Curta nossa página

Guerra ao mosquito

Sete regiões administrativas do DF recebem força-tarefa contra o Aedes aegypti

Publicado

Foto/Imagem:


Nesta semana, as regiões administrativas de Brazlândia, do Gama, do Lago Norte, do Lago Sul, de Planaltina, do Plano Piloto e de Sobradinho II recebem atividades do Plano de Ação para o Enfrentamento das Doenças Transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. O grupo é formado por militares do Exército Brasileiro, bombeiros e agentes da Vigilância Ambiental, da Secretaria de Saúde, entre outros, como da Defesa Civil e do Serviço de Limpeza Urbana (SLU).

A equipe se dividirá da seguinte forma: de segunda (18) a quarta-feira (20), estará no Gama e em Planaltina; de segunda a sexta-feira (22), em Brazlândia e em Sobradinho II; e de quinta (14) a sexta-feira, no Lago Norte, no Lago Sul e na Asa Norte.

Os entulhos em locais públicos serão retirados. Nas visitas a residências, os moradores receberão orientações sobre o acumulo de lixo e a água parada. Desde o início da força-tarefa, em dezembro, nove regiões administrativas foram visitadas — Águas Claras, Brazlândia, Lago Norte, Lago Sul, Planaltina, Plano Piloto, São Sebastião, Sobradinho II e Varjão.

Até o momento, foram recolhidas 22.882 toneladas de lixo e entulho, 24.500 imóveis foram visitados e 660 localidades foram identificadas como possíveis focos do mosquito. Os materiais foram coletados e encaminhados para a comprovação laboratorial.

Boletim
De acordo com o primeiro boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde com dados de 2016, o Distrito Federal registrou 38 casos suspeitos de dengue até o dia 11 de janeiro, com 36 confirmados. Desses, 31 são residentes de Brasília e cinco de outras unidades da federação.

Em relação ao mesmo período do passado, quando houve 94 casos notificados e 59 confirmados, houve redução de 64,89% e de 47,46%, respectivamente. Das regiões administrativas com mais casos neste ano, Brazlândia (13) e Planaltina (5) lideram a lista.

Também até o dia 11 de janeiro, foram notificados cinco casos suspeitos de febre causada pelo zika vírus. Desses, quatro pessoas são residentes de Brasília e um de Santo Antônio do Descoberto (GO). Dois foram confirmados, um em cada cidade.

Para pessoas com suspeita de febre chikungunya, foram registradas duas ocorrências no primeiro boletim de 2016, mas nenhuma foi confirmada.

Atualizado em 18/01/2016 – 09:43.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana