Curta nossa página

Ajude um adolescente a virar a página: doe livros para o Projeto Leitura – a Arte do Saber

Publicado

Foto/Imagem:


A Vara da Infância e da Juventude do DF (VIJ/DF), por meio da Rede Solidária Anjos do Amanhã, e da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, lançam, nesta quarta-feira (15), a Campanha de Arrecadação de Livros para o Projeto Leitura – a Arte do Saber. A cerimônia acontece às 16h30, no Salão Branco do Palácio do Buriti.

Os livros paradidáticos podem ser entregues no Palácio do Buriti (sede e anexo), nas Secretarias de Educação, da Criança, Mulher, Cultura, Ciência e Tecnologia, Esportes, Desenvolvimento Humano e Social, Câmara Legislativa, Biblioteca Nacional, nas seis unidades do Na Hora e em todos os fóruns do DF. Clique aqui e confira a lista com as sugestões de livros.

O Projeto Leitura – a Arte do Saber, atualmente desenvolvido pela Secretaria da Criança na Unidade de Internação de Santa Maria (UISM), beneficia 150 adolescentes, entre meninos e meninas, que aos poucos vão tendo a oportunidade de virar a página por meio da leitura. A intenção é ampliar o Projeto para as outras cinco unidades de internação do DF, com a arrecadação dos livros, contemplando cerca de 900 jovens. A campanha vai até 15 de maio, e pretende-se arrecadar livros paradidáticos, ou seja, livros de literatura em geral.

Em funcionamento desde abril de 2014, o Projeto tem por objetivo fomentar a leitura entre os adolescentes internos que cumprem medida socioeducativa nas unidades de internação do DF. A proposta é incentivar novas formas de ocupação dentro das unidades, a exemplo do hábito da leitura. Os adolescentes são conduzidos semanalmente à biblioteca da Unidade para devolver ou retirar livros ou podem fazê-lo no carrinho conduzido por um servidor que percorre os corredores dos módulos, distribuindo e recolhendo os exemplares.

Depois da implementação do Projeto, aproximadamente 90% dos 150 adolescentes internos da UISM passaram a se interessar pela leitura e a ler cerca de dois livros por semana, oito por mês. A UISM se destaca também por ter conquistado o status de tabaco zero, ou seja, não entra cigarro na Unidade.

Segundo o supervisor da Rede Solidária Anjos do Amanhã, Gelson Leite, a leitura já está impactando positivamente na vida desses jovens. “Já é possível identificar um aprimoramento no vocabulário dos adolescentes, inclusive nas audiências. A leitura despertou um maior interesse pelas aulas do ensino regular, além de importantes mudanças cognitivas e no comportamento”, pontua.

Além do ganho no vocabulário, a leitura impactou na ampliação do conhecimento e na melhora da autoestima dos jovens. Segundo a secretária da Criança, Jane Klebia Reis, os livros vão fazer toda a diferença na vida dos adolescentes quando saírem da Unidade.  “Muitos nunca tinham aberto um livro para ler e hoje quando visitamos a UISM eles pedem por mais títulos. Isso é um primeiro passo para mudar de vida quando saírem do sistema”.

O carrinho do Abdala
A Unidade de Internação de Santa Maria (UISM) possui um acervo com 1,5 mil obras classificadas conforme a complexidade e o gênero (romance, história, poesia, psicologia, artes, autoajuda, sociologia, religião, biografias, literatura estrangeira). A maior parte fica na biblioteca e a outra é organizada dentro de um carrinho.

Abdallah Antun, um dos operadores do projeto, percorre os corredores dos módulos da Unidade com a biblioteca móvel, recolhendo e entregando livros. Roges Ribeiro, agente de reintegração socioeducativo da Secretaria da Criança, disse que os meninos e meninas já reconhecem o barulho do carrinho de Abdallah e fazem uma festa pedindo a aquisição de novos títulos. A partir da leitura, os jovens elaboram textos que, depois de corrigidos, valem bonificações.

“O livro me tira daqui e me leva para outros lugares”
Leitora voraz de livros, a interna da UISM, Marcela*, de 18 anos, vê na leitura uma oportunidade de “sair” dali e de visitar outros lugares. Ela está na Unidade há 1 ano e 8 meses e, desde o início do Projeto, em abril do ano passado, já passaram pelas suas mãos e crivo cerca de 30 títulos dos mais variados gêneros: de Dostoiévski à Clarice Lispector. Atualmente, ela está debruçada sobre dois livros de uma jornalista chinesa, Xinran: “As boas mulheres da China” e “Enterro celestial”, e relata que foram os melhores livros da sua vida.

Marcela diz que sempre teve o hábito da leitura, mas o aprimorou exponencialmente na unidade. “Ler é uma forma de ocupar a mente. Não tem como ficar sem eles”, registra. Atualmente, está no 1º ano do Ensino Médio, e as perspectivas para o futuro são boas. “Quero fazer Direito ou História. Os livros ampliam o meu conhecimento e melhoram a minha articulação na escrita. As resenhas que faço me ajudam nas provas do Ensino Regular”, declara.

Marcela afirma que o assunto que mais gosta é História do Brasil e estrangeira. “As meninas aqui gostam mais de romance. Posso afirmar que a maior parte das coisas que sei aprendi nos livros”. Além desses benefícios, a interna diz que a leitura traz ainda vantagens na execução da medida socioeducativa. “Ler melhora a nossa reputação aos olhos da juíza. Ela vê que estamos fazendo algo construtivo e isso pode nos beneficiar no cumprimento da medida”, conclui.

*Nome fictício em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente

Atualizado em 14/04/2015 – 10:32.

Publicidade
Comentários
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana