Curta nossa página

Presidente da CLDF esclarece gastos com combustíveis

Publicado

Foto/Imagem:


A Câmara Legislativa do Distrito Federal apresentará os esclarecimentos solicitados pela Justiça sobre os gastos dos gabinetes parlamentares com combustíveis. Esse foi um dos temas mais abordados pelos deputados distritais na sessão ordinária desta quarta-feira (25). A presidente da Câmara, deputada Celina Leão (PDT), afirmou que “o recurso é legal, lícito e os gastos são transparentes”. Segundo levantamento apresentado pela presidente, o gasto médio de cada gabinete em 2014 foi de cerca de R$ 2 mil mensais, “valor muito diferente do que foi veiculado por parte da imprensa”.

Segundo Celina Leão, em 2014 a Câmara Legislativa, somando-se os valores de todos os gabinetes, gastou R$ 580 mil com combustível. Este valor dividido pelos gabinetes dos deputados durante os 12 meses do ano implica num gasto médio mensal de R$ 2 mil. A deputada reconheceu a legitimidade do Ministério Público em acionar a Justiça e solicitar esclarecimentos sobre os gastos, mas reafirmou a transparência do processo, uma vez que todos os gastos podem ser acompanhados pelo portal da Câmara Legislativa na Internet. Ela também ressaltou o caráter indenizatório da verba, o que inviabiliza a realização de licitação prévia.

O deputado Chico Vigilante (PT) afirmou que nunca usou toda a verba disponível para essa despesa. Segundo ele, seu gasto médio, de acordo com levantamento dos últimos quatro anos, foi de somente R$ 672 mensais. “Não acho justo que todos os deputados sejam colocados na mesma situação. Tá ficando difícil para um homem honesto e decente fazer política no Brasil. É preciso que o Legislativo deixe de ser tratado como a Geni”, reclamou Vigilante. O deputado Dr. Michel (PP) também reclamou da generalização e defendeu que os gastos de cada deputado sejam analisados separadamente.

Quadra 901
Outro tema presente na sessão desta quarta-feira foi o veto total do governador Rodrigo Rollemberg ao projeto de lei da deputada Liliane Roriz (PRTB) que proíbe a construção de edificações na quadra 901 norte. A deputada pediu o apoio dos colegas para a derrubada do veto e disse que a decisão do governador cria novas expectativas aos especuladores imobiliários.

Liliane disse que o projeto foi fruto do trabalho de muitos especialistas e de defensores de Brasília como patrimônio cultural da humanidade. Para ela, o governador deveria vir a público “explicar o que esse gesto significa e acabar com a esperança dos empreiteiros”. “Sou deputada governista, mas acima de tudo amo Brasília. Não há governo no mundo que supere o meu amor por esta cidade”, assinalou, garantindo que lutará pela derrubada do veto.

Nomeações
Durante a sessão, vários distritais se manifestaram em defesa da nomeação de aprovados em concursos públicos para a Polícia Metroviária e para a Secretaria de Cultura. Integrantes dos dois segmentos acompanharam os discursos das galerias do Plenário. O deputado Prof. Israel Batista (PV), por exemplo, afirmou que a não nomeação de aprovados em concurso público é a pior opção de economia possível.

CPIs
O deputado Wasny de Roure (PT) defendeu o aprofundamento das discussões na Casa sobre a criação de comissões parlamentares de inquérito para investigar as áreas de saúde e de transportes. Para Wasny, as investigações só fazem sentido se forem feitas para valer.

Educação
Ao mesmo tempo em que elogiou a produtividade da Comissão de Educação e Cultura, o deputado Prof. Reginaldo Veras (PDT) lamentou que vários alunos ainda estejam sem aula nas escolas públicas do DF. Segundo Veras, o governo precisa urgentemente encontrar uma solução para suprir a carência de professores, já que algumas vagas temporárias não têm despertado interesse entre os professores. Veras também lamentou que algumas escolas estejam sem diretores e vice-diretores e cobrou urgência do governo na nomeação dos gestores.

Atualizado em 25/03/2015 – 21:18.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana