Curta nossa página

Novo modelo

Região de Ceilândia amplia cobertura da Estratégia Saúde da Família

Redação

Publicado

Foto/Imagem:


Para a autônoma Marinalva Silva de Almeida, de 62 anos, receber um agente comunitário de saúde em casa é novidade. E positiva. A visita integra a conversão da nova política de atenção primária do DF, que estabelece que todas as unidades básicas de saúde (UBS) passem a funcionar com a Estratégia Saúde da Família.

O novo modelo prioriza as regiões mais vulneráveis. Em Ceilândia, por exemplo, onde Marinalva mora, foi feito um estudo dos indicadores de vulnerabilidades econômica, social e de saúde de todo o território. Com base nisso, duas unidades básicas de saúde (UBS 8 e UBS 10) mudaram de mistas (funcionavam com os modelos tradicional e novo) para exclusivamente da estratégia.

A UBS onde a equipe de referência de Marinalva fica é a 8. Ela já era atendida no local, mas sob o antigo regime. “Eu usava muito o posto de saúde, mas só quando me sentia mal.”

Os especialistas que atendiam no lugar mas não aceitaram fazer parte da conversão estão sendo alocados em outros espaços. Lá agora atendem seis equipes de saúde da família, com médico, enfermeiro, técnicos de enfermagem e agentes comunitários.

Remanejamento das equipes de saúde da família

A gerente da Diretoria de Atenção Primária da Região de Saúde Oeste, Alexandra Miranda, explica que o processo em Ceilândia ocorreu com rapidez graças ao fato de já existirem equipes de saúde da família na região.

Esses grupos, no entanto, atuavam de forma pulverizada. “Eles estavam concentrados em lugares com menor vulnerabilidade. Existiam unidades com apenas uma equipe para atender 3.750 pessoas, em uma unidade com 30 mil pacientes”, detalha. “A cobertura era pouco representativa e não alcançava a população-alvo, que é a mais vulnerável”, conta Alexandra.

Na prática, o processo consistiu em retirar esses grupos pulverizados de onde atuavam e reuni-los nesses dois pontos estratégicos. A UBS 10 agora conta com dez equipes (três a mais), até que uma nova seja inaugurada no Sol Nascente.

A mudança permitiu que as Unidades Básicas de Saúde nº 8 e nº 10 ampliassem a cobertura da estratégia de 21,4% e 32%, respectivamente, para 100%. Se levado em conta todo o território de Ceilândia, a cobertura passou de 23,48% para 26,71%.

A região tem 15 unidades básicas de saúde, das quais 11 eram mistas e quatro exclusivamente da estratégia. Com a conversão iniciada, esse último número foi atualizado para seis. O restante está em processo de transição.

Visita às residências para cadastrar os pacientes

A territorialização é uma das peças-chave para que a estratégia seja implementada. Por isso, desde 30 de março, os agentes comunitários visitam as residências da área para cadastrar os pacientes.

“É um momento de reorganização. A gente espera que agora as equipes se apropriem desse território, conheçam a realidade, façam o diagnóstico de saúde do lugar e estabeleçam um planejamento”, pontua Alexandra. As ações obedecerão ao que for colhido nessa fase.

É nesse momento, por exemplo, que se detecta quem precisará ser acompanhado pela equipe em casa por algum problema que dificulte a locomoção ou alguma mulher que esteja grávida e ainda não tenha iniciado o pré-natal.

Acolhimento é uma das principais mudanças a curto prazo

A filha de Marinalva é enfermeira e aprova a conversão. Ela conta que tinha dificuldade para conseguir atendimento no antigo modelo e que, muitas vezes, precisava ir para a fila às 5 horas, sem garantia de uma consulta.

Agora, ao chegar à unidade, o paciente passa pelo acolhimento, etapa em que já sabe qual é o problema e, se necessário, tem a consulta marcada. “Isso é possível porque é a equipe que promove a saúde pública, não é apenas o especialista”, destaca o gerente de Serviços de Atenção Primária da UBS 8, Jean Paul Fraussat de Lima.

Cada membro da equipe tem papel determinante. “Os profissionais da Estratégia Saúde da Família têm níveis de resolubilidade de cunho individual, mas que também fazem um efeito no somatório”, resume a superintendente da Região de Saúde Oeste, Talita Lemos Andrade. Ela conta que prova disso é o fato de, durante as reuniões, as equipes compartilharem as informações sobre a situação de pacientes.

Nova política de atenção primária

A nova política de atenção primária do DF foi definida pela Portaria nº 77, de 2017, que prevê que todas as unidades básicas funcionem com equipes da Estratégia Saúde da Família. A conversão do antigo modelo para o novo está sendo progressiva. Até junho, todos os locais que ainda atendem sob as regras tradicionais deverão estar em transição.

Comments

Circulação de 700 mil pessoas

Câmeras aumentam segurança na Rodoviária do Plano Piloto

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Vinícius de Melo/Agência Brasília

Ponto de circulação de 700 mil pessoas diariamente, a Rodoviária do Plano Piloto está mais segura. Um convênio entre a administração do local e a Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) permitiu o funcionamento de 17 câmeras de vídeo. A ação contou ainda com a participação de empresários e lojistas.

Antes de viabilizar a medida, apenas dois dispositivos estavam ligados, prejudicando a fiscalização da região. Agora, com as novas câmeras ativas, o trabalho da Polícia Militar e da vigilância será beneficiado. Foram religados dispositivos nas plataformas A, B, C, D, E e F, no térreo, e nas áreas superior e inferior da Rodoviária, além do terminal do Entorno.

“Fico confortável por poder oferecer mais segurança às nossas instalações. Tivemos ajuda dos permissionários e da Secretaria de Segurança Pública. Se não fossem eles a gente não teria tirado isso do papel”, afirma o chefe da Unidade de Administração da Rodoviária e Área Central de Brasília, Josué Martins de Oliveira.

José conta que as câmeras vão permitir uma fiscalização maior do tráfico de drogas e o reforço nas demandas de pedidos judiciais, quando ocorrem furtos ou perdas de objetos, por exemplo. Também nas próximas semanas, o posto da Polícia Militar localizado no mezanino ganhará duas telas de videomonitoramento.

A mudança agradou os usuários do terminal. Em visita à cidade, o professor Roberto Fonseca e a mãe Júlia Fonseca elogiaram a ação. “Quanto mais câmeras, melhor. Aliado à presença policial, fica mais forte essa questão da segurança”, observou Roberto. Para a dona de casa Sara Campbell, o monitoramento é um alívio. “Estamos sujeitos à situações de violência e insegurança. Com a câmera nos sentimos mais seguras e confortáveis”, disse.

O Centro de Operações Integradas de Brasília (Ciob) da Secretaria de Segurança tem acesso às câmeras de vídeo de monitoramento. De lá, os profissionais são capazes de avisar ocorrências e chamados para os policiais que trabalham na Rodoviária e em pontos adjacentes, agilizando o trabalho de quem cuida da segurança da população do Distrito Federal.

Além das câmeras, o Governo do Distrito Federal tem promovido outras medidas para trazer mais conforto aos usuários da Rodoviária. Uma dessas atividades é a Operação Área Central, com objetivo de reduzir índices criminais, por exemplo. Ao todo, 20 agências do governo e as forças de segurança participam da ação integrada, coordenada pela Secretaria de Segurança Pública.

Obras

Paralelamente à fiscalização, o GDF deu início à obra de reforma da Rodoviária do Plano Piloto, em busca de conforto e segurança aos frequentadores do local. Esta é a primeira vez em 60 anos que o monumento vai passar por reparo de reforço estrutural.

Nesse reparo está sendo utilizada tecnologia de ponta, como a fibra de carbono. A reestruturação das 180 vigas de sustentação da parte superior do terminal será feita com esse material, mais moderno, resistente e econômico que o aço. Ele será aplicado no interior das vigas de concreto, aumentando em dez vezes a resistência da estrutura impactada diariamente pela passagem de veículos na plataforma superior.

Desde o dia 26 de junho, o GDF  está fazendo intervenções necessárias no local. O primeiro passo foi dado um dia antes, com uma vistoria em conjunto com a Novacap e a Defesa Civil, quando foi detectado, num curto prazo de tempo, na laje de cobertura da parte inferior, o avanço de uma abertura com risco de queda. Para evitar riscos, o trânsito foi interditado na plataforma superior da Rodoviária, no sentido norte-sul. A inspeção realizada pelos dois órgãos no espaço detectou ainda outros 15 pontos problemáticos que também estão sendo avaliados pela equipe da Novacap.

Continuar lendo

Neste sábado, 20 de julho

Vigilância Ambiental promove feira de adoção de cães e gatos

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Gabriel Jabur/Agência Brasília

A Diretoria de Vigilância Ambiental, em parceria com a Associação Protetora dos Animais do Distrito Federal, promoverá uma feira de adoção de cães e gatos neste sábado (20). Os bichinhos estarão disponíveis no estacionamento da Gerência de Zoonoses (ao lado do Hospital da Criança), das 9h às 13h.

Para adotar, é preciso ter mais de 21 anos de idade, levar documento de identificação e comprovante de endereço, além de assinar um termo de posse responsável. Os animais não têm raça definida e estão com a vacinação antirrábica atualizada.

“O objetivo maior, além de arrumar um bom lar para os animais, é aproximar a população do DF da Gerência de Zoonoses, para eles entenderem nosso trabalho, quebrar o estigma e mostrar que as portas estão abertas”, observa o gerente de Vigilância Ambiental de Zoonoses, Jadir Costa Filho.

Os animais que não forem adotados durante a feira continuarão disponíveis na Zoonoses. Quem tiver interesse em adotar pode ir ao local, de segunda-sexta-feira, das 8h às 17h, cumprindo os mesmos requisitos exigidos durante a feira.​

Continuar lendo

Dia 22

Uso das faixas exclusivas será normalizado a partir de segunda

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Dênio Simões/Agência Brasília

A partir desta segunda-feira (22), as faixas exclusivas da Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), do Setor Policial Sul e da W3 Sul e Norte voltam a ser restritas ao transporte coletivo. Com o fim da greve do Metrô, e consequentemente, a diminuição do fluxo de veículos, os corredores exclusivos para ônibus, táxis e vans escolares estão de volta e a fiscalização de trânsito, também.

Em nota oficial o Departamento de Estrada e Rodagem (DER-DF) esclareceu que, a partir da próxima semana, o tráfego de carros de passeio nas faixas exclusivas da EPNB só será permitido nos finais de semana e feriados.

A faixa exclusiva da EPTG permanece inalterada: nos dias úteis, de 6h às 9h e de 17h30 às 19h45h, os coletivos trafegam pela faixa reversa e a quarta faixa do sentido da via é liberada aos veículos leves.

O DER-DF reforça ainda que a faixa exclusiva do BRT também segue sem alterações.

O Departamento de Trânsito (Detran-DF) também vai iniciar a fiscalização na próxima semana. Para que não haja confusão por parte dos motoristas, os agentes de trânsito voltam a restringir a circulação nas faixas exclusivas das avenidas W3 e do Setor Policial Sul a partir da meia-noite da próxima segunda-feira (22).

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2019 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - SIG Quadra 01, Lote 385, Platinum Office, Sala 117 - Brasília-DF - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores.