Curta nossa página

Governo faz palestras, exposições e testes rápidos contra Aids durante o mês de dezembro

Publicado

Foto/Imagem:


Deste domingo (29) a 31 de dezembro, o governo local promove várias ações de prevenção e de testagens rápidas em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids, no dia 1º de dezembro. As atividades tiveram início hoje no estacionamento 11 do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek. Até as 21 horas, os interessados poderão testar o sangue para identificar a presença do vírus HIV.

No dia 1º de dezembro, ocorrerão ações preventivas, das 9 às 12 horas, no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, na 903 Sul; das 9 às 18 horas, no campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB); e, entre 8 e 18 horas, em unidades de saúde.

Na terça-feira (1º), nas unidades de saúde que dispõem do serviço será intensificada a realização de testes. No mesmo dia, o exame também será feito na Estação Central do Metrô, na Rodoviária do Plano Piloto, das 9 às 18 horas.

Em 9 de dezembro, das 9 às 11 horas, no Restaurante Comunitário da Cidade Estrutural, será possível fazer o teste rápido para identificar a presença do vírus HIV.

As ações foram articuladas pela Coordenação de Diversidade, da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, em parceria com outras pastas do governo e organizações não governamentais.

Exposição
O Museu Nacional da República, no Setor Cultural Sul, receberá a exposição fotográfica Positivo na Lata: Revelando a Vida. De 1º a 31 de dezembro, 100 pessoas mostram o dia a dia convivendo com portadores do vírus em Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte (MG). Os trabalhos são resultado de capacitação profissional em fotografia, do projeto Positivo na Lata, coordenado pelo Instituto Bogea de Educação, Esporte e Música.

Números
No Dia Mundial de Luta Contra a Aids, serão divulgados pelo Ministério da Saúde os números da doença no Brasil em 2014, e a expectativa é que as ações de prevenção e de testagens rápidas, por meio da saliva, tenham colaborado para manter o País em condições de alcançar a meta internacional — testar 90% das pessoas diagnosticadas, colocar 90% delas em tratamento e conseguir tornar a carga viral insignificante em 90% dos casos. Segundo o órgão do governo federal, faltam 11% para isso ocorrer.

Em 2014, Brasília registrou 589 casos de pessoas infectadas pelo vírus HIV e 409 que desenvolveram a aids. A diferença dos números indica que cada vez mais o diagnóstico precoce é realidade na capital do País, o que permite iniciar o tratamento antes de a doença se desenvolver. Há 11 centros públicos de referência em todo o DF.

Brasília foi uma das primeiras unidades da Federação a implementar a diferenciação dos casos de aids dos de HIV (infectados, mas não doentes). Isso ocorreu em 2009 e, a partir de 2013, tornou-se uma norma nacional.

Tratamento
O tratamento é garantido pelo governo federal com o fornecimento de 22 medicamentos para pacientes soropositivos (11 nacionais e 11 importados). Quem entrou em contato com alguma forma de contaminação deve procurar um dos centros de referência da rede pública ou qualquer hospital ou posto de saúde, para ter as orientações sobre o teste e iniciar o tratamento, se for o caso. “O exame detecta a presença do vírus depois de 30 dias do possível contágio. Portanto, não adianta ir ao hospital no dia seguinte”, explica o gerente de doenças sexualmente transmissíveis da Secretaria de Saúde do DF, Sérgio D’Ávila.

Pessoas que sofreram violência sexual e profissionais da área de saúde têm direito ao tratamento de profilaxia pós-exposição. No primeiro caso, a vítima deve registrar a ocorrência em delegacia de polícia e, de lá, será encaminhada para o tratamento. Médicos, enfermeiros e outros profissionais de saúde que tiverem contato com material contaminado devem dirigir-se ao núcleo de controle de infecções da unidade em que atua. Os funcionários da rede privada devem procurar a pública para iniciar o tratamento que dura 28 dias com medicação e mais 3 meses de acompanhamento.

Formas de contágio
A aids é uma doença desenvolvida por pessoas infectadas pelo vírus HIV. Ele está presente no sangue, no sêmen, na secreção vaginal e no leite materno. O contágio pode ocorrer de várias maneiras, como lista o Ministério da Saúde: sexo sem camisinha; de mãe infectada para o filho durante a gestão, o parto ou a amamentação; uso da mesma seringa ou agulha por mais de uma pessoa; transfusão de sangue contaminado; e instrumentos cortantes não esterilizados. O preservativo está disponível na rede pública de saúde.

Ações em alusão ao Dia Mundial de Luta Contra a Aids

29 de novembro
Até as 21 horas
Testes rápidos
No Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek

1º de dezembro
Das 9 às 12 horas
Ação educativa
No Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua — 903 Sul

Das 9 às 18 horas
Testes rápidos
Na Estação Central do Metrô, na Rodoviária do Plano Piloto

Das 9 às 18 horas
Distribuição de preservativos e materiais informativos
No Campus Darcy Ribeiro da Universidade de Brasília (UnB)

De 1º a 4 de dezembro
Das 8 às 12 e das 14 às 18 horas
Intensificação no número de testes
No Centro de Testagem e Aconselhamento — Rodoviária do Plano Piloto

Das 8 às 12 e das 13 às 17 horas
Testes e distribuição de preservativos
Nos Centros de Saúde nº 9, na 611 do Cruzeiro Novo; nº 11, na 905 Norte; nº 12, na entrequadra 208/408 Norte; e nº 13, na entrequadra 114/115 Norte

1º a 31 de dezembro
De terça a quinta, das 9 horas às 18h30
Exposição Positivo na Lata: Revelando a Vida
No Museu Nacional da República — Setor Cultural Sul, próximo à Rodoviária do Plano Piloto
Entrada gratuita

9 de dezembro
Das 9 às 11 horas
Testes rápidos
No Restaurante Comunitário da Cidade Estrutural — Quadra 14, Área Especial

Paula Oliveira e Dayane Oliveira, da Agência Brasília

Atualizado em 30/11/2015 – 11:14.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana