A criação do posto de Brigada atende a uma demanda antiga dos frequentadores da empresa. Nos dias de maior movimento circulam aproximadamente 10 mil pessoas na Ceasa, entre funcionários, empresários, produtores e consumidores. Dessa forma, é imprescindível que haja um primeiro atendimento à disposição do público.

Serão quatro brigadistas para atender às pessoas que trabalham e circulam na Ceasa-DF. O posto, que fará aferição de pressão arterial, está equipado com materiais de primeiros socorros, oxímetro, cadeira de rodas, colar cervical, desfibrilador externo automático e realizará ainda proteção contra incêndio e pânico.

PPP para Construção do Mercado Central

O Mercado Central de Brasília é um dos projetos propostos pela gestão do atual governo. Na cerimônia desta quinta-feira foi anunciado o edital de Parceria Público-Privada visando a construção deste espaço para a comercialização na capital. A previsão é que sejam investidos cerca de R$ 50 milhões. “O Mercado Central de Abastecimento será exemplo para todo o Brasil”, aposta o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, durante seu discurso no local.

Propostas do BRB para os produtores

O Banco de Brasília (BRB) trouxe propostas para os produtores rurais, permissionários e servidores. O BRB preparou pacotes que possuem os mais variados benefícios para o público colaborador da Ceasa-DF.

Durante a cerimônia, o presidente do banco, Paulo Henrique Costa, lembrou ações da instituição financeira e falou sobre novas linhas de crédito. Ele citou o posto de atendimento na Ceasa, o aumento no crédito a pequenas empresas e também do crédito rural. “Vamos conhecer cada um dos empresários e oferecer pacote diferenciado de serviços e produtos do BRB. O capital de giro, uma linha de investimento a partir de 0,92% ao mês. Nos seguros vamos dar 10% de desconto sobre o melhor preço que encontrarem no mercado e estamos preparando um programa de microcrédito de até 15 mil focado no setor rural”, disse Paulo Henrique Costa.

Entrega do Selo Arte para agroindústrias

O Selo Arte é um selo de qualidade, fornecido pela Secretaria de Agricultura do DF às agroindústrias de produtos artesanais que atendem às boas práticas de fabricação dos alimentos e agropecuárias na confecção dos produtos. A regulamentação permite que os produtos artesanais, que possuem o Selo Arte, possam ser comercializados em todo o território nacional sem a necessidade do selo de inspeção federal. Com esse selo, as agroindústrias vão poder alcançar novos mercados, auxiliando na comercialização e agregando valor ao seu produto.

O selo foi instituído pela Lei federal nº 13.680, de 14 de junho de 2018, e foi regulamentado esse ano pelo Decreto nº 9918, de 18 de julho de 2019. Receberam o Selo Arte das mãos do governador Ibaneis Rocha as seguintes agroindústrias: Vale das Ovelhas; Queijaria Artesanal Compana; e Kero Mais, produtoras de queijos artesanais do Distrito Federal.

Quadras 511 e 512

Órgãos do GDF finalizam obras de revitalização na avenida W3 Sul

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação/Secretaria de Obras

Com a pintura das vagas de estacionamento nas quadras 511 e 512 Sul, o Governo do Distrito Federal cumpre integralmente um dos primeiros compromissos estabelecidos no início desta gestão: a revitalização de quadras na via W3 Sul. As intervenções são resultado de um trabalho conjunto de diversos órgãos, como Secretaria de Obras, Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh).

O projeto de melhoria, elaborado pela Coordenação de Projetos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh), levou em consideração a demanda de um perfil amplo de usuários da quadra, desde pedestres e condutores de veículos.

Em relação aos estacionamentos, o projeto previu a organização das vagas, por meio da colocação de piso intertravado, e a demarcação das vagas, inclusive para motos, idosos, pessoas com deficiência e áreas de carga e descarga.

Buscou-se, também, estimular o fluxo de pedestres pela quadra. Nesse sentido, a largura mínima estabelecida foi de 2 metros de largura para as calçadas voltadas à W3 Sul, e de 1,2 metro para as que dão acesso às vias laterais. A intenção é fortalecer a acessibilidade também na W2 Sul, segundo a responsável pela Coordenação de Projetos (Coproj), Anamaria Aragão. “[As intervenções] garantem a acessibilidade na W2, via que se tornou a fachada de muitas lojas, e retomam a W3 Sul como uma área comercial”, avalia.

Os passeios voltados à W3 Sul foram divididos em três faixas. A faixa de serviço, mais próxima da pista, foi destinada à instalação de postes de iluminação, paraciclos, lixeiras e vasos de plantas. Nessa área, foi mantido o piso em pedras portuguesas.

“A revitalização da W3 Sul é uma das prioridades desta gestão. Queremos retomar a via como importante centro comercial do DF. Ainda neste trimestre, vamos começar as obras nas quadras 509/510 e 513/514 sul. E até 2022 vamos concluir toda a via”, destaca o secretário de Obras, Luciano Carvalho.

Nas faixas livre e de acesso aos edifícios, por sua vez, o piso foi substituído por concreto. Essa medida garante mais resistência à ação do tempo. Um ponto importante foi a retirada de desníveis ao longo da calçada e a colocação de sinalização tátil para proporcionar uma circulação segura. As travessias (acesso às faixas de pedestres), por sua vez, seguiram as normas de acessibilidade universal, que estabelece inclinação máxima de 8,33% para as rampas.

Nas fachadas voltadas às entrequadras, as calçadas foram alargadas para permitir que os pedestres circulem sem precisar passar pelo meio da via. A medida elimina o espaço ocioso e, com isso, coíbe o estacionamento irregular de veículos.

O redesenho da área pública também foi fundamental para renovar o aspecto geral da quadra. A iluminação pública foi substituída por lâmpadas de LED. O paisagismo, por sua vez, adotou a  espécie Physocalymma scaberrimum, popularmente chamada de pau-de-rosas ou cega-machado.

O Governo do Distrito Federal trabalha agora na elaboração dos projetos de requalificação das demais quadras da W3 Sul.

Continuar lendo

Planos de Demissão Voluntária

Governador do DF autoriza PDV para todas as empresas públicas

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Pedro Ventura/Agência Brasília

Os empregados públicos do Governo do Distrito Federal interessados em se desligar com certo incentivo financeiro podem ficar atentos. Nesta terça-feira (28), o governador Ibaneis Rocha assinou decreto autorizando todas as estatais distritais a elaborarem Planos de Demissão Voluntária (PDV) para enxugar e renovar a folha de servidores.

“Vamos tratar com dignidade todos os servidores que deram seu sangue ao longo da vida por essa empresa”, afirmou o chefe do Executivo durante solenidade na Novacap. “É, na verdade, uma oportunidade para que muitos possam investir em num negócio e ajudar a cidade a gerar novos empregos e renda”, completou.

Para Ibaneis, o programa de demissão voluntária ajudará a desafogar a folha de pagamento das empresas. “Ao longo de dois anos, teríamos uma economia de R$ 200 milhões só na Novacap”, prevê.

Critérios

A primeira a lançar os critérios para adesão ao plano deverá ser a Companhia Urbanizadora de Brasília (Novacap), que segundo levantamentos do órgão, possui cerca de 650 trabalhadores elegíveis. “Queremos implantar o PDV tão logo seja publicado o decreto de autorização”, afirmou o presidente da empresa, Cândido Teles.

Entre os critérios para adesão, ele explica, estão a idade mínima de 58 anos. “Entre os elegíveis, há muitos que já estão com tempo para aposentar”, avaliou. Segundo ele, o normativo do PDV deverá sair nas primeiras semanas de fevereiro.

Continuar lendo

Duas mortes em 2020

Motoristas de aplicativos sofrem com assaltos a cada 82 horas

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Shutterstock

Na mira dos criminosos, os motoristas de aplicativos no Distrito Federal cobram mais segurança para continuar trabalhando. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), em média, a cada 82 horas, um desses profissionais é vítima de assalto com restrição de liberdade.

Em comparação aos últimos dois anos, o crime aumentou 181%, passando de 38 casos para 107, entre 2018 e 2019. Somente no início de 2020, dois profissionais foram mortos na capital federal: Maurício Cuquejo Sodré e Aldenys da Silva. Os jovens de 29 anos foram encontrados mortos após aceitarem corridas em Brasília.

Leonardo Sant’Anna/Divulgação

Para Leonardo Sant’Anna, especialista em segurança pública, é necessário que as plataformas de corrida resguardem mais seus colaboradores. “Mesmo sendo autônomos, é preciso que as empresas filtrem melhor os clientes que fazem cadastro no aplicativo. Exigem do motorista uma série de documentos e verificações. Por que não fazem o mesmo procedimento com os passageiros também?”, diz Sant’Anna.

Além de latrocínios (roubo seguido de morte), a categoria está exposta a sequestros relâmpagos. Ao total, já foram registradas 145 ocorrências desse tipo. “Também é preciso que a polícia esteja atenta e fazendo uma segurança maior em áreas já relatadas pelos motoristas como de risco”, conclui Sant’Anna.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - SIG Quadra 01, Lote 385, Platinum Office, Sala 117 - Brasília-DF - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores.