Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Certeza evolutiva

Vírus ainda mais mortal do que a Covid-19 vai provocar nova pandemia, alerta OMS

Publicado

Foto/Imagem: Christopher Black/OMS


Um vírus ainda mais transmissível e fatal do que o da Covid-19 vai originar uma nova pandemia no mundo, prevê o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), ressaltando “certeza evolutiva” desta possibilidade.

O alerta foi dado por Tedros Adhanom Ghebreyesus durante a reunião anual da OMS com participação de ministros da Saúde de 194 Estados-membros.

“Não se enganem, esta não vai ser a última vez que o mundo enfrenta a ameaça de uma pandemia”, afirmou. “Há uma certeza evolutiva de que vai aparecer outro vírus com potencial de ser mais transmissível e mais fatal do que o SARS-CoV-2.”

Em uma nota mais positiva, o diretor-geral admitiu que a quantidade global de casos e mortes pela Covid-19 registrados tem diminuído há três semanas consecutivas.

No entanto, o diretor-geral da OMS ressaltou que o mundo permanece “em uma situação frágil”, e repreendeu as nações que acreditam estar fora de perigo, “não importando sua taxa de vacinação”.

Tedros aproveitou a reunião para reforçar seu apelo aos governos para que doassem doses de imunizantes contra a Covid-19 à Covax Facility, iniciativa apoiada pela OMS e Gavi Alliance.

Até agora, mais de 75% de todas as doses de vacinas foram administradas em apenas 10 países, de acordo com dados da OMS. Para Tedros, esta “desigualdade escandalosa” está “perpetuando” a pandemia. Anteriormente, tendo se referido à situação como “apartheid de vacinas”.

A eficácia das vacinas contra a Covid-19 já existentes não parece ser prejudicada pelas variantes emergentes do vírus, como a cepa primeiramente detectada na Índia, segundo o diretor-geral da OMS, que avisa que as variantes “estão mudando constantemente” e que as cepas futuras podem “tornar as nossas ferramentas ineficazes e nos arrastar de volta à estaca zero”.

Publicidade
Comentários

Revista Cell

Cientistas descobrem novos coronavírus aparentados com o vírus da Covid-19

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Tiago Queiroz/Estadão

Uma equipe internacional de cientistas descobriu em morcegos na China quatro novos coronavírus geneticamente aparentados com o SARS-CoV-2, informa um estudo publicado na revista Cell.

Os pesquisadores analisaram mais de 400 amostras de morcegos coletadas entre maio de 2019 e novembro de 2020 na província chinesa de Yunnan, que tem fronteira com Mianmar, Laos e Vietnã.

Foram estabelecidos 24 genomas completos de coronavírus, incluindo quatro novos genomas relacionados com o SARS-CoV-2 e três com uma relação de parentesco com o vírus causador da Covid-19.

Dos quatro coronavírus aparentados com o SARS-CoV-2, um deles, denominado de RpYN06, proveniente da espécie de morcego Rhinolophus pusillus, era o mais próximo do causador da Covid-19, embora possua um gene de espigão mais divergente. Os outros três têm um gene de espigão diferente, com fraca capacidade de se unir ao receptor hACE2, que permite a entrada do vírus na célula.

As espécies de morcegos que foram analisadas nesta pesquisa científica são comuns no Sul da China, Vietnã, Laos e outros países do Sudeste Asiático.

Recentemente um estudo conjunto da OMS e China estabeleceu que a transmissão da Covid-19 de morcegos para humanos através de outro animal é o cenário mais provável e que a hipótese de vazamento de laboratório é “extremamente improvável”.

Continuar lendo

JAMA

Vacina da Pfizer reduz em 51% chance de infecção por Covid após 1ª dose

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Jakub Porzycki

Um estudo feito pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Tel Aviv, em Israel, com mais de 500 mil pessoas, concluiu que a vacina da Pfizer reduz entre 51% e 54% os casos de Covid-19 sintomáticos e assintomáticos, após a aplicação da primeira dose.

A pesquisa foi dividia em duas partes, dos primeiros 12 dias após a aplicação do imunizante e depois do 13º ao 24º dia. A segunda dose não foi levada em conta para o levantamento.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), o nível mínimo aceitável de eficácia para uso emergencial de uma vacina contra a Covid-19 é de 50%. A vacina da Pfizer seria considerada suficiente para proteger a população a partir da primeira aplicação. Estudos realizados anteriormente comprovaram que esse imunizante tem eficácia de 91% após as duas doses.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2015-2021 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços de notícias de agências nacionais e internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #GenuinamenteBrasiliense