Curta nossa página

Harmonização facial

Conheça alguns procedimentos estéticos que ajudam a adiar a cirurgia plástica

Redação


Muitas pessoas têm dúvidas de qual o melhor momento para se submeter a uma cirurgia plástica na região do rosto. Assim, acabam convivendo anos e anos com problemas que incomodam muito e atrapalham sua autoestima. Mas, os avanços dos tratamentos estéticos, e suas inúmeras possibilidades de aplicação, estão ajudando quem quer adiar a cirurgia plástica e conseguir ótimos resultados.

Segundo a cirurgiã-dentista, Ana Luiza Andrade, especialista em harmonização facial desde 2012, os tratamentos estão evoluindo com muita segurança e novas aplicabilidades. Hoje é possível, em grande parte dos casos, promover um ganho estético importante ao paciente. “Olheiras, bigode chinês, bichectomia, fio de sustentação, preenchimento, PRP, microagulhamento, redução de papada, podem ser tratados a nível ambulatorial, devolvendo ao rosto um aspecto belo e saudável”, explica.

Mas é claro que tudo deve ser avaliado com muito cuidado. “O paciente muitas vezes chaga ao consultório com ideias que não são indicadas para ele, e aí que pode estar o problema. Cada técnica tem uma função e alcança um determinado resultado, muitas podem ser aplicadas em conjunto, mas a pessoa, que faz qualquer tratamento, precisa realmente ter uma indicação para isso. A Bichectomia, por exemplo, só deve ser feita em pacientes com indicação e não de forma indiscriminada, só porque a pessoa quer um rosto mais fino. Tudo é um equilibro”, relata Ana Luiza.

Confira as técnicas:

Bichectomia – Um procedimento estético e ou funcional geralmente realizado em ambiente de consultório. É um procedimento estético e cirúrgico de pequeno porte que é realizado internamente na boca, com anestésico local, por meio de uma pequena incisão e que tem, por objetivo principal, a remoção de um acúmulo de gorduras das bochechas chamada de Bola de Bichat ou Corpo Adiposo de Bichat. “Uso a bichectomia naquelas pessoas que mordem constantemente as bochechas gerando aftas enormes e doloridas. Essa gordurinha tem uma função importante quando somos bebês: auxilia na sucção do leite materno. Passada essa fase, a gordura se mantém no rosto praticamente sem função. Mas vale ressaltar que a cirurgia é feita apenas para pacientes com indicação”, comenta a dentista.

Fios de sustentação – Eles têm sido utilizados com o objetivo de reposicionar a musculatura orofacial restabelecendo o seu posicionamento funcional e estético perdido ao longo dos anos por diversos fatores, como perda dos dentes, funções irregulares dos músculos da fala e de mastigação, perda dos tônus musculares causados pelo envelhecimento precoce ou natural, entre outros. Eles sustentam a musculatura, aumentam a produção de colágeno, melhorando assimetrias faciais e ou envelhecimento de face. É pouco invasivo, também feito em ambiente de consultório, com analgesia local.

Microagulhamento e Plasma Rico em Plaquetas – PRP – Os dois juntos são grandes aliados do cirurgião-dentista na harmonização facial. O Microagulhamento é uma opção de tratamento para várias disfunções estéticas da pele. O equipamento consiste em um rolo coberto por agulhas finas. É produzido em aço inoxidável cirúrgico e seu comprimento pode variar de 0,25mm a 2,5mm de diâmetro. O tratamento é realizado por meio da perfuração do estrato córneo, sem danificar a epiderme. “Esse processo permite a liberação de fatores do crescimento, que vão incentivar a produção de colágeno e elastina na derme papilar”, comenta a profissional.

Outra função da técnica é potencializar a permeação de princípios ativos cosmetológicos, uma vez que os microcanais facilitam a absorção do ativo, aumentando a penetração de moléculas maiores em até 80%. A ação combinada do microagulhamento e de ativos cosméticos pode potencializar os resultados desejados. É aqui que o PRP entra. Ele auxilia na cicatrização natural por conta dos vários fatores de crescimento.

“A técnica de microagulhamento se mostra eficaz em diversos tratamentos estéticos, seja pela permeação de ativos ou pela estimulação de colágeno, quando este é usado isoladamente. A associação da técnica com outros ativos proporciona a otimização dos resultados, sem contar a fácil aplicação”, conclui Ana Luiza.

Preenchedor – Ácido Hialurônico – O ácido hialurônico é uma importante substância utilizada na harmonização facial para melhorar aquelas regiões do rosto que parecem estar com algumas “depressões”, como o famoso bigode chinês. Pode ser aplicado, também, no preenchimento labial, correção de marcas de expressão, olheiras, entre outros.

Atualmente, também é muito utilizado para rinomodelação. O procedimento não-cirúrgico, permite uma modelação do nariz, deixando-o mais harmônico e equilibrado, corrigindo por exemplo a ponta do nariz caída, refinar o nariz, dando a aparência de mais estreito, ligeiras depressões e assimetrias que podem ocorrer após intervenção cirúrgicas.

