Fábrica Social

DF é pioneiro em curso público de instalação de sistema de energia solar

José Raimundo Seabra abriu a própria cooperativa especializada em placas fotovoltaicas. Foto: Tony Winston/Agência Brasília
Guilherme Pera

José Raimundo Seabra, de 47 anos, abriu, em maio, a Cooperativa de Energia Solar (CoopeSolar), especializada em energia elétrica. Entre outros serviços, ele instala placas solares, atividade que aprendeu na unidade 2 da Fábrica Social, no Setor Complementar de Indústria e Abastecimento.

“O curso da Fábrica Social foi um aprendizado muito grande. Agora, tenho uma profissão definida e que acredito que será o futuro do Brasil, já que, com escassez de água, a energia solar deve substituir a hidrelétrica”, disse Seabra, na visita do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, à Fábrica Social nesta quinta-feira (9).

Trata-se do primeiro curso público com aulas de instalação de placas solares e de manutenção do sistema fotovoltaico, que converte a luz solar em energia elétrica sustentável.

A iniciativa integra o programa Brasília Solar, que incentiva o uso da energia solar em escolas e prédios públicos do DF, além de impulsionar a qualificação profissional.

“O nosso objetivo agora é aliar isso com programas de financiamento, como o Prospera, para que essas pessoas tenham o recurso para comprar os equipamentos e exercer a profissão que aprenderam aqui”, disse Rollemberg.

Cinquenta e um alunos estão matriculados na atividade. É o terceiro módulo do curso desde que foi lançado, em novembro de 2016. Cada um tem duas turmas, uma no turno matutino e outra no vespertino. Setenta e duas pessoas já foram aprovadas no curso.

A utilização da energia solar é uma tendência mundial. “Especialmente em Brasília, onde temos muito sol na maior parte do ano”, avalia o governador. “Estamos contratando um estudo para que a área do lixão [que será desativado em janeiro de 2018] possa ser utilizada, por exemplo, para abrigar placas solares.”

Rollemberg acrescentou ainda que há empresas interessadas em instalar as placas na superfície de reservatórios hídricos, como do Descoberto. “Além de gerar energia, isso vai reduzir a evaporação de água”, disse.

O que é a Fábrica Social

A Fábrica Social tem como objetivo promover a inclusão socioprodutiva e difundir a economia solidária, por meio da educação profissional de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Há 636 alunos inscritos em cursos de formação profissional nas áreas:

  • Confecção de vestuário, acessórios e materiais esportivos
  • Construção civil
  • Produção e cultivo de alimentos saudáveis
  • Marcenaria criativa
Compartilhar