Curta nossa página

Vigilância Ambiental encontra criadouros do Aedes aegypti em casas no Lago Sul

Publicado

Foto/Imagem:


Com o período de chuvas, o governo de Brasília tem intensificado o trabalho de combate ao mosquito transmissor da dengue, da febre amarela, da chikungunya e da zika. Equipes da Diretoria de Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde, percorrem a capital para encontrar focos do Aedes aegypti e dar orientações à população. Nesta semana, houve ações em Sobradinho II, na Estrutural, no Plano Piloto e em Ceilândia. Hoje (18) foi a vez do Lago Sul, onde os agentes encontraram criadouros em duas casas da QL 14.

Seis funcionários da pasta visitaram 24 residências no Conjunto 10 da região e verificaram possíveis focos. Em uma das casas, as larvas estavam em uma vasilha utilizada em um galinheiro. Na outra, em uma bromélia e em um vaso de plantas.

Os servidores entregaram uma cartilha com recomendações sobre como se proteger do Aedes aegypti. São ações simples como não deixar água acumulada em pneus, manter garrafas vazias com a boca virada para baixo e sempre observar o excesso de água em vasos de plantas.

Rotina
As visitas da Vigilância Ambiental em busca de focos do vetor ocorrem em dias da semana, entre 8 e 18 horas. Os servidores, que trabalham identificados com crachá e colete, tocam a campainha, pedem autorização para entrar e fiscalizam todos os locais que podem acumular água. Sempre que encontram algum criadouro, os agentes recolhem larvas e levam-nas para análise em laboratório, onde técnicos verificam se elas são mesmo do Aedes aegypti.

Ainda nas visitas, os fiscais da Secretaria de Saúde jogam fora a água parada ou aplicam um larvicida (inseticida específico). Com as amostras e análises, é possível fazer um estudo sobre os principais locais de foco do mosquito e um cálculo sobre a incidência do vetor nos imóveis de Brasília.

Plano de Ação
As ações, como essa da QL 14 do Lago Sul, fazem parte do Plano de Ação para o Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes aegypti, que reúne as diretrizes do Executivo para garantir o controle epidemiológico. Na quarta-feira (16), alunos do Bombeiro Mirim saíram pelas ruas da Estrutural para entregar folhetos e orientar os moradores e, na quinta (17), 90 integrantes do programa participaram do lançamento oficial da ação, com a presença do governador Rodrigo Rollemberg, em Ceilândia. Nas regiões onde ficam as 13 unidades do programa, 1,5 mil crianças e adolescentes também visitaram casas e conversaram com a população.

Atividades estão sendo realizadas desde segunda-feira (14) em Sobradinho II, onde diariamente cem militares dos Bombeiros, cem do Exército Brasileiro e 50 da Marinha auxiliam cerca de 150 agentes da pasta de Saúde nas visitas às casas e na mobilização da comunidade. O objetivo é passar em todas as residências e nos terrenos, retirar lixo e entulho e orientar os moradores. Além disso, também na quarta (16), 30 militares do Corpo de Bombeiros inspecionaram lugares públicos na área central de Brasília.

De acordo com o balanço mais recente da Secretaria de Saúde sobre a dengue, 9.446 casos foram confirmados no Distrito Federal até a segunda semana de dezembro. No mesmo período do ano passado, foram registrados 11.592. Os números representam diminuição de 18,51%.

Atualizado em 28/12/2015 – 10:42.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana