Curta nossa página

Balanço da Saúde

Distrito Federal inicia o ano com cobertura de 63,73% de Saúde da Família

Redação
Mariana Damaceno e Samira Pádua

Brasília começou 2018 com cobertura de 63,73% de Estratégia Saúde da Família. O número é mais que o dobro registrado em fevereiro de 2017 (30,23%), quando foi alterada a Política de Atenção Primária à Saúde no Distrito Federal.

Das 166 unidades básicas de saúde (UBS) convencionais, 143 já atuam exclusivamente no novo modelo.

“Promovemos a capacitação de um grande número de profissionais em saúde da família, reorganizamos as equipes e aperfeiçoamos os processos de trabalho”, disse o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, em balanço apresentado no fim do ano.

De acordo com ele, a expectativa é que em junho deste ano a cobertura chegue a 70%. “Nomeamos mais médicos de família e realocamos os profissionais que decidiram não aderir à mudança. Na atenção primária está a chave da organização da rede de saúde.”

Os servidores foram capacitados sobre temas gerais da estratégia e assistiram a módulos com conteúdo relacionado à saúde da criança e da mulher e a doenças como diabetes e hipertensão. Atuam dentro da nova metodologia 506 equipes — em fevereiro de 2017, eram 240.

A Estratégia da Saúde da Família é baseada em equipes multiprofissionais, que trabalham em unidades básicas de saúde e são responsáveis pela população de uma área geográfica delimitada.

O grupo proporciona atenção integral ao paciente, com fortalecimento do vínculo, foco na pessoa e alta resolutividade.

Reorganização da rede a partir da atenção primária

A partir do fortalecimento da atenção primária, a Secretaria de Saúde já reorganiza o acesso às urgências e emergências.

“A reestruturação permitirá que os hospitais e prontos-socorros cumpram a vocação de atender a urgências, emergências e casos mais graves, evitando que a demora no atendimento possa causar danos aos pacientes”, explicou Humberto Fonseca, ao analisar que o processo é indispensável, mas não é fácil nem imediato.

Também está sendo estruturada a rede de atenção secundária, com um conjunto de equipamentos que complementará o atendimento nas unidades básicas de saúde. Em dezembro, o governo inaugurou o Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão, um dos espaços que passou a integrar a rede.

4,3 mil servidores ingressaram na Saúde desde 2015

Desde 2015, 4,3 mil profissionais aprovados em concurso tomaram posse na Secretaria de Saúde. Só em 2017, foram 1.476, a maior parte técnicos em saúde (891), como em enfermagem.

Isso possibilitou, por exemplo, abrir leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) que estavam fechados por falta de pessoal e fortalecer o atendimento das unidades de internação.

O cadastro de reserva de médicos aprovados no concurso de 2014 foi zerado, e, com a ampliação da carga horária dos profissionais e com essas nomeações, a pasta de Saúde avalia que tem conseguido suprir a carência de servidores.

Estruturação do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal

Outro importante passo no último ano foi a estruturação do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal, aprovada na Câmara Legislativa em junho. A sanção da lei pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ocorreu no mês seguinte.

Dados da Secretaria de Saúde apontam que cerca de 85% dos servidores do Hospital de Base resolveram permanecer na unidade, que passará a ser um serviço social autônomo, gerido pelo instituto, conforme a Lei nº 5.899, de 2017.

Os servidores tiveram de julho até 28 de dezembro para responder ao formulário de manifestação de interesse para serem ou não remanejados.

Pagamento de dívidas e economia em licitações

Avanços nos processos de contratação na administração direta também foram possíveis com a elaboração de manuais voltados ao tema na Secretaria de Saúde.

“Esperamos melhorar a qualidade e o controle das nossas compras e diminuir a burocracia nos pagamentos, melhorando os fluxos e atraindo os fornecedores, que são importantes parceiros da saúde”, destacou o secretário Humberto Fonseca.

Além disso, mudanças no entendimento do Ministério da Saúde em relação à utilização dos blocos de financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) permitiram, de acordo com Fonseca, o pagamento de mais de R$ 150 milhões em dívidas da gestão anterior.

Para o secretário, o não cumprimento dessas obrigações dificultava os processos licitatórios.

Quanto às licitações, os números mostram economia de mais de R$ 300 milhões em 2017.

Houve, ainda, a compra e a distribuição de 6 mil equipamentos para atenção primária e contratações em áreas que havia algum tempo não eram feitas, a exemplo de telefonia, internet, home care, órteses e próteses, lavanderia e vigilância.

Fila para mamografia está zerada

Chegou ao fim a fila para mamografia na rede pública do DF, e a espera pela radioterapia reduziu: passou de mais de mil para menos de 300 pessoas.

No começo de 2017, o governo de Brasília firmou contrato para formalizar a participação do Hospital Universitário de Brasília na Rede de Atenção à Saúde do Distrito Federal.

Em novembro, a unidade recebeu um acelerador linear, usado para o tratamento de radioterapia em pacientes com câncer. O equipamento de última geração foi doado pelo Ministério da Saúde.

As obras para instalação de mais um acelerador linear no DF, desta vez no Hospital Regional de Taguatinga, devem ser iniciadas neste ano.

Também para ampliar o acesso à saúde de pacientes com câncer no Distrito Federal, o governo de Brasília entregou à Caixa Econômica Federal o projeto de implementação do Hospital de Especialidades Cirúrgicas e Centro Oncológico de Brasília.

Hospital da Criança tem obras avançadas

O último ano também foi marcado por avanços nas obras do Bloco 2 do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, que no fim de novembro estavam 91% executadas.

Com 21 mil metros quadrados, o Bloco 2 terá em dois pavimentos:

  • 202 leitos — 164 para internação e 38 para unidade de terapia intensiva (UTI) e cuidados intermediários
  • 67 consultórios ambulatoriais
  • Centro cirúrgico
  • Centro de diagnóstico especializado
  • Centro de ensino e pesquisa
  • Laboratórios de análises clínicas e hematologia
  • Unidade administrativa
  • Área de apoio
  • Serviços de hemodiálise, hemoterapia e quimioterapia

Acordos de gestão para modernizar o atendimento na saúde

Para descentralizar a administração e modernizar o atendimento na saúde pública, representantes da secretaria assinaram um acordo de gestão regional.

“Com esse modelo, teremos descentralização administrativa, com compartilhamento de responsabilidades e gestão baseada em resultados, em linha com a mais atual tendência de administração da saúde pública. Foram pactuados 66 indicadores, que serão acompanhados pela nossa equipe de planejamento”, destacou Fonseca.

Outras ações de destaque ressaltadas pelo secretário de Saúde são:

  • Abertura do primeiro Ambulatório Trans do DF
  • Inauguração do Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
  • Encontro com secretários de Saúde de regiões do Entorno do DF
  • Parcerias firmadas com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para melhoria da gestão pública na saúde
  • Inauguração da farmácia de alto custo do Gama
  • Inauguração do primeiro posto de vacinação de Águas Claras
  • Nomeações de novos servidores para a Fundação Hemocentro de Brasília
  • Fortalecimento de ações de voluntariado
  • Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, febre chikungunya e zika vírus
  • Mostra de Experiências Inovadoras do SUS
  • A entrega, em dezembro, de 23 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a nomeação de clínicos para completar as escalas das unidades avançadas, seguros de veículos e novas bases para o serviço

“Teremos, para 2018, além da consolidação do que iniciamos em 2017, projetos importantes, como a estruturação da atenção secundária, a mudança do modelo obstétrico, com os centros de parto normal, projetos na área de eficiência energética”, elenca Humberto Fonseca.

Publicidade
Comments

Cidades

Codhab entrega 80 escrituras para moradores de Planaltina

Redação

em

Publicado por

Dênio Simões/Agência Brasília

A Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) entregou mais 80 escrituras a moradores de Planaltina neste sábado (15). A cerimônia ocorreu no estacionamento da administração regional.

Com isso, o governo alcança a marca de 63.514 documentos distribuídos no Distrito Federal desde 2015.

Somente em Planaltina, já foram liberadas 7,8 mil escrituras. Elas são fornecidas gratuitamente a pessoas com renda de até três salários mínimos.

O governador agradeceu o carinho da população de Planaltina. “Sei que esperaram por isso há muitos anos. Mas valeu a pena a espera. Hoje vocês recebem a escritura registrada no cartório já com a certidão de ônus”.

Moradora de Planaltina desde 1987, Jovelina Miotto de Moura, de 76 anos, agradeceu a entrega do documento. “Foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. Essa escritura representa a segurança que eu tanto esperava”, contou ela.

O diretor-presidente da Codhab, Gilson Paranhos, ressaltou o compromisso que Rollemberg firmou e cumpriu com a regularização fundiária. “Ontem recebemos o maior prêmio de regularização fundiária do País, concedido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil. Isso é resultado do trabalho conjunto do governo”.

Ele ainda comentou que a revista Projeto, de São Paulo, citou o nome do governador de Brasília como responsável pela maior e melhor experiência de regularização fundiária do País.

A regularização das propriedades faz parte do Lote Legal, uma das frentes de atuação do Habita Brasília, programa que tem como objetivo proporcionar moradia digna aos cidadãos.

O Habita Brasília leva em conta o planejamento das cidades e o combate à grilagem de terras na capital do País.

Continuar lendo

Cidades

Governo aumenta vagas para acolher dependentes químicos

Redação

em

Publicado por

Pixabay

O governo do Distrito Federal ampliou de 300 para 400 as vagas para atendimentos a dependentes químicos em instituições conveniadas.

O termo de colaboração com 13 comunidades terapêuticas foi assinado neste sábado (15) pela Secretaria de Justiça e Cidadania.

Com o acordo firmado, as vagas serão ofertadas gratuitamente para acolhimento, abrigo e tratamento de pessoas com transtornos decorrentes do uso ou da dependência de substâncias psicoativas.

A assinatura ocorreu na Fazenda Esperança Santa Bakhita, em Brazlândia, e contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg.

Para ele, o evento é de grande simbolismo de uma luta importante. “Sabemos da gravidade do problema. E o que fico feliz é que criamos a base dessa política pública. Para que ela possa acolher muito mais gente”, enfatizou o governador.

No evento, também foi anunciada a isenção de tributos para as comunidades terapêuticas.

O atendimento poderá ser por internação, em regime de residência, que será custeado com recursos do Fundo Antidrogas do DF, geridos pelo Conselho de Política sobre Drogas (Conen-DF).

Serão investidos R$ 24 milhões para 60 meses de colaboração. O custo por vaga ficará em R$ 1 mil, conforme portaria do Ministério da Saúde.

Poderão ser atendidos homens e mulheres entre 18 e 60 anos pelo período de 3 a 12 meses.

O encaminhamento é feito pelos Centros de Atenção Psicossocial (CAPs) ou por direcionamento das redes de saúde pública ou privada.

As comunidades terapêuticas foram selecionadas por meio de edital de chamamento público.

O convênio integra, pela primeira vez, a política pública de enfrentamento a drogas ao Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil.

Casas terapêuticas conveniadas

Despertai
Quadra 10, Casa 8, Setor Tradicional, Brazlândia (DF)

Fazenda Esperança Santa Bakhita
BR-080, Chácara 3/336 E, Incra 7, Brazlândia (DF)

Renovando a Vida 
Núcleo Rural Alexandre Gusmão, Gleba 3, Ceilândia (DF)

Abba Pai
CNR1, Conjunto 1, Núcleo Rural Monjolinho, Ceilândia Norte (DF)

Salve a Si
Fazenda Lages, Estrada do Córrego Lages, Sítio Gleba nº 9, Cidade Ocidental (GO)

Criação de Deus
Colônia Agrícola Águas Claras, Chácara 22, lote 01, Guará Parque (DF)

Desafio Jovem de Brasília
Comunidade Terapêutica Rancho da Paz, Chácara 13, Núcleo Rural Taquara, Planaltina (DF)

Associação Beneficente Caverna de Adulão 
Núcleo Rural Córrego do Atoleiro, Chácara 11, Planaltina (GO)

Novo Tempo
Núcleo Rural Vargem da Bênção, Chácara 20, Samambaia (DF)

Amai – Casa do Sol Azul
Quadra 206, Lote 2, Santa Maria (DF)

Mar Vermelho
Quadra 45 A, Conjunto D, Chácara 2. Morro do Sansão, Sobradinho II (DF)

Bom Samaritano – Manaaim
QNC 5/6 Área Especial 18, Taguatinga Norte (DF)

Instituto Crescer
Rua 10, Chácara 118, Vicente Pires (DF)

Continuar lendo

Cidades

Conheça os benefícios do cartão pré-pago do BRB para viagens

Redação

em

Publicado por

Arte/AVB

O Banco de Brasília disponibiliza aos seus clientes o cartão Multi Moeda Cash Passport Mastercard. Trata-se de um dos melhores meios de pagamento existentes atualmente para quem vai viajar para o exterior, devido à praticidade e segurança.

Muitos clientes possuem dúvidas a respeito da aquisição e do uso do cartão pré-pago para viagem internacional. Por isso, o Banco de Brasília esclarece as principais dúvidas dos usuários a respeito do produto.

1. O que é o cartão Multi Moeda Cash Passport Mastercard?

É um cartão pré-pago internacional para uso em viagens ao exterior, ou seja, é um cartão em que o cliente aporta os seus recursos antes da utilização. Esse cartão aceita até seis tipos de moedas estrangeiras ao mesmo tempo: dólar americano, canadense, neozelandês, australiano, euro e libra.

No BRB, o cartão pode ser carregado nos 10 pontos de atendimento que oferecem o serviço de câmbio: agências JK, Millenium Capital, Parkshopping, Conjunto Nacional, Central, Buriti, HDB, Taguatinga Centro, Lago Norte e Lago Sul.

O cliente deve adquirir o cartão antes da viagem, comparecendo em qualquer um dos pontos de atendimento acima. Durante a viagem no exterior, poderá recarregá-lo por meio do BRB Telebanco.

2. Como adquirir o cartão pré-pago para viagem internacional?

O cartão pode ser adquirido presencialmente, nas agências do BRB que possuem Serviço de Câmbio, onde o cliente já retira o cartão na hora.

3. Se a compra for realizada na agência, a emissão do cartão pré-pago internacional é na hora?

Sim. O cartão adquirido em qualquer uma das 10 agências do BRB que operam com o câmbio é retirado no momento da aquisição. O cliente sai da agência portando o cartão pré-pago de viagem, devidamente habilitado e pronto para o uso.

4. O cartão pré-pago para viagem internacional é aceito em todos os países por meio do dólar?

O cartão é amplamente aceito no mundo. Apenas alguns países não o aceitam. São eles, no momento: Irã, Coreia do Norte, Sudão, Síria e Crimeia.

A moeda do cartão não ocasiona diferença na aceitação, isto é, se o país não tiver restrição de negociação em outras moedas e o cliente tiver saldo, conseguirá usar o meio de pagamento normalmente, em qualquer país, independentemente da moeda que tenha carregado ou da moeda local do país a ser visitado.

5. Como transferir dinheiro de uma moeda para outra durante a viagem?

O cartão oferece a possibilidade de transferência de valores pelo site da Cash Passport (com uma taxa de 5,00% em relação ao valor da conversão). Também é possível entrar em contato, por telefone, com a operadora do cartão, a MasterCard, e solicitar que a conversão seja realizada (neste caso, a taxa aplicada é de 5,50%).

6. Como acompanhar o saldo do cartão pré-pago para viagem internacional?

Através do aplicativo ou do site da Cash Passport Mastercard.

7. Qual o prazo para a moeda de uma recarga ser liberada no cartão pré-pago para viagem internacional?

O prazo é até o fim do dia da solicitação da operação.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana