Curta nossa página

Doce e poderoso

Veja os benefícios do chocolate meio amargo para o coração

Redação

Publicado

chocolate
Foto/Imagem: Shutterstock
Sandee LaMotte

Segue a gente no
Google News

Abra a embalagem. Pegue um pedaço de chocolate meio amargo. Mastigue devagar, saboreie e lamba os restinhos que ficam no dedo. Sorria ao desfrutar essa delícia sabendo que ela está realmente ajudando o seu coração. Ao menos foi isso que disse um estudo publicado no jornal acadêmico European Journal of Preventive Cardiology.

“Nosso estudo sugere que o chocolate ajuda a manter saudáveis os vasos sanguíneos do coração”, afirmou o autor do estudo, Chayakrit Krittanawong, da Escola de Medicina Baylor em Houston, Texas.

“O chocolate contém nutrientes que são bons para o coração, como flavonoides, metilxantinas, polifenóis e ácido esteárico, que podem reduzir a inflamação e aumentar o colesterol bom”, explicou Krittanawong.

Todas essas palavras grandes – flavonoides, metilxantinas, polifenóis e ácido esteárico – são apenas uma forma chique de dizer que ele é cheio de antioxidantes que ajudam a reduzir a inflamação e a melhorar o fluxo sanguíneo, o humor e a concentração.

Na verdade, uma única “dose” de cacau pode conter mais antioxidantes fitoquímicos do que a maioria dos alimentos, e mais procianidinas – responsáveis por bloquear a captação do colesterol ruim – do que a maioria das coisas que as pessoas consomem todos os dias.

E há mais uma coisa interessante sobre o chocolate: as propriedades antioxidantes dele resistem ao tempo. Diferente do chá verde, cujas propriedades se degradam com o prazo de validade, as barras de chocolate conseguem manter sua potência por ao menos 50 semanas, e as sementes e o pó de cacau, por 75 anos.

Chocolate meio amargo ou ao leite?

Esse novo estudo analisou as últimas cinco décadas de pesquisas sobre o assunto e descobriu que comer chocolate mais de uma vez por semana é associado a uma redução de 8% do risco de adquirir doença arterial coronária.

O consumo de cacau está ligado a uma taxa mais baixa de mortalidade por doenças cardiovasculares e outras causas, o que ajuda a reduzir a pressão sanguínea e pode impedir que uma placa se acumule no revestimento dos vasos sanguíneos. Além disso, provou-se que ele ajuda a prevenir derrames e problemas no coração.

E não se trata apenas do coração. O chocolate também está associado a uma melhora no fluxo sanguíneo para o cérebro, o que pode ajudar na função cognitiva. Ele impulsiona o envio de oxigênio durante exercícios físicos. Mas o doce não parece ser tão bom para a pele – um estudo recente constatou a ligação com o surgimento de acnes.

Muitas pesquisas focam no chocolate meio amargo. Isso porque quanto mais escuro for, maior é a porcentagem de sólidos de cacau – onde estão todas as propriedades boas. Mas se o produto for altamente processado, esse benefício pode ficar reduzido.

Dica: para obter o mínimo de pó de cacau processado, procure marcas que não usam um alcalino para neutralizar sua acidez natural.

O chocolate meio amargo contém menos açúcar e menos calorias do que o chocolate ao leite ou branco, porque estes são misturados com leite em pó ou condensado. Então sua opção mais saudável provavelmente é o doce ou a barra de chocolate meio amargo e pó de cacau não processado.

Isso significa que você pode simplesmente devorar grandes quantidades de chocolate meio amargo em nome do seu coração? Essa provavelmente não é uma boa ideia, principalmente se você optar por versões mais gordurosas, com caramelo e/ou nozes.

É melhor desfrutar de uma única mordida algumas vezes na semana e buscar acrescentar flavonoides a sua dieta. Maçãs, chás, frutas cítricas, cebolas e frutos silvestres podem ajudar.

“Quantidades moderadas de chocolate parecem proteger as artérias coronárias, mas provavelmente grandes quantidades, não”, disse o autor do estudo.

“É preciso verificar as calorias, açúcar, leite e gordura presentes nos produtos comercializados, principalmente as pessoas obesas e com diabetes.”

Publicidade

Linha de frente

GDF reforça equipes de combate ao novo coronavírus (Covid-19)

Redação

Publicado

Por

Redação
GDF reforça equipes de combate ao novo coronavírus
Foto/Imagem: Davidyson Damasceno/IGESDF

As ações de combate do GDF à Covid-19 ganharam reforços importantes na linha de frente. A Secretaria de Saúde (SES) tem remanejado profissionais de ambulatórios e policlínicas para as equipes nos prontos-socorros, enfermarias e outras áreas de grande demanda nos hospitais e Unidades Básicas de Saúde (UBSs), conforme a necessidade de cada região.

A medida ocorre de forma excepcional e temporária, no âmbito de toda a Secretaria de Saúde, com o objetivo primordial de salvar vidas. Os gestores da Saúde do GDF asseguram: nenhuma das unidades que remanejaram profissionais precisou ou precisará ser fechada. “O que estamos fazendo é para preservar vidas de quem está em situação aguda e urgente”, explica o Subsecretário de Atenção Integral à Saúde, Gustavo Bernardes.

A redução na procura por ambulatórios e policlínicas por parte da população foi de 47% durante a pandemia. Conforme a necessidade, os profissionais estão sendo realocados.

Os atendimentos oncológicos e cardiovasculares seguem normalmente. E, apesar da suspensão das cirurgias eletivas, forças-tarefas de cirurgias de outras especialidades também estão sendo realizadas em pacientes internados, reduzindo o tempo de hospitalização.

Continuar lendo

Débora Hofstatter

Covid-19: terapia promete manter o equilíbrio durante a pandemia

Redação

Publicado

Por

Redação
Terapia Cognitiva Extrafísica
Foto/Imagem: Shutterstock

A chegada da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) abalou as emoções, sentimentos e pensamentos de toda a população mundial. Aqui no DF, a grande maioria da população se encontra perdida em um momento em que as emoções que trazem o medo, a angustia, a insegurança ganham espaço e muitas vezes comandam todo o emocional. Para lidar com essas questões, a terapeuta integrativa e holística, Débora Hofstatter apresenta a Terapia Cognitiva Extrafísica (TCE), uma técnica que o paciente na primeira sessão sente de imediato um alívio emocional. O método já foi testado em diversas pessoas ao longo de cinco anos.

Débora destaca que a TCE traz inúmeros benefícios e pode apresentar resultados rápido nesse momento. “A TCE ajuda a alterar energeticamente a vibração do campo mental, traz consciência e clareza cognitiva, faz a reprogramação de pensamentos, sentimentos e reações ao meio que o paciente está envolvido, alivia na redução do sofrimento e consegue construir um novo olhar e achar uma saída para situações inesperadas”, esclarece.

O assistente administrativo, Diogo Benon conta que retornou ao estudo universitário, em 2020, e que resolveu procurar a terapia em busca da concentração, foco e diminuição da insegurança, pois percebeu que quando tinha alguma dificuldade maior abria mão dos seus projetos pessoais. “A TCE tem me ajudado nessas áreas e principalmente nessa pandemia, pois me auxilia a controlar a ansiedade e focar no que é necessário para concluir minhas metas e também nas pequenas coisas do dia a dia. Cada sessão que faço sinto que venho evoluindo, me sinto mais focado e seguro de que conquistarei meus objetivos e menos ansioso para bater as metas de longo prazo”, defende.

Em tempos de pandemia, a técnica pode ser aplicada totalmente online, respeitando o distanciamento social e garantindo a segurança do paciente e terapeuta. Os interessados podem agendar um atendimento virtual pelo telefone (61) 98134-7282.

A hipnoterapeuta Mabel Guedes é a criadora do método, quando há 7 anos introduziu essa terapia para uma paciente de forma experimental e que trouxe resultados imediatos. Segundo Mabel, cada sessão é única, temática e específica, com uso de técnica de hipnose e sem um horário específico para a aplicação da técnica.

Débora Hofstatter

Iniciou no universo das terapias integrativas em 2015. Terapeuta integrativa e holística, pós-graduada em Medicina Chinesa – Acupuntura. Facilitadora de Barras de Acces Consciouness. Formada no curso de Terapia Cognitiva Extrafísica e certificada nas formações Florais de Bach, terapia do Caminho da Vida e Reiki.

Continuar lendo

172 leitos

GDF retoma licitação do novo Hospital Oncológico de Brasília

Redação

Publicado

Por

Redação
uti
Foto/Imagem: Pixabay

Foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) e no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), o novo edital de licitação para a contratação da empresa que vai construir o Hospital Oncológico de Brasília – o primeiro dessa especialidade no DF. A obra terá um valor estimado de R$ 119.102.911,80, recursos oriundos do Ministério da Saúde e disponibilizados pela Caixa Econômica Federal.

O certame para contratação da empresa executora do serviço será realizado pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) em 27 de agosto, às 9h. À instituição, que será responsável pela fiscalização do serviço, também coube elaborar o projeto executivo do empreendimento, assinado pela Diretoria de Edificações. O prazo de conclusão da obra é de 36 meses.

Os R$ 119 milhões investidos no edital custearão tanto a construção da unidade quanto o fornecimento de equipamentos hospitalares. O projeto consiste em uma unidade hospitalar com 172 leitos, sendo 152 de internação e 20 de unidade de terapia intensiva (UTI), além de consultórios multidisciplinares, alas para tratamento de quimioterapia, radioterapia, medicina nuclear, endoscopia e salas de cirurgia conjugadas. Exames de imagem, como mamografia, ultrassom e raios X, também poderão ser realizados no local.

De acordo com a Secretaria de Saúde (SES), o Hospital Oncológico de Brasília, quando em funcionamento, terá capacidade para realizar até nove mil atendimentos anuais, atendendo à demanda pública de pacientes oncológicos existente no Distrito Federal, que em 2019 foi de 6.247 enfermos.

A nova unidade de saúde será erguida numa área de mais de 33 mil metros quadrados no Setor Noroeste, perto do Hospital da Criança de Brasília José de Alencar.

Atualmente, a rede pública de saúde do DF atende a pacientes oncológicos nos hospitais de Base (HB), Regional de Taguatinga (HRT) e Universitário de Brasília (HUB). O novo edital e seus anexos podem ser acessados no site da Novacap.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão