Curta nossa página

400 leitos

Ibaneis Rocha anuncia complexo hospitalar na região do Guará

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Renato Alves/Agência Brasília
Ary Filgueira

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, anunciou a construção de mais um hospital. O Complexo Centro-Sul será instalado no Guará, terá 400 leitos e está em fase de elaboração da licitação. O objetivo é reduzir o déficit no atendimento hospitalar da rede pública, que há anos não recebe ampliação significativa.

O chefe do Executivo brasiliense fez um balanço de sua gestão na estreia do jornalista Guilherme Portanova na bancada o DF No Ar. Ibaneis respondeu às perguntas do apresentador e da população sobre áreas sensíveis, como Saúde, Educação e Infraestrutura, e destacou a expansão do viaduto da EPTG/EPCT, que está 85% pronto e vai beneficiar 135 mil motoristas que trafegam naquela via.

Ao longo da entrevista, Ibaneis fez um desabafo: “No primeiro semestre, eu tinha muita dificuldade e muitas dúvidas com os resultados, porque a máquina administrativa é muito complicada de fazer andar. Com muita força dos meus secretários e administradores, conseguimos colocar isso nos trilhos. E os resultados estão aparecendo nas mais diversas áreas. O resultado é muito positivo nesse primeiro ano de governo, em que trabalhei com um orçamento que foi aprovado pelo governo anterior, cujas as prioridades eram outras. Com a casa arrumada, para 2020, vamos avançar mais e a população vai sentir isso”.

Confira a seguir, os principais pontos da entrevista:

Saúde

Ibaneis disse que espera reduzir as filas de espera da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) até o próximo ano. Durante a entrevista, Portanova levantou o dado de que, hoje, são 71 pacientes aguardando leito na UTI. Para tentar zerar esse déficit, Ibaneis afirmou que abrirá mais de 150 leitos em unidades hospitalares do Distrito Federal.

O governador disse ainda que já começou a reformar vários hospitais públicos. O primeiro a ser concluído foi o de Santa Maria, que ganhou mais oito leitos. “Pegamos a Saúde do Distrito Federal num estado bastante crítico. Assumimos as UPAs e hoje estão todas reformadas”, destacou.

Sobre o Hospital do Gama, pergunta de um telespectador, o governador respondeu que é uma das unidades que mais recebe atenção do governo. Destacou que houve recentemente um vazamento de água, mas que já foi consertado em tempo recorde e que as salas de cirurgias, que estavam fechadas, foram reabertas neste governo.

Segundo Ibaneis, o hospital será um dos beneficiados com o investimento de R$ 40 milhões que a pasta deve receber ainda este ano. “A unidade hospitalar estava sem contrato de manutenção, mas o governo atual conseguiu fazer outra licitação não só do Hospital Regional do Gama, como de toda a rede”.

Ainda no pacote de melhorias na Saúde, o governador disse que encaminhou projeto de criação de sete Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs) à Câmara Legislativa. Além disso, o governo está construindo mais 35 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e reformulando as equipes do Saúde da Família.

Durante a entrevista, o apresentador citou um problema crônico no Hospital da Asa Norte (Hran), que é o sistema de ar condicionado, cuja estrutura elétrica está defasada. O governador afirmou que está em fase final a preparação de uma licitação para a reformulação de toda a rede de ar condicionado da unidade. A estimativa é que até março esteja solucionado o problema.

“As estruturas dos hospitais do Distrito Federal foram abandonadas ao longo desses últimos dez anos. Em um ano, estamos levantando todos esses problemas, buscando soluções, com licitações, para que a partir do próximo ano a população possa ter um atendimento de qualidade”, ressalta o governador.

Educação

Na educação, Ibaneis adiantou que há previsão de construção de quatro novas escolas no Distrito Federal, com recursos de emendas. E lembrou ainda que, só este ano, foram reformadas 400 unidades de ensino.

Ibaneis afirmou que vai resolver o problema de atraso do repasse do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pedaf) às escolas, conforme foi questionado pelo apresentador. Com o auxílio do Banco de Brasília (BRB) e da Secretaria de Economia, Ibaneis afirma que foi criado um cartão de crédito que será entregue aos diretores.

Os gestores poderão fazer as compras de materiais para as unidades escolares em fornecedores cadastrados e 70 mil crianças já se beneficiam do Cartão Material Escolar.

Vicente Pires

O governador afirmou que os 70% das obras prometidos no início do ano estão prontos e que até o ano que vem devem ser concluídas. Foram executados 202.810 metros quadrados de pavimentação asfáltica, e as redes de drenagem das ruas 3, 4, 8 e 10, por exemplo, já estão em funcionamento. O trecho que vai da marginal da Estrutural até a Rua 10 também está finalizado.

Na Rua 4 de Vicente Pires, 2,6 km de via estão concluídos com drenagem e asfalto novo. Também estão sendo instalados meios-fios e calçadas na região. “Achamos muitos problemas nas licitações realizadas, como cálculos feitos de forma equivocada. Parte da obra de captação de água teria de interromper a via Estrutural durante 90 dias para fazer o transbordo da água, mas nós estamos fazendo isso de forma subterrânea, que não atrapalha o trânsito e ainda sai mais barato. Mas a licitação não previa isso. Isso só está sendo possível com a ajuda do Tribunal de Contas (TCDF), que está nos auxiliando”, explica Ibaneis Rocha.

O governo também está trabalhando para entregar as escrituras dos lotes de Vicente Pires até o fim do próximo ano. Para isso, o governador coordena uma verdadeira força-tarefa, com agentes da Terracap e da União.

Túnel de Taguatinga

Solução para reduzir o estrangulamento do trânsito entre a EPTG e a Elmo Serejo, ambas no trajeto do centro de Taguatinga à parte norte da cidade, a construção do túnel emperra em liminares judiciais, que impedem a licitação em virtude de disputa de empresas participantes do certame. Como alternativa para diminuir o transtorno aos motoristas que passam por lá, o governo conseguiu sensibilizar parlamentares distritais para alocar suas emendas, que juntas dão um montante de R$ 50 milhões, para fazer a reforma da Hélio Prates.

“Eu tenho a consciência de que isso (o túnel) é uma obra mais que necessária. A licitação está parada na justiça. Duas empresas estão brigando para ganhar a obra e eu estou tentando resolver junto ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal”, disse o governador, que estima que a obra deva ser iniciada em 2021.

Centro Administrativo

Ibaneis concluiu a entrevista garantindo que tem intenção de ocupar as instalações do Centro Administrativo em Taguatinga. Na semana passada, o TCDF pediu que a gente apresentasse um plano de ocupação. “Eu disse e volto a repetir: no governo as coisas não acontecem com a velocidade que nós da iniciativa privada estávamos acostumados. Então, passa por todos esses órgãos de controle. Mas isso é melhor para a sociedade”, explicou.

Brasil

Recuperados da Covid são quase 7 vezes maior que o nº de mortos

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Sergei Karpukhin/TASS

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta sexta-feira (30), o Brasil chegou a 189.476 pacientes recuperados da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Com isso, o total de pessoas que venceram a doença é quase sete vezes maior que o número de óbitos registrados.

Os infectados pelo vírus somam 465.166 casos confirmados. Desse total, 247.812 pessoas estão em acompanhamento. O país registrou ainda, 1.124 novas mortes, totalizando 27.878. A taxa de letalidade está em 6%.

Ranking

Em número de casos confirmados, o ranking tem São Paulo (101.556), Rio de Janeiro (47.953), Amazonas (38.909), Ceará (38.395) e Pará (36.486). Entre as unidades da federação com mais pessoas infectadas estão ainda Pernambuco (32.255), Maranhão (30.482), Bahia (16.917), Espírito Santo (12.903) e Paraíba (12.011).

Mortes

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de óbitos (7.275). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (5.079), Ceará (2.859), Pará (2.827) e Pernambuco (2.669).

Além disso, foram registradas mortes no Amazonas (2.011), Maranhão (911), Bahia (609), Espírito Santo (560), Alagoas (406), Paraíba (327), Rio Grande do Norte (268), Minas Gerais (257), Rio Grande do Sul (213), Amapá (207), Paraná (173), Distrito Federal (154), Piauí (146), Rondônia (145), Sergipe (142), Acre (135), Santa Catarina (134), Goiás (119), Roraima (108), Tocantins (70), Mato Grosso (56) e Mato Grosso do Sul (18).

Continue me casa. Se precisar sair, use máscara.

Isso tudo vai passar!

Continuar lendo

Sala de Situação

GDF tem 322 leitos de UTI e 504 de enfermaria para tratar a Covid

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Breno Esaki/Secretaria de Saúde

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal possui, em 16 hospitais da rede pública, 3.682 leitos gerais de enfermarias registrados no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES) e 359 leitos gerais de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Para o tratamento do novo coronavírus Sars-CoV-2, a Secretaria de Saúde possui um total de 504 leitos de enfermarias, divididos entre o Hospital Regional da Asa Norte (327) e o Hospital de Campanha do Mané Garrincha (177). Nesta sexta-feira (29), às 11h05, havia 184 leitos de enfermaria ocupados por pacientes com Covid-19 ou suspeita, uma taxa de ocupação de 36,51%.

Para os casos mais graves, são 322 leitos públicos (UTI Covid-19) disponíveis para os pacientes do coronavírus com com suporte de ventilação mecânica. Destes, 130 estavam ocupados e 192 reservados até a última atualização às 11h25 desta sexta-feira (29), na Sala de Situação. A taxa de ocupação representa 40,37%.

Rede privada

Além dos leitos Covid-19 da rede pública de Saúde (que inclui os próprios da rede, conveniados e os contratados na rede privada), a rede de hospitais privados dispõe de 212 leitos de UTI para atender os pacientes acometidos pela doença, estando 143 ocupados, 4 bloqueados e 65 vagos, com taxa de ocupação de 69,34%. Os dados foram atualizados na Sala de Situação, às 11h25.

Continuar lendo

Daniel Novais

Obesidade é grande fator de risco para agravamento da Covid-19

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Freepik

Recentes estudos consideram a obesidade, juntamente com a idade, como um dos maiores fatores de hospitalização e agravamento por Covid-19. A obesidade diminui as ações anti-inflamatórias do organismo e compromete a eficiência do sistema imunológico, deixando a pessoa mais vulnerável ao vírus.

Só para se ter uma ideia, muito antes da pandemia, a obesidade já atingia cerca de 600 milhões de adultos e 100 milhões de crianças ao redor do mundo, causando milhões de mortes por ano. No Brasil, já acometia um em cada cinco habitantes, sendo que mais da metade da população está acima do peso normal.

“Uma alimentação saudável pode ser uma grande aliada na conquista de mais qualidade de vida, saúde e bem-estar. O consumo diário de alimentos mais saudáveis e a prática de atividades regulares evitam uma série de doenças crônicas causadas pela obesidade.Cuidar da saúde é primordial, independente do momento em que estamos passando”, explica o nutricionista Daniel Novais.

Vale alertar que vários fatores aumentam o risco de pessoas com obesidade diante do novo coronavírus. O excesso de peso tem grande relação com outras doenças metabólicas, como a diabetes tipo 2 e a hipertensão arterial, ambas muito frequentes entre pacientes com a forma mais grave de Covid-19.

Mudança de comportamento

Nunca é tarde para cuidar da saúde: o importante é procurar um profissional qualificado para seguir orientações personalizadas, direcionadas a cada caso. É importante, também, não cair em armadilhas: com a quarentena, notou-se um aumento na compra de alimentos ultraprocessados, com muitos aditivos e baixa qualidade nutricional. Esse tipo de alimento tem uma validade maior e são mais fáceis de serem estocados. Simultaneamente, houve uma redução no consumo de frutas, verduras e legumes, alimentos que precisam ser repostos com maior frequência, são perecíveis e precisam ser higienizados, e em alguns casos, exigem uma certa habilidade para realizar o preparo.

Para o nutricionista Daniel Novais durante esse período é preciso ter muita atenção ao estilo de vida, cuidar da alimentação, do sono e realizar prática esportiva, mesmo que seja em casa.

“Com o isolamento, estamos mais ansiosos, inseguros, com menos prazeres e nos mexendo menos. Estas condições contribuem para aumentar a buscar por outros estímulos, o que muitas vezes implica em um maior consumo de alimentos e de álcool e na piora da qualidade alimentar”, comenta o nutricionista.

Atitudes simples são eficazes para manter uma rotina saudável. Confira 7 dicas elaboradas pelo nutricionista Daniel Novais:

1. Prefira alimentos naturais e minimamente processados. Arroz, feijão, frutas, legumes, verduras, leite, carnes e ovo. Comida de verdade!

2. Fique atento aos alimentos ultraprocessados. O consumo em excesso de salgadinhos, refrigerantes, biscoitos e outros está associado a obesidade e várias outras doenças.

3. Comer por razões emocionais é normal, mas tenha em mente que por não ser fome, a vontade passa. Procure estratégias para lidar com as emoções sem recorrer à comida.

4. Evite alimentos refinados, ricos em açúcar e gordura, principalmente a noite. Esses alimentos não saciam, estimulam o pico insulínico e geram mais vontade de comer.

5. Aproveite para introduzir novos hábitos, experimentar alimentos, preparações e receitas.

6. Gengibre, cúrcuma, alho, cebola, mel, própolis, pimentas, chocolate amargo, chá verde e muitos vegetais coloridos são anti-inflamatórios, aposte neles.

7. Manter-se hidratado é fundamental. Beba água!

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão