Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Curta nossa página

Exposição de Augusto Corrêa

“Bolhas 3: Uma Viagem Espacial” chega ao Centro Cultural TCU

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Pedro Lehner


A trajetória de Augusto Corrêa transcende o universo da arte e reafirma a importância da inclusão social de pessoas com necessidades especiais. O Brasil possui hoje mais de 25 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência, algo em torno de 15% da população, cujo acesso à cultura, informação e educação de qualidade é ainda predominantemente restrito.

Augusto sempre foi apresentado a todo tipo de atividade para ser estimulado. O jovem pratica equoterapia e natação, é faixa marrom de judô, mergulha em alto mar e aprende música e violão. Nesta gama de modalidades esportivas e culturais, tem na pintura uma forte voz. Nas telas, aciona a linguagem visual que transcende a fala ao incitar abordagens sobre sua relação com a arte através das cores.

Augusto Corrêa apresenta a exposição “Bolhas 3: Uma Viagem Espacial” no Centro Cultural TCU de 26 de setembro a 5 de outubro, com entrada franca. A visitação ocorre de segunda a sexta, das 9 às 19 horas e das 14h às 18h, nos sábados. Visitas orientadas podem ser agendadas via (61) 3527-5221.

Sobre o artista

Na Copa do Mundo do Brasil, Augusto Corrêa foi convidado pela FIFA e se tornou o primeiro jovem com Síndrome de Down a ser porta-bandeira do evento, no jogo Colômbia x Costa do Marfim, realizado no Estádio Mané Garrincha em Brasília.

Desde pequeno, sem que ninguém o tivesse estimulado, começou a pintar pequenas bolinhas e dar a elas coloridos muito interessantes. Aos poucos evoluiu e os desenhos se transformaram em uma linguagem visual. Com um acervo interessante, fez sua primeira exposição “Bolhas” em 2015, no Senado Federal por ocasião das comemorações do dia 21 de março, Dia Internacional da Síndrome de Down. Empolgado, dedicou-se ainda mais à pintura e no ano seguinte, em 2016, voltou a expor no Senado Federal, com o tema “Bolhas 2: Uma Viagem ao Fundo do Mar”.

Augusto Corrêa evolui agora para uma nova etapa com uma pintura viva e multicolorida. Já próximo da comunicação digital, ele convida a todos para uma viagem pelo mundo da cor e dos movimentos na nova exposição.

Centro Cultural TCU

Localizado no Instituto Serzedelo Corrêa, Escola Superior do TCU, o Centro Cultural TCU promove as ações culturais do TCU. Estas ações oferecem a estudantes e ao grande público importantes oportunidades de acesso à história, à arte e a outras manifestações culturais, em alinhamento com a pauta positiva estabelecida pela gestão do TCU.

As atividades culturais realizadas no Centro Cultural TCU são atendidas pelo Programa Educativo do TCU, um projeto que visa assistir a grupos e escolas que utilizam conteúdo desenvolvido especificamente para cada exposição.

Com a realização de visitas mediadas por arte-educadores e em suas demais atividades, como oficinas e workshops, o Programa Educativo do TCU contribui diretamente para a visão crítica e a formação cidadã de estudantes das redes pública e privada de ensino.

A exposição “Bolhas 3: Uma Viagem Espacial” une o público de todas as idades. O Programa Educativo do Centro Cultural TCU proporciona acessibilidade a estudantes de ensino fundamental e médio. As escolas podem agendar visitas orientadas com mediadores.

Aliar economia criativa, bens e serviços culturais, além de promover a igualdade são nobres benefícios à sociedade e aproximam a população das artes visuais sob a peculiar ótica da Síndrome de Down.

Exposição “Bolhas 3: Uma Viagem Espacial”

  • Local: Centro Cultural TCU
  • Data: 26 de setembro a 5 de outubro de 2019
  • Horário: das 9h às 19h (segunda a sexta-feira) e das 14h às 18h (sábados)
  • Informações e visitas orientadas: (61) 3527-5221

Entrada franca

CLDF recebe mostra de mulheres que venceram o câncer de mama

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Figueiredo/CLDF

Neves Pereira, Lourdes Capitulino, Joana D’Arc, Sheyla Machado, Val Costa e Joana Jeker. São mulheres que compartilham histórias de superação: diagnosticadas com câncer de mama, enfrentaram a doença, passaram por mastectomia (retirada da mama), fizeram reconstrução mamária e redescobriram seus corpos e suas vidas. Os retratos delas seis integram a exposição “A Força da Mulher”, inaugurada nesta quinta-feira (10), no hall de acesso ao plenário da Câmara Legislativa.

Atualmente, com 57 anos de idade, Neves Pereira soube que estava com câncer de mama há seis anos. Retratada por Luciana Ferry – fotógrafa que assina a mostra –, ela destaca a importância de se deixar fotografar : “É bonito e ajuda na autoestima de quem passa pelo tratamento”.

A deputada Arlete Sampaio (PT), que participou da abertura da exposição, fez questão de falar da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama em seu pronunciamento na sessão ordinária. “Mais do que fazer novas leis, é nosso dever fiscalizar a oferta de serviços básicos para evitar que as mulheres sejam vitimadas pelo câncer”, defendeu. A distrital lamentou a situação dos mamógrafos na rede pública de saúde, bem como a dificuldade para se agendar uma consulta médica para solicitar o exame. De acordo com ela, 44% das mulheres com câncer são diagnosticadas já em estágio avançado, o que dificulta o tratamento.

Realizada pela ONG “Recomeçar – Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília”, a exposição “A Força da Mulher” pode ser visitada gratuitamente, de segunda a sexta-feira, até o dia 31 de outubro.

A Força da Mulher – Exposição Fotográfica

  • Local: Hall do Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal
  • Visitação: até 31 de outubro
  • Horários: de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h
  • Classificação indicativa: livre para todos os públicos
  • Entrada franca
Continuar lendo

Quinta, 10 de outubro

Orquestra Sinfônica faz concerto em tributo ao Dia das Crianças

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Gabriel Jabur/Agência Brasilia

Em comemoração ao mês das crianças a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro realizará uma apresentação extraordinária pelo projeto “Concertos Didáticos”. O espetáculo será realizado nesta quinta-feira (10) às 9h30, no Cine Brasília e é aberto ao público.

O concerto temático é de iniciativa do programa “Cultura Educa” da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), em parceria com a Secretaria de Educação. Dessa vez, a apresentação dedicada aos pequenos também contará com o apoio do Instituto Reciclando Sons (IRS), que promove inclusão socioeducativa para crianças, jovens e adultos dentro das comunidades da Região Administrativa da Estrutural.

Regido pelo maestro Cláudio Cohen, o repertório do concerto contará com clássicos das trilhas de cinema, percorrendo entre os memoráveis filmes infantis. Músicas do filme infantil “Frozen, Uma Aventura Congelante” serão tocadas, juntamente com a participação especial do coral misto, com os alunos de música do Instituto Reciclando Sons.

De acordo com o maestro Cohen, a parceria com o coral tornará a apresentação ainda mais especial. “Este concerto também tem um caráter social e o envolvimento do instituto Reciclando Sons, da Estrutural, veio atender essa demanda com a participação do seu coro infanto-juvenil, tornando o momento ainda mais especial”, explica.

Concertos Didáticos

Com o objetivo de gerar acessibilidade aos conteúdos artísticos para o público jovem, estudantes da rede pública de ensino, o projeto Concertos Didáticos aproxima os alunos do universo musical, com uma programação que trabalha a interação direta com as crianças. Uma breve aula sobre o som e função de cada instrumento que compõe a orquestra será ministrada antes do concerto, além de esclarecer dúvidas e curiosidades para o público infantil.

Continuar lendo

Entrada gratuita

Brasília sedia Mostra de Cinema Taiwanês a partir de quarta (9)

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Pedro Ventura/Agência Brasília

Começa nesta quarta-feira (9), no Cine Brasília, a Mostra de Cinema Taiwanês 2019. Serão exibidos dez filmes até o dia 13 de outubro.

Entre as obras escolhidas está o documentário A Foley Artist, que conta a história de Mr. Hu Ding-Yi, o especialista taiwanês mais experiente em arte de foley, técnica que consiste em adicionar efeitos sonoros aos filmes, como sons de passos e portas se abrindo e fechando. Apesar de sua expertise, Ding-Yi enfrentou uma crise profissional, já que seu trabalho começou a ser substituído por recursos de sonorização digitais e passou a ser considerado obsoleto. Ao todo, ele dedicou 40 anos ao exercício dessa função, participando de 70 produções cinematográficas.

Além do filme dirigido por Wan-Jo Wang, integra a programação o filme Dust in the Wind (Poeira no vento), de Hou Hsiao-Hsien. O filme compõe a trilogia do diretor e explora o processo de amadurecimento do garoto Ah-yuan, que se alista ao Exército e acaba perdendo seu amor de infância.

No dia 12 de outubro, o público poderá conferir uma exibição seguida de debate. Na data, haverá uma sessão de Crystal Boys (Rapazes Cristais), obra que denuncia a homofobia em Taiwan, na década de 1970. A dimensão da obra ganhou força este ano, quando Taiwan se tornou o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homoafetivo.

A mostra realizada na capital federal é organizada pelo Escritório Econômico e Cultural de Taipei no Brasil. A entrada para o evento é gratuita.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2019 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - SIG Quadra 01, Lote 385, Platinum Office, Sala 117 - Brasília-DF - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores.