Curta nossa página

Maior agilidade

Cinco novos viadutos ajudarão na fluidez do trânsito em vias do DF

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília
Hédio Ferreira Júnior

O Governo do Distrito Federal (GDF) prepara a construção de cinco novos viadutos em pontos de tráfego intenso de veículos. As chamadas obras de arte, intervenções viárias de grande porte, atenderão os acessos a regiões administrativas onde o gargalo de veículos em horário de pico praticamente para a circulação. Os viadutos serão construídos em Recanto das Emas, Sobradinho, Itapoã com o Paranoá, Riacho Fundo e Jardim Botânico.

“As construções desses obras de arte vão eliminar a intensidade na fluidez do trânsito em pontos críticas da cidade e que comprometem o tempo das pessoas quando vão para o trabalho ou quando voltam pra casa. Teremos agilidade ao trânsito”, avalia o diretor-geral do DER/DF, Fauzi Nacfur.

Ponto a ponto

No entroncamento do Recanto das Emas com a DF-001, o DER/DF aguarda a liberação de recursos da Caixa Econômica Federal – financiadora do projeto – para licitar e dar início às obras. A intervenção vai eliminar o gargalo do tráfego de 60 mil veículos que circulam por ali diariamente.

Já o viaduto de acesso a Sobradinho pela BR-020, chamado de viaduto do Comper, vai aliviar o trânsito diário de 45 mil veículos no retorno e dar mais uma opção de acesso à região. O projeto está em fase de ajuste para que a licitação seja aberta.

Na interseção  do Itapoã com o Paranoá, o DER/DF está captando recursos para que seja dado andamento ao projeto da obra. A circulação na área chega a 30 mil carros por dia e vai melhorar a vida dos moradores das duas regiões.

Jardim Botânico

Em outro entroncamento, o da DF-075, a EPNB, com o Riacho Fundo, circulam todos os dias, em média, 35 mil veículos. O projeto que irá construir o viaduto está em fase final. A etapa seguinte será a de licitação.

Os motoristas que circulam pela região sul do DF, principalmente os que vem do Mangueiral, de São Sebastião e condomínios, também serão beneficiados pela construção de um novo viaduto. Pelo balão da DF-035 que desce para o Jardim Botânico passam todos os dias cerca de 45 mil carros. Esta intervenção ainda está em fase de projeto.

Águas Claras

Passarela facilitará acesso à Estação Estrada Parque do Metrô

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Divulgação

O acesso à Estação Estrada Parque será facilitado para os usuários do metrô. Nesta sexta-feira (28), o vice-governador Paco Britto assinou ordem de serviço para a construção de uma passarela sobre a linha metroviária, medida que vai beneficiar aproximadamente 10 mil passageiros que transitam no local diariamente.

A passarela será construída sobre a linha metroviária e terá 42m de extensão. Essa intervenção vai reduzir a distância percorrida por usuários do Metrô entre a parte sul de Águas Claras, onde estão situados condomínios e empreendimentos imobiliários com mais de três mil pessoas, shopping centers e faculdades, à estação. A obra será viabilizada com recursos de emendas parlamentares de deputados distritais.

A estação foi inaugurada em janeiro deste ano após mais de 20 anos de espera. A sua conclusão permite a ampliação da prestação de serviço do transporte metroviário e o aumento da receita tarifária para a Companhia.

“É um canteiro de obras o que o governador Ibaneis Rocha está fazendo no Distrito Federal. Uma revolução”, sinalizou Paco Britto durante a cerimônia em Taguatinga.

Outras passarelas foram construídas pelo governo local em 2019. O DER-DF viabilizou uma estrutura em frente ao Nova Colina II; outra em frente ao Nova Petrópolis e uma em frente ao Condomínio Morada dos Nobres, todas em Sobradinho, na BR-020.

A empresa também realiza, desde o ano passado, a manutenção de 56 passarelas aéreas em rodovias distritais, em serviço com investimento de R$ 4,3 milhões.

Também em 2019, o DER-DF entregou as obras nas duas estruturas das passarelas aéreas situadas no Km 8 e no Km 10 da Estrada Parque Ceilândia (EPCL). O investimento foi de R$ 461 mil.

Continuar lendo

Expectativa

Governo do DF corre para reabrir o autódromo já no próximo ano

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Acácio Pinheiro/Agência Brasília

O Governo do Distrito Federal (GDF) vai devolver o Autódromo Internacional de Brasília Nelson Piquet à cidade. A Agência de Desenvolvimento (Terracap) já começou os estudos para realizar uma nova concessão à iniciativa privada após o cancelamento do certame atual por desqualificação do consórcio licitante. O novo projeto, mais robusto, busca atender as exigências necessárias para receber uma etapa da Fórmula 1, a principal categoria do automobilismo mundial.

O projeto será custeado pela Terracap com a contratação de projetistas e engenheiros especializados. Após a conclusão, o plano será homologado junto à Federação Internacional de Automobilismo (FIA) para o andamento da parceria público-privada e outros ritos necessários, como a análise do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

“Vamos refazer a licitação porque a anterior não teve os critérios técnicos atendidos. Agora, faremos um novo projeto que atenda as exigências que permitam ao autódromo receber qualquer categoria. Iremos reconstruir o automobilismo no Distrito Federal”, afirma o governador Ibaneis Rocha.

“Esse projeto envolve várias categorias do automobilismo e, dentro delas, uma possibilidade de ter a Fórmula 1. É um sonho, mas um sonho possível. Por isso vamos refazer o projeto”, explica o presidente da Terracap, Izidio Santos.

Responsável pelo projeto na Terracap, a diretora de Novos Negócios, Kaline Gonzaga, promete segurança jurídica e responsabilidade. “Reuniremos todos os esforços para devolver à população de Brasília esse importante espaço que é o autódromo. A diretoria vai tratar o projeto com a maior celeridade possível, respeitando os prazos e normas necessários”, garante.

O retorno de Brasília às grandes provas de corrida conta com o apoio de um time de peso. Pilotos e personalidades do automobilismo demonstram entusiasmo com o projeto.

“Já corri em Brasília antes de ir para a europa, na Fórmula Chevrolet. Seria sensacional refazer o autódromo de uma maneira bacana e profissional”, afirma Felipe Massa, vice-campeão da Fórmula 1.

Outro ex-piloto da Fórmula 1 está animado com o retorno do autódromo brasiliense. “Essa pista tem uma coisa muito forte com o automobilismo brasileiro. Não mudem o traçado porque é o melhor que a gente tem no Brasil”, garante Rubens Barrichello.

Brasiliense, o ex-piloto Vítor Meira está animado com o esforço do GDF no tema. “O principal para a cidade de Brasília é a vida do autódromo. Se for com Fórmula 1, ótimo. Se não for, a vida do autódromo vai além. E se tem alguém com capacidade de concretizar esse grande sonho é o governador Ibaneis Rocha”, aposta Meira.

O icônico ex-piloto Raul Boesel também deu apoio ao Distrito Federal. “Brasília é uma cidade incrível, que tem infraestrutura para organizar grandes eventos. O automobilismo não poderia ficar fora de Brasília”.

Em tom saudoso, o comentarista Reginaldo Paes Leme lembrou das primeiras provas na cidade há mais de 40 anos. “Estive na corrida de Fórmula 1 em Brasília em 1975. Isso traduz um pouco a importância que teve esse autódromo para a história do nosso automobilismo. Um traçado extremamente técnico, desafiador e é disso que os pilotos gostam. [Capaz] de abrigar corridas de Fórmula 1, de Fórmula Indy e de Fórmula E”, elogia.

Ainda não há valores fechados e prazos para a entrega do autódromo. A expectativa é que ele esteja apto a receber provas em 2021. “Brasília tem vocação para corridas de carro. A cidade foi inaugurada com uma corrida”, lembra o presidente da Terracap, Izidio Santos.

O Autódromo Internacional de Brasília Nelson Piquet tem 726.822 metros quadrados e fica no Setor de Recreação Pública Norte, próximo aos setores comercial e hoteleiro, na região central de Brasília. A estrutura foi inaugurada em 1974 e possui uma pista de 5.475,58 metros.

Continuar lendo

Caução até 5 de março

Terracap coloca mais 91 imóveis à venda por meio de licitação

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Pedro Ventura/Agência Brasília

Mais um edital de licitação de imóveis foi publicado pela Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap). É o segundo deste ano. Desta vez, estão disponíveis 91 lotes para venda, distribuídos em 13 Regiões Administrativas do DF.

As novas oportunidades se adequam a diferentes perfis de investidores, sejam eles pessoa física ou jurídica. Para saber quais são os terrenos e como participar do processo licitatório, basta fazer o download edital.

Os interessados devem ficar atentos aos prazos: caução até dia 5 de março e licitação no dia seguinte (6). As condições de pagamento são: 5% de caução, entrada (com abatimento da caução) e o restante em até 180 meses, a depender do imóvel escolhido.

Dauto Santos, empresário do ramo automotivo brasiliense, adquiriu o primeiro imóvel na Terracap ainda em 1984, no SOF Norte. “De lá pra cá, eu sempre acompanho e participo das licitações da Terracap”.

Dauto explica que nunca gostou de nada que fosse ilegal. “Acho que a maneira mais segura de comprar um imóvel é pela Terracap”, completa. Em mais de três décadas, ele ampliou a capacidade produtiva da empresa e hoje conta com 14 lojas espalhadas pelo DF.

Aqueles que queiram seguir o caminho de Dauto, podem conferir neste edital os terrenos com destinação para uso comercial, prestação de serviços, institucional e industrial. As oportunidades são diversas e atendem do pequeno ao grande investidor.

Restam poucas unidades imobiliárias no Setor Noroeste. O bairro ocupa 243 hectares. Ainda jovem, é uma das regiões que mais cresce e se desenvolve no DF. É atrativa para investir e uma das Regiões Administrativas mais promissoras quanto à qualidade de vida da população residente no local. A Terracap licita um terreno de 750 m², para habitação coletiva e uso comercial de bens e serviços. A entrada é de R$ 288,5 mil e o restante em até 120 vezes.

No Setor de Múltiplas Atividades Sul (SMAS), por exemplo, há a oferta de um terreno de 10 mil m², para a construção de um centro comercial. A projeção está a poucos metros das principais vias de ligação entre a região sul do DF – EPIA Sul, EPNB e EPGU.

A acessibilidade ao metrô e à rodoviária interestadual, confere à atividade implementada no endereço a garantia de grande tráfego de pessoas, e, consequentemente, alta demanda por comércio e serviços.

Águas Claras, por sua vez, tem um mercado potencial em expansão. A região administrativa soma mais de 160 mil moradores, segundo levantamento da Codeplan. A população de classe média alta garante ao investidor a possibilidade de desenvolver um mix de projetos, desde comércio à residência coletiva. O 2º edital traz lotes na região, dois deles localizados na rua 25 Sul e um na Rua 3 Norte.

Para morar

Aqueles que desejam participar da licitação, enviando propostas para terrenos de uso residencial, podem optar por regiões como Guará II, Jardim Botânico ou Lago Sul.

No Guará II, são 12 opções. Os lotes têm áreas entre 162 m² e 210 m² e valores com entradas a partir de R$ 11,2 mil.  Tratam-se de terrenos residenciais em excelente localização na região Sul do Distrito Federal e com preços e planos de pagamentos acessíveis ao investidor.

Já quem planeja morar no Jardim Botânico não pode perder essa oportunidade. Só há duas opções previstas neste edital. Ambas ficam na Avenida das Paineiras, sendo uma na quadra 5 e outra na quadra 7. Os lotes têm 840 e 800 m², respectivamente, e entradas a partir de R$ 20 mil. O restante pode ser pago em 180 meses.

No Lago Sul, há um único imóvel para moradia, com área de 540 m² e entrada de R$ 54 mil. O terreno tem grande valor agregado não só pela localização privilegiada, em área de alto padrão, mas por ser um dos últimos lotes disponíveis para venda na Região Administrativa.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão