Curta nossa página

Governo entrega maternidade e UTI neonatal do HUB reformadas e com mais leitos

Publicado

Foto/Imagem:


A maternidade e a unidade de tratamento intensivo (UTI) neonatal do Hospital Universitário de Brasília (HUB) foram entregues oficialmente nesta quarta-feira (9) durante cerimônia no auditório da unidade de saúde. Nos últimos dois anos, os espaços passaram por ampliação e reformas. Houve também investimento no parque tecnológico, aquisição de mobília nova, contratação de profissionais e mudanças na gerência.

O número de leitos para gestantes de alto risco subiu de oito para 12 e foram criados outros três para o mãe canguru — método de humanização em que a mãe coloca o bebê na posição vertical, sobre seu peito. O local conta ainda com mais 17 leitos pós-parto, totalizando 32.

De acordo com dados do HUB, são feitos em média 150 partos de alta complexidade por mês. O aumento é de 90% em relação a 2014. Os banheiros foram reformados, os quartos ganharam camas novas para as pacientes e poltronas para os acompanhantes. Outra novidade é a presença de acompanhantes nas etapas de pré-parto, parto e pós-parto.

Para o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, que estava acompanhado da esposa, Márcia Rollemberg, a maternidade é o ambiente mais nobre de um hospital. “No momento em que ampliamos essa capacidade de assistência, temos melhores condições de formar profissionais que serão fundamentais para melhorar a qualidade de saúde pública em Brasília e no Brasil.”

Durante a solenidade, foram homenageados alguns profissionais do hospital, como a médica Elenice Maria Ferraz, que dá nome à maternidade. Estavam presentes também o secretário de Saúde, Fábio Gondim; o ministro da Educação, Aloizio Mercadante; o secretário- executivo da pasta, Luiz Cláudio Costa; o reitor da Universidade de Brasília, Ivan Marques de Toledo Camargo; o superintendente do HUB, Hervaldo Sampaio Carvalho; e o presidente da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, Newton Lima Neto.

UTI
Na UTI neonatal são atendidos bebês frágeis, que nascem prematuros, com baixo peso ou que passam por alguma complicação no parto ou nos primeiros dias de vida. Assim como na maternidade, a quantidade de leitos na UTI subiu de oito para 12. Além disso, foram adquiridos equipamentos como respiradores, incubadoras de parede dupla e berços aquecidos.

O hospital
Inaugurado em 1972 com o nome de Hospital do Distrito Federal Presidente Médici, em 1979 o local passou a ser administrado pela Universidade de Brasília (UnB), por meio de convênio com o antigo Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social.

Foi integrado à rede de serviços do Distrito Federal em 1987 e cedido à UnB três anos depois, quando teve o nome alterado para Hospital Universitário de Brasília. Hoje é gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, criada pelo governo federal para recuperar as unidades de saúde vinculadas às universidades federais.

Atualizado em 09/12/2015 – 13:53.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana