Curta nossa página

Cidades

Unidades Básicas de Saúde (UBS) recebem cada vez mais pacientes

em

Simone Mathias Telles, de 47 anos, tem tido crises de alergia há cinco meses. Acostumada a sempre procurar o pronto-socorro do Hospital Regional de Samambaia ou a unidade de pronto-atendimento (UPA) da região, nas últimas semanas ela tem sido acompanhada na Unidade Básica de Saúde (UBS) 7, mais perto de casa e, segundo ela, com mais rapidez.

A diferença no atendimento impressionou a diarista, que agora faz exames para descobrir qual é a causa do problema. “Antes, me davam remédio, o problema passava, mas depois voltava. Aqui, o médico vai me passar o tratamento adequado e resolver de vez a situação”, diz.

Investigar as causas das doenças e tratar os pacientes integralmente é um dos princípios da Estratégia Saúde da Família, modelo base da atenção primária da rede. “Ainda passamos por mudanças, mas estamos muito mais preparados hoje do que os prontos-socorros em termos de acolhimento e acesso”, explica a coordenadora da Atenção Primária, Alexandra Gouveia.

Na UBS 7, por exemplo, todas as pessoas que procuram atendimento são avaliadas, e, dependendo da gravidade do caso, têm a consulta marcada, são atendidas imediatamente ou até encaminhadas para outro nível de atenção da rede.

No último caso, também há o acompanhamento da unidade básica. “Quando é grave, conseguimos estabilizar o quadro aqui e chamar o Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência] ”, explica a gerente de Serviços à Atenção Primária da unidade, Leonor Costa.

Portaria n° 77, de 2017, que estabelece a nova política de atenção primária no DF, sugere que 50% do atendimento nas unidades básicas de saúde sejam destinadas a consultas marcadas e outros 50% à demanda espontânea, ou seja, pessoas sem horário agendado.

A medida garante que os pacientes que precisem ser consultados no mesmo dia tenham acesso. Foi o caso de Taline Keiler, de 29 anos. A dona de casa levou o filho Nicolas, de 7 meses, à unidade para tratar uma gripe. “Aqui, quase não espero e sempre sou atendida. Só vou ao hospital quando não tem outro jeito”, diz.

Graças a isso, a quantidade de pessoas que procuram a unidade quando se sentem mal mesmo sem marcar consulta tem aumentado. Em agosto, esse número chegava a 32 pacientes e, em setembro, 120. No mês passado 160 pessoas procuraram o lugar por demanda espontânea.

Organização de outros níveis de atendimento a partir da atenção primária

De acordo com Leonor, a adequação da atenção primária no modelo da Estratégia Saúde da Família é o primeiro passo para a organização de todas redes de atenção à saúde. Exemplo disso é a Portaria n° 386, que, entre outras coisas, reorganiza o atendimento nos prontos-socorros do DF.

Agora, quem procurar um hospital da rede pública de saúde em situações de baixa complexidade é orientado a buscar a unidade básica de saúde mais perto de casa.

“Isso porque, no pronto-socorro, o paciente concorre com outros de maior gravidade, que vão ser prioridade. Na atenção primária, ele vai ser acolhido de uma forma diferente, vai ter sua necessidade mais bem avaliada”, explica Alexandra.

Essa mudança, ela conta, tem sido possível de maneira mais organizada em locais onde a Estratégia Saúde da Família já estava melhor consolidada, no entanto a queda de pessoas com quadro clínico sem gravidade em UPAs e prontos-socorros já pode ser notada em vários locais.

Na UBS de Samambaia, por exemplo, construída há mais de quatro anos, com equipes de saúde da família, o processo tem sido positivo. A quantidade de demanda espontânea tem aumentado.

O local tem seis equipes de saúde da família e atende uma população de 29 mil pessoas. Atualmente, a cobertura da estratégia em Samambaia é de 90%, sem contar com as equipes que estão em transição. Com elas, a conta chega a 100% de cobertura.

24 unidades já funcionam aos sábados

Outra mudança para garantir o acesso da população às UBS foi a ampliação no horário de funcionamento dos locais com mais de três equipes de saúde da família. Vinte e quatros unidades estão abertas de segunda a sexta-feira das 7 às 19 horas e aos sábados até meio-dia.

Outras 55, que passam pelo processo de transição, até o fim do ano também devem migrar para o novo horário. Atualmente, elas funcionam de segunda a sexta-feira, de 7 as 18 horas. As 86 unidades rurais ou com até três equipes funcionam de segunda a sexta-feira, das 7 às 17 horas.

Continuar lendo
Publicidade
Comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cidades

Mais de 860 residências são regularizadas no Recanto

em

Publicado por

Pedro Ventura/Agência Brasília

Mesmo depois de comprar o lote em que vive, Aldemar Fernandes ficou os 17 anos em que mora no Recanto das Emas sem conseguir a escritura do terreno. Na manhã deste sábado (24), sua espera chegou ao fim com a regularização do imóvel.

“Para mim, essa entrega significa tudo. Passei tanto tempo em busca de poder dizer que essa casa é minha”, comemorou o vigilante, de 55 anos.

Essa foi uma das 867 moradias regularizadas com a entrega de escrituras na manhã de hoje, no Recanto das Emas. Aldemar recebeu o documento diretamente das mãos do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

“A escritura vai dar tranquilidade e segurança jurídica, mas também vai valorizar os terrenos de vocês. Aproveitem sabendo que não terão mais ameaças ao patrimônio que podem passar para seus filhos”, observou Rollemberg.

O secretário de gestão do Território e habitação, Thiago de Andrade, lembrou que a entrega não é apenas uma doação. “Isso não é uma sorte, mas um direito importantíssimo. É o resultado da luta de vocês pela moradia.”

O diretor da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), Gilson Paranhos, assegurou a validade dos benefícios. “Essa escritura é definitiva. Com ela, vocês nunca mais terão problemas. Basta ir ao cartório e o patrimônio é de vocês.”

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, um dos eixos de atuação do programa Habita Brasília, que tem como objetivo proporcionar moradia digna aos cidadãos, e, dessa forma, garantir o planejamento das cidades e evitar a grilagem de terras.

Isenção cartorial para pessoas de baixa renda – Pessoas com renda de até três salários mínimos têm isenção para a lavratura do documento em cartório, segundo a Codhab. Já a taxa de registro varia de R$ 300 a R$ 600.

Com as deste sábado, foram entregues 42.387 escrituras de residências por parte da Diretoria de Regularização da Codhab. Junto com as 3.822 escrituras entregues pela antiga Sociedade de Habitação de Interesse Social (SHIS), o governo de Brasília distribuiu 46.209 desde 2015.

Os beneficiados – mutuários da antiga SHIS – são moradores de casas construídas há mais de três décadas, com recursos próprios e convênios com o então Banco Nacional de Habitação (BNH) e a Caixa Econômica Federal.

Correção de dados pela Codhab – Quando a Codhab passou a contabilizar as regularizações da antiga SHIS, houve um erro de soma das escrituras, que levou a dados incorretos até as entregas de 23 de janeiro deste ano. Depois de uma revisão, o número de terrenos regularizados foi corrigido.

É o maior processo de regularização fundiária da história do DF. O objetivo é terminar a gestão com cerca de 63 mil escrituras distribuídas, quantidade superior às 62.999, entregues desde a fundação da capital federal, em 1960, até 31 de dezembro de 2014.

Continuar lendo

Cidades

Atualização do Passe Livre poderá ser feita neste sábado (24)

em

Publicado por

Reprodução/Arte/AVB

Passageiros que tiverem dúvidas sobre a atualização cadastral do Passe Livre poderão procurar neste sábado (24) o posto da Coordenação de Promoção das Pessoas com Deficiência do Distrito Federal, na Estação 112 Sul, da Companhia do Metropolitano (Metrô-DF).

A unidade ficará aberta das 8 às 13 horas. O prazo para o procedimento termina em 2 de março.

Como os cadastros devem ser atualizados pelo site do Bilhete Único, o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) recomenda aos usuários só comparecerem ao posto se não conseguirem resolver eventuais dificuldades pela internet, já que o processo é on-line.

Como já ocorre há duas semanas, o atendimento amanhã será com senhas para que os servidores orientem os usuários. Além disso, para melhorar o serviço, foram colocadas cadeiras no corredor externo. A medida foi tomada porque os passageiros tinham de esperar em pé do lado de fora.

“Estamos usando o método de triagem, assim quem precisar retirar a primeira ou a segunda via do benefício será direcionado para filas diferentes. Com as cadeiras, proporcionamos mais conforto para os usuários”, destacou o diretor-geral do DFTrans, Léo Cruz.

Como a mudança se deu basicamente na organização do espaço e no fluxo de atendimento, a equipe de 25 funcionários foi mantida, e não houve aumento de despesas no posto.

Continuar lendo

Cidades

Estrutural comemora 14 anos neste sábado (24)

em

Publicado por

Dênio Simões/Agência Brasília

A Estrutural vai comemorar 14 anos neste sábado (24), com um dia inteiro de atividades. Estão programados atos cívicos e apresentações culturais, com destaque para grupos de rap, de forró, de música gospel, sertanejos e outros estilos.

As festividades vão ocorrer na avenida central da região administrativa, ao lado do posto da Polícia Militar. Às 8 horas, haverá missa católica para celebrar a data. O clima religioso seguirá, das 9 às 11 horas, com apresentação de grupos de gospel.

Às 12 horas, haverá o corte do bolo de aniversário, com 14 metros de comprimento. Em seguida, a Rua do Lazer será aberta para a criançada com brinquedos infláveis. Os shows artísticos começam às 16 horas e seguem até a meia-noite.

O aniversário da Estrutural ocorre em janeiro. Mas, neste ano, por causa de ações como o programa Cidades Limpas, destinado a introduzir melhorias diversas no ambiente urbano, o evento foi adiado para fevereiro.

O núcleo urbano teve origem em uma invasão de catadores de materiais recicláveis no aterro sanitário de Brasília, conhecido como lixão da Estrutural, fechado em janeiro deste ano. As pessoas, atraídas em busca de sobrevivência, acabavam fixando moradia no local. Houve intensa mobilização dos moradores pela criação da região.

Em janeiro de 2004, a Lei nº 3.315 criou o Setor Complementar de Indústria e Abastecimento, que foi transformado em região administrativa, e definiu a Vila Estrutural como sua sede urbana.

Em 2015, segundo a Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan), a população urbana do local foi estimada em 39.015 habitantes.

14° Aniversário da Estrutural
24 de fevereiro de 2018 (sábado)

Missa
Às 8 horas

Show gospel com: 

  • Banda Farol
  • Sandra Montes
  • Nandão do Pentecoste
  • Guto e Leo
  • Noemia e Lyahana
  • Wander Maciel e banda

Das 9 às 11 horas

Corte do bolo
Às 12 horas

Brinquedos infláveis
Às 14 horas

Grupo Port Ilegal Rappers
Às 16 horas

Bob Nickson e banda
Às 18 horas

Bebeto Cerqueira
Às 19 horas

Trem das Cores
Às 20 horas

Banda Carisma
Às 21 horas

Paulla e Paolla
Às 23 horas

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade