Curta nossa página

Dr. Marcio Dantas

Fisioterapia peniana: entenda de uma vez por todas do que se trata

Publicado

Fisioterapia peniana
Foto/Imagem: Freepik


Não é novidade que muitos homens estão insatisfeitos com o tamanho e/ou desempenho do pênis e procuram procedimentos médicos para aumentá-lo. Mesmo que a maioria deles já tenham um órgão de comprimento médio comum (13,1 cm, quando ereto), o aumento peniano continua sendo um dos grandes desejos da maioria dos homens por toda sua história.

Diante dessa alta procura, diversas opções começaram a surgir no mercado, desde as mais sérias até as mais enganosas. Entre as que são indicadas por médicos da área de sexualidade humana, está a fisioterapia peniana: um procedimento que se tornou mais popular após ser citado muitas vezes pelo cantor sertanejo Tiago em “A Fazenda 13” (RecordTV).

O que é fisioterapia peniana?

Nada mais é do que qualquer exercício muscular que trabalha a regeneração e o desenvolvimento do pênis. Há dois tipos de exercícios: os naturais e os artificiais. A alternativa mais natural da fisioterapia peniana já é muito conhecida pelo homem: a ereção.

O ato envolve o relaxamento da musculatura do pênis, ação principal que ajuda no tamanho, grossura e fisiologia do órgão. Não à toa, um homem costuma ter três ereções espontâneas durante a noite.

Exercitar a musculatura do pênis por meio da masturbação também é algo natural e muito importante. Além disso, o ato de manipular o próprio órgão traz empoderamento para o homem e isso o ajuda no desempenho sexual. Uma curiosidade é que essa é uma ação de natureza tão espontânea que já começa quando o bebê ainda está dentro do útero (intrauterina).

Já os exercícios de fisioterapia peniana realizados de forma artificial envolvem aplicações de tração por peso, trações por aparelhos, trações por vácuo, exercícios por estímulos elétricos e terapias de ondas de choque.

Quando é indicada?

Os casos mais comuns de indicações são para:

– Pacientes com baixa qualidade de ereção, principalmente a partir dos 40 anos;
– Micropênis;
– Pós operatório, para recuperação de cirurgias penianas.

O tratamento realizado com a fisioterapia peniana deve ser feito a partir da indicação de um profissional para que ele avalie a situação do paciente e possa recomendar os exercícios corretos.

Em revisão médica atualizada, o Dr. Marcio Dantas de Menezes produziu um e-book com pontos e contrapontos sobre o assunto. Clique aqui para baixar gratuitamente!

Benefícios

A prática regular da fisioterapia peniana pode ajudar os homens com suas ereções. Os exercícios são bons para o sistema circulatório, pois mantém o sangue fluindo suavemente por todo o corpo e isso é especialmente importante para as ereções.

Após a ejaculação, o sangue flui do pênis e volta para o resto do corpo. Sem esse fluxo sanguíneo adequado, podem ocorrer problemas de ereção. Em alguns casos, a reação é fraca. Em outros, o homem realmente não consegue ter.

Os exercícios também podem aumentar os níveis de testosterona e a confiança do homem, ajudar a manter o peso sob controle e reduzir a ansiedade. Inclusive, esses fatores podem afetar as ereções, bem como outros aspectos da saúde sexual.

Fisioterapia peniana x fisioterapia do assoalho pélvico

A principal diferença entre os dois tipos de fisioterapia é o local de aplicação e o objetivo. A fisioterapia do assoalho pélvico busca fortalecer a tonicidade da musculatura do assoalho pélvico. Já a fisioterapia peniana trabalha a regeneração e o desenvolvimento do pênis por meio de exercícios da sua musculatura.

É muito importante ressaltar que um tratamento complementa o outro, já que os músculos do assoalho pélvico sustentam os órgãos pélvicos, contribuindo para a excitação sexual e o orgasmo. Em conjunto, as duas técnicas criam uma sinergia que beneficia uma melhor qualidade de vida sexual. Inclusive, a ejaculação precoce também pode ser tratada por meio da fisioterapia pélvica.

Além dos benefícios para a saúde sexual, esse tipo de terapia ajuda no tratamento de incontinência, dificuldades para urinar ou evacuar, constipação, dor pélvica crônica e relações sexuais dolorosas.

Atualizado em 15/12/2021 – 13:10.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana