Balanço da Segurança

Número de homicídios no Distrito Federal é o menor dos últimos 17 anos

Secretário de Segurança, Edval de Oliveira Novaes Júnior. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília
Mariana Damaceno

O Distrito Federal fechou outubro com a menor taxa de homicídios dos últimos 17 anos. Ou seja, no acumulado de janeiro a outubro, foram registradas 400 ocorrências — 90 a menos que no mesmo período do ano passado —, quantidade mais baixa desde 2000, quando começou a série histórica.

Os dados fazem parte do balanço mensal da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, divulgado nesta terça-feira (7).

Desta vez, o levantamento também apresentou informações do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

De acordo com o documento, o DF ocupa a 22ª posição entre as outras unidades da Federação quanto a homicídios dolosos (cometido com a intenção de matar).

Apesar disso, no comparado mês a mês, o número de assassinatos teve um ligeiro aumento — passou de 50 para 52 ocorrências. Em 73% dos casos, as vítimas tinham antecedentes criminais; e, em 74%, os autores já haviam praticado algum crime.

A projeção da Secretaria da Segurança Pública é que Brasília feche 2017 com a menor taxa dos últimos 29 anos, com a proporção de 16,2 mortes a cada 100 mil habitantes.

Crimes contra o patrimônio

Também no acumulado do ano, houve decréscimo em todos os seis crimes contra o patrimônio monitorados mensalmente pelo Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida, principal política local de segurança pública. As quedas mais significantes foram em roubo em comércio (-22,5%) e roubo de veículo (-13,8%).

Roubo a pedestre, roubo em transporte coletivo, roubo em residência e furto em veículo tiveram quedas de 3,3%, 5,3%, 3,7% e 4,9%, respectivamente.

Entre o total de 12 crimes acompanhados pela pasta, apenas estupro teve aumento no número de registros (31,3%). Foram comunicados à polícia, de janeiro a outubro deste ano, 743 casos, contra 566 no mesmo período de 2016.

A elevação, no entanto, não demonstra uma quantidade maior de crimes. “Temos nos esforçado para fazer com que esses casos sejam registrados para que a polícia possa atuar e para que essas pessoas sejam levadas à Justiça e paguem pelos seus crimes”, explicou o secretário da Segurança Pública e da Paz Social, Edval de Oliveira Novaes Júnior.

Dos 97 registros em outubro, 64 foram estupros de vulneráveis (66%). A maior parte (81%) ocorre em locais fechados, geralmente na residência do autor ou da vítima (72%). Em 93% das ocorrências, há vínculo entre o infrator e quem sofreu a violência.

Acesse a íntegra do balanço da segurança pública no DF em outubro de 2017.

Compartilhar