“São necessárias de 3 a 4 sessões, mais ou menos, dependendo de cada caso. O método só pode ser aplicado quando já tiver ocorrido o crescimento completo da face. Comecei a trabalhar com rinomodelação há algum tempo, por isso acompanho os resultados alcançados e a total segurança do tratamento”, explica Ana Luiza.

Redução da Papada – A redução enzimática de papada (lipo de papada) é um procedimento de estética orofacial, minimamente invasivo, sem corte e sem dor, que visa reduzir medidas e acabar com a gordura localizada na região do pescoço. A Lipoplastia é uma lipoaspiração precedida da aplicação de um laser na região, que atua da seguinte forma:

  • Promove a lipólise, quebra da gordura, facilitando a retirada da gordura. Assim, a recuperação é mais rápida no pós-operatório.
  • Ajuda na cauterização dos vasos sanguíneos, o que diminui o sangramento e a presença de equimoses (manchas roxas) no pós-operatório.
  • A ação do laser na pele estimula a produção de colágeno. O processo inicia–se a partir da terceira semana depois da cirurgia e pode durar até 3 meses, levando a uma retração de pele, o que melhora a flacidez da região.
  • Quando aplicado no pós-operatório, o laser também ajuda a diminuir o inchaço da região.

Botox – A toxina foi aprovada para uso estético, em 2002, pela Food and Drug Administration (FDA), nos Estados Unidos. Ela atua bloqueando a liberação de um neurotransmissor chamado acetilcolina, que interfere na capacidade de contração muscular. “Eu consigo diminuir a contração muscular de alguns músculos que possam estar interferindo nas funções mastigatórias, bem como na estética do sorriso, o que ajuda a minimizar aquela expressão de ‘boca triste’ ”, explica Ana Luiza.

Publicidade
Comments

Cidades

Polícia Militar Ambiental facilitou a adoção de 250 cães e gatos

Redação

em

Publicado por

Duzentos e vinte cães e 30 gatos ganharam casa nova com a ajuda do Batalhão da Polícia Militar Ambiental desde junho deste ano, quando a corporação criou um grupo de WhatsApp para interessados em adotar animais resgatados após denúncias de maus-tratos.

Essas informações chegam aos policiais por meio do telefone (61) 99351-5736, administrador do grupo.

Desde 2017, o número também recebe comunicados de venda ilegal e de pedidos de resgate de bichos selvagens, exóticos ou domésticos.

Devido à quantidade elevada desse tipo de queixas, o batalhão percebeu que poderia fazer mais pelas espécies domésticas apreendidas com o auxílio da tecnologia.

Para entrar no grupo, basta enviar mensagem e pedir para ser adicionado.

O trâmite para a adoção funciona assim:

  • A denúncia é recebida — pode ser feita de forma anônima e sem necessidade de comparecer ao batalhão;
  • Os policiais vão até o local para apurar;
  • Caso seja identificado o crime, o infrator é responsabilizado, e os bichos são apreendidos;
  • Após a apreensão, se o animal precisar de cuidados, acionam-se veterinários e protetores voluntários de animais;
  • Fotos dos cachorros ou gatos são postadas no grupo;
  • O interessado busca o animal na sede do batalhão, dentro do Parque Ecológico de Águas Claras, e assina um termo de compromisso.

Por se tratar de apreensão após crime, é necessário que um juiz determine que o animal não volte para o antigo dono.

O subtenente Wilson José Oliveira ressalta um problema enfrentado pela corporação: quando a apreensão é de cães de raça, o processo para achar novos donos é rápido. Já para os cães sem raça definida (vira-latas), há dificuldade.

Esse é o caso de Guerreiro (foto). Apelidado pelos policiais, o cão está há dois meses no batalhão. Ele foi resgatado muito magro, sem água ou comida, preso embaixo de um caminhão. O dono o usava para “fazer barulho”, caso alguém chegasse perto do veículo, explica Oliveira, ao lembrar do momento da apreensão.

O subtenente acrescenta que não somente danos físicos — como cortes ou feridas abertas — são considerados maus-tratos.

Sancionado em 22 de maio deste ano, o Projeto de Lei nº 717 tipifica também atos que atentem contra a liberdade psicológica, comportamental, fisiológica, sanitária e ambiental dos bichos.

Animais abandonados também contam com ajuda

Animais domésticos abandonados ou perdidos, que não sofreram violência ou situação insalubre, não são resgatados pela Polícia Militar Ambiental por não se tratar de crime.

Ainda assim, pelo mesmo número de celular, os policiais ajudam a divulgar a situação e a achar interessados em adoção.

O subtenente alerta ainda que no período das festas de Natal e ano-novo, devido às viagens, vários animais são abandonados.

Para evitar que isso aconteça, Oliveira aconselha os donos a entrar nos grupos e buscar pessoas que oferecem lar temporário para os bichos.

Continuar lendo

Cidades

Parque de Águas Claras ganha mais 310 mil metros quadrados

Redação

em

Publicado por

Andre Borges/Agência Brasília

Os moradores de Águas Claras podem aproveitar mais 310 mil metros quadrados (m²) de área do parque ecológico que leva o nome da região administrativa.

A ampliação foi inaugurada na manhã deste sábado (8) com passeio de ciclistas e plantio simbólico de árvores por estudantes de escolas públicas e particulares.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, ressaltou que as obras beneficiam outras regiões nas proximidades, como Vicente Pires e Taguatinga.

“Esse parque é um dos mais bonitos da cidade. A fauna e a vegetação são muito ricas e devem ser bem cuidadas. E agora, ele ganha essa área que não era utilizada pela residência”, celebrou a entrega.

Parte do terreno da Residência Oficial de Águas Claras foi cedida pelo governo para o parque, por meio de decreto assinado em 30 de junho deste ano.

Antes da transferência, o parque tinha cerca de 960 mil m².

A área agregada oferecerá uma nova via de acesso para as ruas internas de Águas Claras, que irá desafogar o trânsito na região. O projeto ainda é elaborado e orçado pelo Departamento de Estradas de Rodagem do DF (DER-DF).

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) fez estudos para nortear o planejamento, que aproveita a reserva natural, os bosques com frutíferas e os espaços verdes para áreas de acampamentos e piqueniques.

O diretor do instituto, Aldo Fernandes, afirmou que área do parque é a única de Águas Claras que mantém a mata original do Cerrado.

Além disso, foram adicionadas uma ciclovia e coopervia de 3.416 metros que se somam às pistas já existentes no parque. Elas foram feitas com rotatórias e faixas de pedestres para evitar conflitos entre aqueles que caminham e os que pedalam.

A ciclovia e a coopervia fazem parte das obras diretas da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) e do DER-DF.

Hoje também foi reinaugurada a quadra de grama sintética de 620 metros quadrados que estava em reforma pelo Ibram havia dois meses, com custo de R$ 124.309 de compensação ambiental. Para marcar a entrega, a 15ª Copa Infantil de Águas Claras, que acontece neste sábado, terá as partidas realizadas no gramado, do longo do dia.

Além disso, a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos investiu R$ 245.275,68 para a instalação de 62 postes de aço curvo simples com 7,5 metros de altura e luminárias de LED de 80 watts.

Continuar lendo

Cidades

DF apresenta o menor índice de criminalidade dos últimos anos

Redação

em

Publicado por

Tony Winston/Agência Brasília

O Distrito Federal vai fechar o ano com queda de 42% na taxa de homicídios em relação a 2014. Quando levados em conta os Crimes Violentos Letais Intencionais – que incluem homicídio, lesão corporal e latrocínio, a redução chega a 41,5%. Os dados levam em conta a projeção para o mês de dezembro.

O balanço estatístico dos índices de criminalidade, monitorado pelo Viva Brasília — Nosso Pacto pela Vida, foi divulgado pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, apresentado em coletiva com a presença do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, nesta quinta-feira (6) no Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), na Asa Norte.

Se considerado o período de janeiro a novembro, houve redução de 37,3% das ocorrências. Os números de homicídios decresceram de 664, em 2014, para 416, em 2018. Os crimes letais intencionais tiveram queda de 37,1%. Foram 711 de janeiro a novembro de 2014, contra 447 no mesmo período deste ano.

“Se relacionarmos com os mesmos indicadores de 2014, nesta gestão, 785 vidas foram preservadas. No trânsito, tivemos 416 mortes evitadas no acumulado de 2015 a 2018, se comparado ao período referente, de 2011 a 2014. Lembrando que na mesma época houve mais de 200 mil registros de veículos”, afirmou Rollemberg.

O Distrito Federal é a terceira unidade da Federação com a menor incidência de homicídios, de acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2018.

Crimes contra o patrimônio também caíram em 2018

Os crimes contra o patrimônio, que incluem roubo de veículo, roubo em residência, roubo a pedestre, roubo em comércio, roubo em transporte coletivo e furto em veículo, tiveram redução de 16,2% quando comparados ao mesmo período de 2014. Foram 47.615 registros em 2018.

Centro Integrado de Operações de Brasília

O secretário da Segurança Pública, Cristiano Barbosa Sampaio, destacou a criação do Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob), em 2018, entre as principais conquistas da atual gestão. A estrutura deu lugar à antiga Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade).

Ele ressaltou a ampliação das ações nas demandas da segurança pública, mobilidade urbana, fiscalização e prestação de diversos serviços públicos. “É o nosso maior marco. A partir do Ciob passamos a ter 22 órgãos atuando de forma permanente, no lugar de sete”.

Desde janeiro de 2015 foram cadastrados 42,1 mil ocorrências, 1,1 mil manifestações e mais de 120 mil pessoas foram atendidas. Somente de julho a outubro de 2018, o centro de operações monitorou 1115 eventos. Entre os destaques estão o 8º Fórum Mundial da Água, a retirada do aterro sanitário da Estrutural, a greve dos caminhoneiros e, atualmente, atua no planejamento das ações relacionadas a posse presidencial de 2019.

Continuar lendo
Brasília, 10 de dezembro de 2018

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana