Clínicas populares aliviam a dor do corpo e do bolso

Vancléia Gino, Edição

A crise que afetou o país nos últimos anos e que ainda está instalada no Brasil, prejudicou diversos segmentos, entre eles, principalmente a saúde.

A população, que foi a mais lesada devido aos altos custos do plano de saúde e também por causa da demanda reprimida do SUS, Sistema Único de Saúde, passou a sofrer ainda mais nas filas dos hospitais.

Devido ao alto índice de desemprego no ano de 2016, divulgado em 11,8 % , no 3º trimestre pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), muitos brasileiros tiveram que abrir mão do atendimento privado. Cerca de 1,5 milhão de usuários abandonaram os planos, segundo a Federação Nacional de Saúde Suplementar.

De acordo com um empresário do setor, os atendimentos chegam a 4 mil pessoas por mês.

A população merece um tratamento diferenciado e humanizado. Aqui todos são atendidos com os melhores médicos da cidade, em uma estrutura que foi pensada e projetada para atender da melhor forma os pacientes.

Segundo o empresário, a clínica atende todas as especialidades médicas, possui equipamentos novos e de última geração, realiza exames de sangue, ultrassonografia, raio x, ressonância magnética e muitos outros.

Garante ter tudo o que uma pessoa precisa em relação a saúde, até pequenas intervenções cirúrgicas. Tem por objetivo não deixar que a população espere atendimento, e que possa sair da unidade com seu problema resolvido.

São clínicas que possuem por exemplo um “Cartão Saúde”, sem mensalidade, que dá direito a consultas e exames com preços bem menores em relação a rede particular. Essas empresas também realiza remoção em UTI Móvel 24h ( ilimitada), com mensalidade de apenas R$ 10.

Os valores dos exames e consultas são menores: enquanto uma consulta na rede particular varia entre R$ 200 e R$ 300, nas clínicas pode custar até R$ 70 e Raio X de R$ 20.

Compartilhar