Curta nossa página

Cidades

Brasilienses brindam a entrada do novo ano com shows na Prainha

em

Com oferendas a Iemanjá e ritos religiosos de matriz africana, 4,5 mil pessoas comemoraram a virada do ano às margens do Lago Paranoá, na Praça dos Orixás, mais conhecida como Prainha. A estimativa de público é da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social.

Para animar o público, o grupo baiano de afoxé Filhos de Gandhy e o cantor brasiliense de samba-rock Marcelo Café se apresentaram no palco montado no local.

A festa começou por volta das 19 horas deste domingo (31) e, à meia-noite, a praça ficou iluminada com a queima de fogos, que durou 10 minutos.

Algumas pessoas preferiram assistir ao espetáculo da ponte Honestino Guimarães, que liga a Prainha ao Pontão do Lago Sul. Para garantir a segurança do público, agentes do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF) fecharam a pista para veículos.

O estudante Caio César Félix, de 19 anos, participou pela segunda vez da festa na Praça dos Orixás. Para ele, que é católico, é uma forma de aprender novas culturas.

“A palavra do evento é diversidade, e, estando aqui, a gente percebe as nuances da nossa cultura”, disse.

Sandra Borges é cantora e foi para o réveillon 2018 com a companheira, Sandra Gonçalves, e um grupo de amigas. “Eu acho bem democrático este espaço.”

“Este é um momento plural em que todos os terreiros do DF e Entorno comemoram os Orixás”, explicou Adna Santos de Araújo, a Mãe Baiana, do terreiro de candomblé Axé Oyá Bagan, no Paranoá.

De acordo com o diretor-presidente da Federação de Umbanda e Candomblé de Brasília e Entorno, Rafael Moreira, 128 terreiro participaram da festa.

A programação do réveillon na Prainha teve início no sábado (30) com a comemoração do Dia do Samba. Houve apresentações de sambistas da cidade, como Renata Jambeiro e Dhi Ribeiro, e de bandas locais, como Amor Maior e Coisa Nossa.

“Hoje vai ser um dia lindo, um dia de paz. Queremos paz para 2018”, disse o secretário de Cultura, Guilherme Reis.

Continuar lendo
Publicidade
Comments

Cidades

Moradores de Sobradinho II recebem 815 escrituras

em

Publicado por

Dênio Simões/Agência Brasília

Moradores de Sobradinho II receberam nesta segunda-feira (25) 815 escrituras da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab).

Com a entrega de hoje, foram distribuídas, em três anos e seis meses, 57.848 escrituras. O número aproxima o governo da meta de liberar 63 mil documentos do tipo até o fim de 2018.

Neste ano, também houve distribuição de escrituras nas seguintes regiões administrativas:

  • Ceilândia
  • Estrutural
  • Guará
  • Planaltina
  • Recanto das Emas
  • Riacho Fundo I
  • Riacho Fundo II
  • Samambaia
  • Santa Maria
  • São Sebastião
  • Varjão

As entregas fazem parte do processo de regularização fundiária no DF e do Lote Legal, um dos eixos de atuação do programa Habita Brasília.

“Sabemos que a escritura traz segurança jurídica, tranquilidade e valorização do patrimônio. Estamos fazendo entregas em todas as regiões, além de promover a venda direta em condomínios”, disse o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, durante a cerimônia nesta manhã.

Continuar lendo

Cidades

Virada do Cerrado 2018 começa na sexta-feira, 29 de junho

em

Publicado por

Divulgação

A partir de sexta-feira (29), diversas regiões administrativas de Brasília receberão atividades da Virada do Cerrado 2018. A edição deste ano tem como tema central Coleta Seletiva e Gestão de Resíduos Sólidos.

Haverá ações socioambientais, educativas, esportivas e culturais. A ideia é fortalecer a coleta seletiva para melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores dos galpões de triagem e possibilitar a inclusão de mais catadores de materiais recicláveis no processo.

Entre os destaques da programação está a 5ª Caminhada nos Parques do DF, que ocorrerá simultaneamente em diferentes unidades de conservação. A ação será em 1º de julho, com saída às 8 horas.

Além disso, em Ceilândia, na sexta (29), um trabalho de reeducação ambiental será feito de porta em porta, no Trecho 2 do Sol Nascente.

Na mesma data, no Guará, uma unidade móvel da organização não governamental Programando o Futuro receberá lixo eletrônico na QE 38, das 9 horas às 16h45.

Também na sexta, na Fundação Jardim Zoológico de Brasília, das 8h30 às 17 horas, cerca de 300 alunos da rede pública participarão da atividade Coleta Seletiva é o Bicho, que propõe contribuir com a sensibilização sobre o tema.

No Viveiro Comunitário do Lago Norte, no sábado (30), das 8h30 às 13 horas, serão ofertadas oficinas de compostagem e de iscas para abelhas com garrafas PET.

Também no dia 30, no Noroeste, uma série de atividades sobre a importância da coleta seletiva ocorrerá das 15 horas às 17h30, no estacionamento da Quadra 111 e na área comum dos Blocos A e B da CLWN 10/11. Haverá atividades para moradores, síndicos, comerciantes e público em geral.

O que é a Virada do Cerrado

A Virada do Cerrado é um programa colaborativo promovido pela Secretaria do Meio Ambiente em parceria com instituições públicas e privadas.

A ideia é promover a educação ambiental da população e estimular parcerias e conexões entre diferentes atores sociais para o desenvolvimento sustentável das cidades.

Neste ano, a Virada do Cerrado encerra as atividades do Junho Verde, em alusão a 5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente.

Continuar lendo

Cidades

Campus Party terá 300 horas de conteúdo em cinco dias

em

Publicado por

Pedro Ventura/Agência Brasília

De quarta-feira (27) a domingo (1º de julho), Brasília recebe a Campus Party. Os cinco dias abrigarão mais de 300 horas de conteúdo, no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Serão três espaços: Arena, Camping e Open Campus. O terceiro é aberto ao público, enquanto os outros dois são pagos — o primeiro tem o palco principal, e o segundo é o local de acampamento dos campuseiros.

Em vistoria ao local, o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, destacou o interesse do público pelo evento. “É para conhecer e produzir inovações tecnológicas, participar de hackathon [maratona de programação], entre outras atividades”, afirmou.

A estrutura para receber o evento está com 70% de conclusão.

“As áreas que demandam credenciamento e ingresso terão os palcos, as principais palestras. A área open é a que o grande público visita, onde estão robôs, drones, simuladores”, explica o secretário-adjunto de Ciência e Tecnologia, Marcelo Chubaci.

Entre os palestrantes estão:

  • Chance Glasco, cofundador da desenvolvedora de games Infinity Ward, responsável pela franquia Call of Duty
  • Frank Karlitschek, nome relevante do software livre, com projetos de armazenamento e compartilhamento de informações para os consumidores (ownCloud e Nextcloud)
  • Alexandre Ferreira, inventor da Casemonstro, com um jeito lúdico de educar, por meio de palestras e oficinas de robótica.

A programação conta ainda com a hackaton, maratona hacker que reúne programadores, designers, profissionais da comunicação e de desenvolvimento de software e o Fórum Cidades Inteligentes — o tema dessa Campus Party é Parques Tecnológicos e Cidades Inteligentes.

O que é a Campus Party

A Campus Party, que estreou em Brasília em 2017, conta com mais de 540 mil campuseiros cadastrados em todo o mundo.

Já ocorreram edições em países como Alemanha, Argentina, Colômbia, Espanha, Holanda, México, Panamá e Reino Unido.

A iniciativa está presente no Brasil há dez anos e, em 2018, terá edições em São Paulo, no Rio Grande do Norte, em Brasília, na Bahia, em Rondônia e em Minas Gerais.

Continuar lendo
Brasília, 25 de junho de 2018

Publicidade
Publicidade
Publicidade