Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Curta nossa página

Dias 23, 24 e 25 de agosto

Caixa Cultural Brasília celebra época de ouro das rádios

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Divulgação


O Teatro da CAIXA Cultural Brasília recebe o espetáculo “No Tempo dos Regionais”, que pretende resgatar canções da época em que os conjuntos regionais acompanhavam os cantores e calouros, ao vivo nas rádios, a partir dos anos 20. As apresentações acontecem nos dias 23, 24 e 25 de agosto, às 20h (sexta e sábado) e 19h (domingo). Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia) e a classificação indicativa é 14 anos. Toda a renda da bilheteria será doada para o Instituto Sociedade, População e Natureza.

No palco, o grupo “Fernando César e Regional”, liderado pelo violonista de sete cordas Fernando César, juntamente com a cantora Ellen Oléria, vão voltar aos velhos tempos, revisitando canções que marcaram época, como “Flor Amorosa”, de Joaquim Callado e Catulo da Paixão Cearense – o primeiro choro que se tem registrado -, “Doce de Coco”, de Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho, “Corta Jaca”, de Chiquinha Gonzaga e Machado Careca, entre outras. O repertório inclui ainda composições de nomes consagrados na história da MPB, como Noel Rosa, Pixinguinha, Zequinha de Abreu, Eurico Barreiros, Hamilton de Holanda, Dorival Caymmi, Marisa Monte e Arnaldo Antunes.

“Hoje é muito raro ver um trabalho no conjunto regional acompanhando cantores cantando música com letra. Geralmente o conjunto regional faz seu trabalho instrumental. A intenção é trazer isso de volta e nada melhor do que convidar uma cantora jovem de outra vertente, que não é a vertente de conjunto de Choro, do tipo de música que geralmente o regional acompanhava, que é a Ellen”, conta Fernando César. Porém, ele garante que esse universo não é tão distante da cantora, que já está acostumada a cantar samba e outros estilos musicais brasileiros.

O show também apresenta músicas autorais, inéditas e contemporâneas tocadas e cantadas ao estilo antigo com a interpretação original da moderna cantora Ellen Oléria juntamente com os arranjos contemporâneos de Fernando César e seu regional.

Como parte da programação, no sábado (24), ocorre um encontro para intercâmbio entre os artistas e o público, pesquisadores e jovens artistas, das 15h às 16h30, no Teatro da Caixa. Ellen Oléria e Fernando César vão falar sobre processo criativo e a história do regional. A entrada é franca e não é necessário fazer inscrição.

O regional, o rádio e os programas de auditório

O conjunto regional foi uma formação musical característica das rádios brasileiras, que gravou diversos estilos de músicas durante a chamada “Era do Rádio”. Os regionais se firmaram como a formação ideal para a radiofonia brasileira, pois possibilitava a aproximação da música instrumental com os grandes cantores e ainda ofereciam versatilidade para acompanhar calouros e, por isso, foi elemento fundamental para o desenvolvimento da música popular no Brasil.

Formação “Fernando César e Regional”

  • Fernando César – Violão de sete cordas
  • Ellen Oléria – Voz
  • Pedro Vasconcelos – Cavaquinho
  • Mateus Donato – Cavaquinho
  • Thanise Silva – Flauta
  • Valerinho Xavier – Pandeiro
  • Victor Angeleas – Bandolim

No Tempo dos Regionais

  • Local: CAIXA Cultural Brasília
  • Data: 23, 24 e 25 de agosto
  • Horário: sexta e sábado; às 20h, domingo; às 19h
  • Informações: (61) 3206-6456
  • Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
    (meia-entrada para estudantes, professores, funcionários e clientes CAIXA e pessoas acima de 60 anos)
  • Bilheteria: aberta das 9h às 20h do dia 17 de agosto (sábado), das 12h às 20h nos demais dias
  • Duração: 80 minutos
  • Classificação: 14 anos
  • Capacidade: 406 lugares
  • Acesso para pessoas com deficiência e assentos especiais

Entrada franca

CLDF recebe mostra de mulheres que venceram o câncer de mama

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Figueiredo/CLDF

Neves Pereira, Lourdes Capitulino, Joana D’Arc, Sheyla Machado, Val Costa e Joana Jeker. São mulheres que compartilham histórias de superação: diagnosticadas com câncer de mama, enfrentaram a doença, passaram por mastectomia (retirada da mama), fizeram reconstrução mamária e redescobriram seus corpos e suas vidas. Os retratos delas seis integram a exposição “A Força da Mulher”, inaugurada nesta quinta-feira (10), no hall de acesso ao plenário da Câmara Legislativa.

Atualmente, com 57 anos de idade, Neves Pereira soube que estava com câncer de mama há seis anos. Retratada por Luciana Ferry – fotógrafa que assina a mostra –, ela destaca a importância de se deixar fotografar : “É bonito e ajuda na autoestima de quem passa pelo tratamento”.

A deputada Arlete Sampaio (PT), que participou da abertura da exposição, fez questão de falar da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama em seu pronunciamento na sessão ordinária. “Mais do que fazer novas leis, é nosso dever fiscalizar a oferta de serviços básicos para evitar que as mulheres sejam vitimadas pelo câncer”, defendeu. A distrital lamentou a situação dos mamógrafos na rede pública de saúde, bem como a dificuldade para se agendar uma consulta médica para solicitar o exame. De acordo com ela, 44% das mulheres com câncer são diagnosticadas já em estágio avançado, o que dificulta o tratamento.

Realizada pela ONG “Recomeçar – Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília”, a exposição “A Força da Mulher” pode ser visitada gratuitamente, de segunda a sexta-feira, até o dia 31 de outubro.

A Força da Mulher – Exposição Fotográfica

  • Local: Hall do Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal
  • Visitação: até 31 de outubro
  • Horários: de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h
  • Classificação indicativa: livre para todos os públicos
  • Entrada franca
Continuar lendo

Quinta, 10 de outubro

Orquestra Sinfônica faz concerto em tributo ao Dia das Crianças

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Gabriel Jabur/Agência Brasilia

Em comemoração ao mês das crianças a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro realizará uma apresentação extraordinária pelo projeto “Concertos Didáticos”. O espetáculo será realizado nesta quinta-feira (10) às 9h30, no Cine Brasília e é aberto ao público.

O concerto temático é de iniciativa do programa “Cultura Educa” da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), em parceria com a Secretaria de Educação. Dessa vez, a apresentação dedicada aos pequenos também contará com o apoio do Instituto Reciclando Sons (IRS), que promove inclusão socioeducativa para crianças, jovens e adultos dentro das comunidades da Região Administrativa da Estrutural.

Regido pelo maestro Cláudio Cohen, o repertório do concerto contará com clássicos das trilhas de cinema, percorrendo entre os memoráveis filmes infantis. Músicas do filme infantil “Frozen, Uma Aventura Congelante” serão tocadas, juntamente com a participação especial do coral misto, com os alunos de música do Instituto Reciclando Sons.

De acordo com o maestro Cohen, a parceria com o coral tornará a apresentação ainda mais especial. “Este concerto também tem um caráter social e o envolvimento do instituto Reciclando Sons, da Estrutural, veio atender essa demanda com a participação do seu coro infanto-juvenil, tornando o momento ainda mais especial”, explica.

Concertos Didáticos

Com o objetivo de gerar acessibilidade aos conteúdos artísticos para o público jovem, estudantes da rede pública de ensino, o projeto Concertos Didáticos aproxima os alunos do universo musical, com uma programação que trabalha a interação direta com as crianças. Uma breve aula sobre o som e função de cada instrumento que compõe a orquestra será ministrada antes do concerto, além de esclarecer dúvidas e curiosidades para o público infantil.

Continuar lendo

Entrada gratuita

Brasília sedia Mostra de Cinema Taiwanês a partir de quarta (9)

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Pedro Ventura/Agência Brasília

Começa nesta quarta-feira (9), no Cine Brasília, a Mostra de Cinema Taiwanês 2019. Serão exibidos dez filmes até o dia 13 de outubro.

Entre as obras escolhidas está o documentário A Foley Artist, que conta a história de Mr. Hu Ding-Yi, o especialista taiwanês mais experiente em arte de foley, técnica que consiste em adicionar efeitos sonoros aos filmes, como sons de passos e portas se abrindo e fechando. Apesar de sua expertise, Ding-Yi enfrentou uma crise profissional, já que seu trabalho começou a ser substituído por recursos de sonorização digitais e passou a ser considerado obsoleto. Ao todo, ele dedicou 40 anos ao exercício dessa função, participando de 70 produções cinematográficas.

Além do filme dirigido por Wan-Jo Wang, integra a programação o filme Dust in the Wind (Poeira no vento), de Hou Hsiao-Hsien. O filme compõe a trilogia do diretor e explora o processo de amadurecimento do garoto Ah-yuan, que se alista ao Exército e acaba perdendo seu amor de infância.

No dia 12 de outubro, o público poderá conferir uma exibição seguida de debate. Na data, haverá uma sessão de Crystal Boys (Rapazes Cristais), obra que denuncia a homofobia em Taiwan, na década de 1970. A dimensão da obra ganhou força este ano, quando Taiwan se tornou o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homoafetivo.

A mostra realizada na capital federal é organizada pelo Escritório Econômico e Cultural de Taipei no Brasil. A entrada para o evento é gratuita.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2019 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - SIG Quadra 01, Lote 385, Platinum Office, Sala 117 - Brasília-DF - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores.