Curta nossa página

Comerciantes aprovam efeitos de ação para revitalizar a Rodoviária do Plano Piloto

Publicado

Foto/Imagem:


Desde o início da semana, o entra e sai no restaurante de Délio Alves, de 57 anos, aumentou e muito. Não foram só os clientes que voltaram a frequentar o estabelecimento no mezanino da Rodoviária do Plano Piloto. Muitos comerciantes passaram a visitar o empresário — que também é presidente da Associação dos Lojistas Pioneiros de Brasília — para comentar o quanto o movimento em suas lojas melhorou nos últimos dias. Desde 1º de dezembro, 12 órgãos do governo de Brasília trabalham de forma integrada para organizar e revitalizar o terminal e arredores.

Segundo Alves, as vendas tinham diminuído 50% há alguns anos, desde que a presença de ambulantes cresceu na rodoviária. Depois do início da operação Natal Legal, o faturamento normalizou. “Muita gente não estava conseguindo nem pagar a taxa para manter a banca”, conta. “Agora estamos conseguindo honrar nossos compromissos e não convivemos mais com concorrência desleal.”

O trabalho ostensivo, que segue até 4 de janeiro, vai muito além do combate ao comércio de ambulantes. Os órgãos envolvidos também coíbem transporte pirata e tráfico de drogas, fazem atendimento social a moradores de rua e atuam na reestruturação do espaço físico. Desde que a operação começou, foram recuperadas 56 vagas de estacionamentos, 20 placas de sinalização e pintadas sete faixas de pedestre. Parte dos meios-fios já recebeu pintura nova e agora o governo estuda quando trocará a iluminação.

Outros benefícios
O administrador do Plano Piloto, Marcos Pacco, destaca outros benefícios para quem circula com frequência pelo terminal e convive diariamente com a estrutura. Os banheiros passaram por uma limpeza meticulosa e as escadas rolantes não apresentaram mais problemas para funcionar. Ambos os espaços muitas vezes eram danificados por quem passa pela rodoviária. “Olhando no mapa, essa área está no coração da cidade, precisamos cuidar.” Cerca de 700 mil pessoas transitam diariamente pela rodoviária.

Mesmo com o fim da operação em janeiro, a iniciativa para conservar a rodoviária e as adjacências limpas e organizadas continuará. A ideia é cada órgão definir qual será o contingente mantido no lugar para que o objetivo seja alcançado. Parte do espaço receberá também atividades culturais, com artistas do DF. A primeira, de um coral, será ainda neste mês. “Estamos procurando quem queira se apresentar sem custos para o governo”, informa Pacco.

Trabalho ostensivo
A operação Natal Legal reúne diariamente média de 30 veículos e cem servidores dos 12 órgãos envolvidos. A quantidade já chegou ao pico de cerca de 70 automóveis e 250 funcionários. Além desse efetivo, ficam estacionadas bases móveis da Polícia Militar, da Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) e do Corpo de Bombeiros Militar, por exemplo. Os locais abrangidos são a Rodoviária do Plano Piloto, a Estação Rodoviária do Entorno, o Touring e redondezas.

A operação ocorre das 5 às 22 horas e é coordenada pela Subchefia da Ordem Pública e Social, da Casa Militar. Os outros órgãos envolvidos são: Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos; Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF); Polícia Militar; Agefis; Serviço de Limpeza Urbana (SLU); Administração do Plano Piloto; Subsecretaria de Fiscalização, Auditoria e Controle, da Secretaria de Mobilidade; Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap); Corpo de Bombeiros Militar; e administração da Rodoviária do Plano Piloto. Os gestores reúnem-se semanalmente para avaliação.

Regularização
No dia 1º, o administrador do Plano Piloto recebeu ambulantes que ocupavam a passagem entre o Setor de Diversões Sul, mais conhecido como Conic, e o centro comercial próximo à rodoviária. O governo estuda formas de regularizar a situação desses vendedores.

Atualizado em 10/12/2015 – 10:02.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana