Curta nossa página

Programe-se

Estádio Nacional Mané Garrincha

Oktober Jazz Bier Festival reúne música e cerveja artesanal

Redação
Raquel Camargo


Brasília estende o mês oficial dos cervejeiros: a capital recebe em novembro o Oktober Jazz Bier Festival nos dias 15, 16 e 17, na Arena Lounge do Estádio Nacional Mané Garrincha. O festival cultural e gastronômico reúne cervejarias artesanais do Distrito Federal e entorno em um ambiente cenográfico repleto de atrações culinárias. Como trilha sonora, o line-up leva para o palco interpretações de jazz, MPB e música instrumental por artistas nacionais e regionais, com um dia de tributo ao grande músico Ray Charles.

O espaço, formado por cerca de 50 estandes no total, congrega 21 marcas cervejeiras e 18 estandes de alimentação. O festival conta ainda com a venda de produtos do setor agro regional, como cafés, vinhos, cachaças, geleias, pimentas, doces, chocolates e embutidos. Com música, entretenimento e mais de 300 rótulos de cerveja disponíveis, o projeto visa posicionar no mercado das Oktoberfests, evento criado em Munique, na Alemanha, 1814, e que se difundiu pelo mundo e por diversas cidades brasileiras como uma celebração à cultura cervejeira.

O festival conta com a correalização da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer do Distrito Federal (SETUL-DF). A proposta do Festival é fomentar o mercado turístico, cultural e gastronômico através da união de atrações musicais e alguns dos principais produtores e empreendedores do segmento de cerveja, além de representantes do mercado gastronômico local.

Entre os artistas que comandam a trilha sonora do evento, a banda Doop Jam no dia 15 e o cantor Tiago Satya, um dos destaques nacionais entre a nova música popular brasileira, se apresenta dia 16 no palco do festival. No dia 17, o palco relembra momentos icônicos do jazz com um tributo ao cantor e pianista americano Ray Charles, um dos nomes mais marcantes da história mundial do jazz e blues.

Entre as 21 cervejarias presentes no evento, nomes já tradicionais da cena cervejeira da capital como Stadt, Criolina e Corina, e empreitadas regionais como Brasilia Beer, 2 Candangos, Cerrado Beer, Substanz, Activista e Entrequadras.

As opções gastronômicas apresentam variados sabores e referências do mundo. Entre eles, a padaria e cafeteria italiana Siamo Noi e a culinária regional de Salvador com o estande Um Pedacinho da Bahia. Para os amantes de carne, os churrascos especiais do Angus Truck, as receitas do legítimo hamburguer do Burn Burger & Beer e a linguiças e carnes gourmet do Peculiaris Gourmet. Entre outros estandes gastronômicos, o Paraíso das Cucas e Estação do Crepe.

O Oktober Jazz Bier Festival tem como objetivo movimentar a cadeia produtiva da gastronomia e valorizar a produção local de cervejas artesanais, divulgando o grande polo de cerveja artesanal que está nascendo em Brasília.

Oktober Jazz Bier Festival

  • Data: 15 a 17 de novembro
  • Local: Arena Lounge do Estádio Nacional Mané Garrincha
  • Horários: 15 e 16 de novembro, às 17h. Dia 17, às 11h.
  • Classificação livre
  • Bilheteria: R$ 20

Publicidade

Programe-se

Domingo (18) tem Henrique e Ruan no Varanda Dudu Bar

Redação

em

Publicado por

Rodrigo Carletti

Domingo é dia de curtir a boa música sertaneja. No dia 18 de Novembro, os queridinhos da Capital Federal, Henrique e Ruan, estarão no Varanda Dudu Bar. A dupla será a tração principal do projeto Resenha do Dudu, lançado com sucesso no início do ano pela casa. A dupla fará show acústico com um repertório recheado de hits do último disco. Intitulado “Quando eu bebo, eu choro”, o CD reúne 18 canções, que contam com participações para lá de especiais, como Cléber e Cauan, Humberto e Ronaldo, e Israel Novais. Além disso, o agito que começa a partir das 16h, será embalado pelo som do DJ Bruno Freitas animando a galera com o melhor da música eletrônica.

Resenha do Dudu

  • Endereço: Avenida Jacarandá – Águas Claras
    (Rua de frente para o Batalhão da Polícia Militar)
  • Horário de funcionamento: todos os domingos, a partir das 16h
  • Telefone: (61) 3382-8830
  • Entrada: R$ 20 mulher e R$ 30 homem

Continuar lendo

Programe-se

Teatro Nacional sedia exposição de grafites até 25 de novembro

Redação

em

Publicado por

Renato Araújo/Agência Brasília

Mais de 70 obras de grafiteiros podem ser vistas no foyer da Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro até 25 de novembro, das 9 às 18 horas.

Os trabalhos da exposição Cidade Graffitisão de participantes do Encontro de Graffiti do Distrito Federal de 2018, que reuniu artistas locais e da Região Integrada de Desenvolvimento do DF e Entorno (Ride), em 15 e 16 de setembro.

A edição deste ano foi marcada por debates sobre a valorização da atividade, a criação do Comitê Permanente do Grafite e uma ação no Sol Nascente, em Ceilândia.

Nos dois dias, um grupo de grafiteiros pintou muros da região para mostrar os diversos estilos de intervenção urbana e, assim, revitalizar a cidade e interagir com a comunidade.

De 26 de novembro a 14 de dezembro, a mostra ficará itinerante por alguns pontos do DF.

Em Brasília, para valorizar o segmento, o governo instituiu a Política de Valorização do Grafite, por meio do Decreto nº 39.174, de 3 de julho de 2018.

Um dos elementos do hip-hop e parte dessa cultura e desse movimento artístico e cultural, o grafite é exposto em museus e galerias de todo o mundo.

Continuar lendo

Programe-se

Cultura italiana é tema da OSTNCS em novembro

Redação

em

Publicado por

Pedro Ventura/Agência Brasília

Em homenagem aos 150 anos de morte de Gioachino Rossini, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro apresenta ao público, em novembro, as principais peças do compositor italiano.

O Concerto Italiano, no dia 13, contempla as introduções de óperas por ele compostas, as chamadas Aberturas de Rossini. São elas: SemiramideO Barbeiro de SevilhaL’Italiana in AlgeriGuilherme TellIl Signor BruschinoLa Scala di Seta La Cambiale di Matrimonio.

A capacidade técnica de improvisação e o conhecimento em teatro fizeram com que o artista tivesse intensa atuação no segmento.

Suas obras têm elementos trágicos e cômicos, típicos da ópera, e representam um momento de inovação e criatividade. Elas são expoente do período chamado Restauração Italiana, do fim do século 18.

O concerto homenageia a cultura do país mediterrâneo e mostra a influência de Rossini não só na música, mas também na gastronomia. Para ele teria sido criada a receita Filé Rossini, que leva foie gras (fígado de pato ou ganso) e trufas negras.

Outras apresentações da orquestra em novembro

Nesta terça-feira (6), a sinfônica abre a programação do mês com clássicos como Don Juan, do austríaco Johann Strauss, e Ma mère l’Oye, do francês Maurice Ravel. O grupo também recebe a pianista russa Kristina Miller, que executa o Concerto para Piano nº 3, de Sergei Rachmaninoff. A regência é do maestro da orquestra, Cláudio Cohen.

Em 20 de novembro, haverá outro pianista convidado: Szymon Nehring. O polonês será responsável pela execução de Concerto para piano nº 1, de Frédéric Chopin. A peça é considerada uma despedida do compositor de sua terra natal, uma vez que foi a última a ser escrita por ele antes que deixasse a Polônia em direção a Viena, na Áustria. O regente será Bahmann Sales.

Na última terça do mês, 27 de novembro, a sinfônica contempla artistas com atuação em Brasília, como o colombiano Lucas Jaramillo. O saxofonista Carlos Gontijo é o solista convidado e executa Árvores Lunares, para saxofone e orquestra, de Luiz Gonçalves. A regência é de Jorge Lisboa Antunes, filho do maestro Jorge Antunes.

programação de novembro de 2018 da orquestra do teatro nacional

Concertos da Saúde democratizam acesso à música erudita

Em cinco meses de apresentações por unidades da rede pública de saúde, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional manteve o compromisso de aproximar o público dos clássicos mundiais. Para novembro, estão previstos quatro espetáculos: nos dias 8, 15, 22 e 29.

O repertório incluirá música de câmara, com quartetos de corda, sopro, violoncelo, flauta.

Por onde passa, a orquestra tem sido muito bem recebida, de acordo com o maestro Cohen. “Pacientes e funcionários param para nos ouvir, participam do momento.” Até dezembro, o grupo deve completar 20 apresentações nesse formato.

Continuar lendo
Brasília, 16 de novembro de 2018

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana