Curta nossa página

Cidades

Distrito Federal inicia o ano com cobertura de 63,73% de Saúde da Família

em

Brasília começou 2018 com cobertura de 63,73% de Estratégia Saúde da Família. O número é mais que o dobro registrado em fevereiro de 2017 (30,23%), quando foi alterada a Política de Atenção Primária à Saúde no Distrito Federal.

Das 166 unidades básicas de saúde (UBS) convencionais, 143 já atuam exclusivamente no novo modelo.

“Promovemos a capacitação de um grande número de profissionais em saúde da família, reorganizamos as equipes e aperfeiçoamos os processos de trabalho”, disse o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, em balanço apresentado no fim do ano.

De acordo com ele, a expectativa é que em junho deste ano a cobertura chegue a 70%. “Nomeamos mais médicos de família e realocamos os profissionais que decidiram não aderir à mudança. Na atenção primária está a chave da organização da rede de saúde.”

Os servidores foram capacitados sobre temas gerais da estratégia e assistiram a módulos com conteúdo relacionado à saúde da criança e da mulher e a doenças como diabetes e hipertensão. Atuam dentro da nova metodologia 506 equipes — em fevereiro de 2017, eram 240.

A Estratégia da Saúde da Família é baseada em equipes multiprofissionais, que trabalham em unidades básicas de saúde e são responsáveis pela população de uma área geográfica delimitada.

O grupo proporciona atenção integral ao paciente, com fortalecimento do vínculo, foco na pessoa e alta resolutividade.

Reorganização da rede a partir da atenção primária

A partir do fortalecimento da atenção primária, a Secretaria de Saúde já reorganiza o acesso às urgências e emergências.

“A reestruturação permitirá que os hospitais e prontos-socorros cumpram a vocação de atender a urgências, emergências e casos mais graves, evitando que a demora no atendimento possa causar danos aos pacientes”, explicou Humberto Fonseca, ao analisar que o processo é indispensável, mas não é fácil nem imediato.

Também está sendo estruturada a rede de atenção secundária, com um conjunto de equipamentos que complementará o atendimento nas unidades básicas de saúde. Em dezembro, o governo inaugurou o Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão, um dos espaços que passou a integrar a rede.

4,3 mil servidores ingressaram na Saúde desde 2015

Desde 2015, 4,3 mil profissionais aprovados em concurso tomaram posse na Secretaria de Saúde. Só em 2017, foram 1.476, a maior parte técnicos em saúde (891), como em enfermagem.

Isso possibilitou, por exemplo, abrir leitos de unidade de terapia intensiva (UTI) que estavam fechados por falta de pessoal e fortalecer o atendimento das unidades de internação.

O cadastro de reserva de médicos aprovados no concurso de 2014 foi zerado, e, com a ampliação da carga horária dos profissionais e com essas nomeações, a pasta de Saúde avalia que tem conseguido suprir a carência de servidores.

Estruturação do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal

Outro importante passo no último ano foi a estruturação do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal, aprovada na Câmara Legislativa em junho. A sanção da lei pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ocorreu no mês seguinte.

Dados da Secretaria de Saúde apontam que cerca de 85% dos servidores do Hospital de Base resolveram permanecer na unidade, que passará a ser um serviço social autônomo, gerido pelo instituto, conforme a Lei nº 5.899, de 2017.

Os servidores tiveram de julho até 28 de dezembro para responder ao formulário de manifestação de interesse para serem ou não remanejados.

Pagamento de dívidas e economia em licitações

Avanços nos processos de contratação na administração direta também foram possíveis com a elaboração de manuais voltados ao tema na Secretaria de Saúde.

“Esperamos melhorar a qualidade e o controle das nossas compras e diminuir a burocracia nos pagamentos, melhorando os fluxos e atraindo os fornecedores, que são importantes parceiros da saúde”, destacou o secretário Humberto Fonseca.

Além disso, mudanças no entendimento do Ministério da Saúde em relação à utilização dos blocos de financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS) permitiram, de acordo com Fonseca, o pagamento de mais de R$ 150 milhões em dívidas da gestão anterior.

Para o secretário, o não cumprimento dessas obrigações dificultava os processos licitatórios.

Quanto às licitações, os números mostram economia de mais de R$ 300 milhões em 2017.

Houve, ainda, a compra e a distribuição de 6 mil equipamentos para atenção primária e contratações em áreas que havia algum tempo não eram feitas, a exemplo de telefonia, internet, home care, órteses e próteses, lavanderia e vigilância.

Fila para mamografia está zerada

Chegou ao fim a fila para mamografia na rede pública do DF, e a espera pela radioterapia reduziu: passou de mais de mil para menos de 300 pessoas.

No começo de 2017, o governo de Brasília firmou contrato para formalizar a participação do Hospital Universitário de Brasília na Rede de Atenção à Saúde do Distrito Federal.

Em novembro, a unidade recebeu um acelerador linear, usado para o tratamento de radioterapia em pacientes com câncer. O equipamento de última geração foi doado pelo Ministério da Saúde.

As obras para instalação de mais um acelerador linear no DF, desta vez no Hospital Regional de Taguatinga, devem ser iniciadas neste ano.

Também para ampliar o acesso à saúde de pacientes com câncer no Distrito Federal, o governo de Brasília entregou à Caixa Econômica Federal o projeto de implementação do Hospital de Especialidades Cirúrgicas e Centro Oncológico de Brasília.

Hospital da Criança tem obras avançadas

O último ano também foi marcado por avanços nas obras do Bloco 2 do Hospital da Criança de Brasília José Alencar, que no fim de novembro estavam 91% executadas.

Com 21 mil metros quadrados, o Bloco 2 terá em dois pavimentos:

  • 202 leitos — 164 para internação e 38 para unidade de terapia intensiva (UTI) e cuidados intermediários
  • 67 consultórios ambulatoriais
  • Centro cirúrgico
  • Centro de diagnóstico especializado
  • Centro de ensino e pesquisa
  • Laboratórios de análises clínicas e hematologia
  • Unidade administrativa
  • Área de apoio
  • Serviços de hemodiálise, hemoterapia e quimioterapia

Acordos de gestão para modernizar o atendimento na saúde

Para descentralizar a administração e modernizar o atendimento na saúde pública, representantes da secretaria assinaram um acordo de gestão regional.

“Com esse modelo, teremos descentralização administrativa, com compartilhamento de responsabilidades e gestão baseada em resultados, em linha com a mais atual tendência de administração da saúde pública. Foram pactuados 66 indicadores, que serão acompanhados pela nossa equipe de planejamento”, destacou Fonseca.

Outras ações de destaque ressaltadas pelo secretário de Saúde são:

  • Abertura do primeiro Ambulatório Trans do DF
  • Inauguração do Centro Especializado em Diabetes, Obesidade e Hipertensão
  • Encontro com secretários de Saúde de regiões do Entorno do DF
  • Parcerias firmadas com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) para melhoria da gestão pública na saúde
  • Inauguração da farmácia de alto custo do Gama
  • Inauguração do primeiro posto de vacinação de Águas Claras
  • Nomeações de novos servidores para a Fundação Hemocentro de Brasília
  • Fortalecimento de ações de voluntariado
  • Ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, febre chikungunya e zika vírus
  • Mostra de Experiências Inovadoras do SUS
  • A entrega, em dezembro, de 23 novas ambulâncias para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a nomeação de clínicos para completar as escalas das unidades avançadas, seguros de veículos e novas bases para o serviço

“Teremos, para 2018, além da consolidação do que iniciamos em 2017, projetos importantes, como a estruturação da atenção secundária, a mudança do modelo obstétrico, com os centros de parto normal, projetos na área de eficiência energética”, elenca Humberto Fonseca.

Continuar lendo
Publicidade
Comments

Cidades

Alunos começam a receber cartões do Passe Livre Estudantil

em

Publicado por

Dênio Simões/Agência Brasília

Setenta cartões do Passe Livre Estudantil foram entregues nesta quinta-feira (21) à direção do Centro de Ensino Médio 3 de Ceilândia e começaram a ser repassados aos estudantes na manhã de hoje.

A ação obedece à portaria conjunta da Secretaria de Educação e do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) publicada no início da semana. Com a medida, alunos da rede pública com direito ao benefício receberão o cartão +Estudante diretamente nas unidades de ensino.

“Isso facilitará muito a vida do estudante, que não precisará se deslocar até um posto de entrega, enfrentar filas”, destacou o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho.

De acordo com o diretor-geral do DFTrans, Marcos Tadeu de Andrade, 140 era o número inicial de cartões destinados ao Centro de Ensino Médio 3, no entanto, o cruzamento de dados permitiu verificar incoerência em metade deles.

Foi identificado que 70 cartões cadastrados no site são de alunos que não estão registrados na escola.

“Vamos averiguar essa questão, mas isso mostra que esse processo, ao mesmo tempo em que estabelece a eficiência de levar o cartão para a escola, estabelece também um controle mais efetivo”, pontuou.

Como funciona a entrega dos cartões nas escolas

O DFTrans encaminha os cartões prontos para serem ativados às 14 coordenações regionais de ensino de Brasília. Eles são entregues em pacotes separados por unidades de ensino, turno, série/ano e turmas, e de lá seguem para as direções das escolas.

Ao receber, os estudantes devem acessar o site do Passe Livre, escolher a opção +Estudante, clicar em Liberar cartão e informar os dados solicitados para ativar o benefício. O cartão será validado quando for utilizado pela primeira vez no transporte público.

Os estudantes têm até 20 dias para retirar os cartões depois que forem entregues nas respectivas coordenações. Passado esse prazo, os documentos serão devolvidos para o DFTrans.

Alunos com 16 anos de idade ou mais devem assinar um recibo de entrega. Os outros precisam de assinatura de representante legal anexada ao recibo.

Quem ainda não tem o benefício da gratuidade no transporte público do DF pode se cadastrar no site do Passe Livre Estudantil.

Continuar lendo

Cidades

Veja o que abre e o que fecha no segundo jogo do Brasil na Copa

em

Publicado por

Reprodução/Google Imagens

Devido aos jogos da seleção brasileira de futebol na Copa do Mundo 2018, órgãos do governo de Brasília terão expediente diferenciado, de acordo com decreto publicado em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal, de 7 de junho.

Nos dias em que os jogos ocorrerem pela manhã, como é o caso do segundo jogo do Brasil, nesta sexta-feira (22), contra a Costa Rica, às 9 horas, o expediente terá início às 14 horas.

Porém, alguns pontos turísticos e serviços públicos seguirão outros horários. O Jardim Zoológico, por exemplo, funcionará normalmente, sem interrupções. Já o Memorial dos Povos Indígenas e Banco Regional de Brasília abrirão um pouco mais cedo do que o decretado — às 13 horas.

Todas as emergências dos hospitais e unidades de pronto-atendimento (UPAs) funcionam normalmente, independentemente do dia da semana ou de datas comemorativas.

BRB
As agências do Banco de Brasília (BRB) e as unidades do BRB Conveniência estarão fechadas durante a manhã de sexta-feira (22). Elas abrirão das 13 às 17 horas.

Detran-DF
Os postos de atendimento do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) funcionarão das 14 às 18 horas. Fiscalizações serão feitas normalmente.

Hemocentro
A Fundação Hemocentro de Brasília funcionará conforme decreto, das 14 às 18 horas.

A instituição fica no Setor Médico-Hospitalar Norte, Quadra 3, Conjunto A, Bloco 3 (Asa Norte). Agendamento e pedido de mais informações podem ser feitos pelo telefone 160, opção 2.

Na Hora
O atendimento dos postos do Na Hora começará das 14 às 18 horas.

Saúde
Emergências e unidades de pronto-atendimento (UPAs) funcionarão normalmente. Ambulatórios e unidades básicas de saúde (UBS) não abrirão no turno em que ocorrer o jogo, funcionarão a partir das 14 horas. Farmácias de componentes especializados (alto custo) seguem a mesma regra.

Segurança
Na sexta-feira (22), as delegacias circunscricionais da Polícia Civil funcionarão a partir das 14 horas. As Centrais de Flagrante funcionam 24 horas por dia. A delegacia eletrônica e o telefone 197 ficarão disponíveis.

Metrô-DF
Na sexta-feira (22), o metrô vai operar com 15 trens e 3 reservas nos terminais pela manhã. Das 12 às 14 horas, aumentará para 20 o número de trens em circulação.

DFTrans
Os ônibus seguirão a tabela normal de dia útil, inclusive com os usuais reforços em horários de pico. Além disso, das 12 às 14 horas, vão circular com o mesmo reforço de frota usado durante o período mais movimentado da manhã.

Catetinho
O funcionamento será das 14 às 17 horas.

Jardim Botânico
Funcionará com horário diferenciado, das 14 às 17 horas. A entrada custa R$ 5 por pessoa. Crianças de até 12 anos, idosos (acima de 60 anos) e pessoas com deficiência não pagam ingresso. De terça a domingo, das 7 horas às 8h50, é permitida a entrada sem cobrança de ingresso somente a pedestres e ciclistas.

Jardim Zoológico
Abre normalmente, das 8h30 às 17 horas.

A entrada custa R$ 10. Crianças de 6 a 12 anos, estudantes, idosos (acima de 60 anos), professores e beneficiários de programas sociais do governo pagam meia. Para crianças com até 5 anos e pessoas com deficiência, o ingresso é gratuito.

Memorial dos Povos Indígenas
Abre das 13 às 17 horas.

Museu Nacional
Funcionará com horário diferenciado, das 14 horas às 18h30.

Museu Vivo da Memória Candanga
Abrirá das 14 às 17 horas.

Torre de TV
A visitação ao mirante está suspensa para manutenção. O mezanino e a feira de artesanato abrirão normalmente na sexta-feira (22), das 9 às 21 horas e das 9 às 18 horas, respectivamente.

Torre de TV Digital
A visitação está suspensa para manutenção.

Biblioteca Pública de Brasília
Na sexta (22), abrirá das 14 às 18 horas.

Biblioteca Nacional de Brasília
Funcionará das 14 às 20 horas.

Casa do Cantador
Funcionará a partir das 14 horas.

Centro Cultural Três Poderes
Abrirá das 14 às 18 horas.

Cine Brasília
Funcionará normalmente.

Continuar lendo

Cidades

Ibram promove campanha de vacinação antirrábica gratuita

em

Publicado por

Andre Borges/Agência Brasília

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) promove, no Hospital Veterinário Público, campanha de vacinação antirrábica gratuita para animais. A ação será de 26 a 29 de junho, das 9 às 16 horas, e faz parte das atividades do Junho Verde.

Para ser vacinado, o animal precisa estar saudável. É necessário levar a carteira de vacinação do bicho, se houver.

A raiva é causada pelo lyssavírus e ataca o sistema nervoso dos mamíferos — primeiramente, o sistema nervoso periférico e, na fase mais grave da doença, o central.

A transmissão se dá por meio da saliva e de secreções do animal infectado, principalmente por arranhadura ou mordedura.

Para quem foi mordido, a orientação é lavar imediatamente o ferimento com água e sabão em barra, procurar o centro de saúde mais próximo e comunicar a situação por meio do Disque Saúde (160).

Em seres humanos, o tempo entre a infecção e o aparecimento da doença varia de 7 a 10 dias. Alguns dos sintomas são convulsão, febre baixa, perda de função muscular, excitabilidade, agitação e ansiedade.

Hospital Veterinário Público de Brasília

Inaugurado em abril deste ano, o Hospital Veterinário Público tem 540 metros quadrados e foi construído pelo Ibram com recursos de compensação ambiental.

São oferecidos na unidade serviços gratuitos de clínica, cirurgias, exames laboratoriais e outros tratamentos em cães e gatos. A unidade não faz castração.

Continuar lendo
Brasília, 24 de junho de 2018

Publicidade
Publicidade
Publicidade