No limite

Crise hídrica: governo prorroga situação de emergência por 180 dias

Brasília - Lago da barragem de Santo Antonio do Descoberto, que abastece boa parte das cidades satélite da capital, está com o nível de água bem abaixo do esperado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Jade Abreu

Em virtude da crise hídrica no DF e do baixo volume dos reservatórios de água que abastecem a cidade, o governo de Brasília prorrogou a situação de emergência por mais 180 dias. O decreto com a determinação foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal desta segunda-feira (27).

Com a medida, permanecem as restrições para o uso de água potável da rede pública de abastecimento. O rodízio de abastecimento fica mantido para a rede domiciliar, comercial e industrial. Também continua restrito o consumo em atividades agropecuárias.

No lançamento do programa Cidades Limpas no Gama nesta manhã, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, destacou que a escassez hídrica deste ano foi muito intensa, o que ainda exige cuidados da administração pública.

“Ainda estamos numa situação crítica em relação ao abastecimento de água. Nosso principal reservatório está com apenas 7% da sua capacidade. Temos de continuar economizando.”

O decreto — que estabelecia 180 dias de situação emergencial — foi publicado pela primeira vez em janeiro deste ano. A medida terminaria em julho, mas o governo prorrogou o prazo por mais 120 dias e se encerraria em 18 de novembro.

Rollemberg ressaltou ações do governo para reforçar o abastecimento de água:

  • Construção de estações de captação e de tratamento de água
  • Retomada das obras de captação de água em Corumbá
  • Recuperação das nascentes na Bacia do Descoberto
  • Revitalização dos canais que reabastecem o Descoberto e também o canal Santos Dumont em Planaltina
  • Busca por financiamento internacional para fazer a tubulação desses canais
Compartilhar