Curta nossa página

Segurança Pública

Número de homicídios em novembro é o menor em mais de duas décadas

Publicado

Segurança Pública DF
Foto/Imagem: André Feitosa/Ascom SSP-DF


Desde o início do ano, a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP/DF) vem consolidando sua nova política pública, que tem como preceito a integralidade nas ações, o DF Mais Seguro – Segurança Integral, que envolve forças de segurança, órgãos de governo e sociedade civil na elaboração de projetos e ações. Entre elas, a ampliação do videomonitoramento, que foi implementada em mais cinco regiões administrativas ao final deste ano – Lago Sul e Norte, Paranoá, Varjão e Jardim Botânico –, juntando-se a outras 24 monitoradas em tempo real pelas câmeras instaladas em pontos estratégicos.

O aperfeiçoamento constante dos processos de gestão, com o envolvimento da sociedade vem garantido ao Distrito Federal a redução sistemática dos crimes contra a vida e contra o patrimônio, mesmo frente aos recordes históricos de anos anteriores. No acumulado de janeiro a novembro, a redução de homicídios foi de – 8,6%, na comparação com mesmo período do ano anterior. A queda se manteve no mês de novembro e, em 2023, foram registrados quatro crimes a menos que em 2022. No último mês houve 17 homicídios e, no mesmo período do ano passado, foram registrados 21 casos.

“O uso da tecnologia, a implementação de políticas coordenadas com diversos segmentos de governo e sociedade, assim como investimento em inteligência e capacitação, têm contribuído para a redução criminal no Distrito Federal. Nosso acompanhamento é constante, diário. Temos o desafio de continuar superando os resultados já alcançados na redução de homicídios e crimes contra o patrimônio, o que tem colocado o DF em posição de destaque nacionalmente”, ressalta o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar.

“Com apoio do governador Ibaneis Rocha, oficializamos em novembro nosso novo programa de segurança, que não só microregionaliza as ações, com base em manchas criminais e estudos de inteligência, mas que também ouve os anseios e sugestões da população, com o objetivo de melhorar a segurança e qualidade de vida de todos”, completa o gestor.

Os crimes violentos letais intencionais (CVLIs) — que englobam homicídios, feminicídios, lesões corporais seguidas de mortes e latrocínios — também apresentaram o menor número dos últimos 24 anos e também no mês de novembro, quando foram registrados 20 crimes. No acumulado dos onze meses deste ano, a redução chegou a -8,3%. Foram 253 CVLIs neste ano e 276 no ano passado.

Feminicídios

Em novembro, foram registrados dois feminicídios no Distrito Federal. O enfrentamento desse crime é tratado de forma prioritária pela segurança e órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF). Um dos eixos de atuação do DF Mais Seguro – Segurança Integral é o Mulher Mais Segura. O segmento reúne medidas preventivas e tecnológicas voltadas à proteção da mulher e ao enfrentamento à violência doméstica e familiar. O programa possui ações de estímulo à denúncia e conscientização do público masculino sobre seu papel no enfrentamento à violência de gênero.

Em novembro, cinco agressores foram presos por descumprimento de medidas protetivas, por meio da Diretoria de Monitoramento de Pessoas Protegidas (DMPP), da SSP-DF. A Diretoria monitora vítimas e agressores 24 horas por dia.

Para o secretário-executivo da SSP-DF, Alexandre Patury, estratégias de prevenção dos crimes de gênero e do encorajamento de denúncias podem contribuir com a redução desse crime: “O enfrentamento à violência contra a mulher é prioridade e deve ser enfrentada com união de esforços em políticas coordenadas das forças de segurança, órgãos de governo e sociedade civil. Esta é uma luta de todos. Adotamos ações de enfrentamento a todas as formas de violência contra a mulher e, principalmente, contra a mais grave delas, que é o feminicídio”, afirma.

Além do atendimento ininterrupto nas Delegacias Especializadas no Atendimento à Mulher (DEAM) e em todas as delegacias do DF, denúncias podem ser realizadas de forma online; pelo e-mail [email protected]; pelo telefone 197, opção zero; pelo WhatsApp (61) 9 8626-1197; e, ainda, em contato com a PMDF, através do número 190.

Roubos e furtos

Os seis crimes monitorados de forma prioritária pela secretaria – roubos a transeunte, em transporte coletivo, de veículo, em comércio, em residência e o furto em veículo – apresentaram redução significativa de -19,9% no acumulado dos onze meses. “Esses crimes impactam diretamente na sensação de segurança, sendo prioritária a redução de cada um deles”, comenta Avelar.

De janeiro a novembro, o roubo em transporte coletivo teve a maior redução (-28,8%), passando de 614, ano passado, para 437 este ano. Este é o segundo mês consecutivo que a redução se mantém. Além de atuações rotineiras de investigação e policiamento, a SSP-DF realiza uma série de ações específicas envolvendo as forças de segurança, a Secretaria de Mobilidade (Semob), representantes de empresas de ônibus, entre outros órgãos.

Em seguida, também no acumulado do ano, os roubos a transeunte tiveram redução de -23,9%. O roubo a residência, a comércio e de veículos tiveram redução de, respectivamente, -17,4%, -16,5% e 15,2%. Os furtos em veículos (quando objetos são subtraídos sem que a vítima perceba) tiveram redução de -12,1%.

A Secretaria de Segurança Pública destaca a importância do registro de ocorrências pela população para apoiar a elaboração de estudos criminais, que monitoram e indicam locais e horários de maior incidência de cada tipo de crime. Essas informações são fundamentais para o planejamento de estratégias de policiamento pela Polícia Militar do DF e para a identificação de grupos especializados pela Polícia Civil do DF.

Atualizado em 10/12/2023 – 17:41.

Segurança Pública

DF tem segunda melhor média de policiais por habitante do país

Publicado

Por

Ao Vivo de Brasília
Segurança Pública DF
Foto/Imagem: André Feitosa/Ascom SSP-DF

Estudo divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública na última terça-feira (27) aponta que no Distrito Federal há 6,6 policiais militares para cada mil habitantes. O número coloca a capital do país como a segunda unidade da federação detentora de melhor média, ficando atrás apenas do estado do Amapá, e superando, inclusive, a proporção nacional, que é de dois policiais militares/mil habitantes.

Os índices do DF também são superiores ao de outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, a proporção média varia de 1,8 a 2,6, segundo dados disponibilizados pela Associação Internacional de Chefes de Polícia. As informações constam no Raio-X das Forças de Segurança Pública.

Os bons números são possíveis graças ao investimento constante do Governo do Distrito Federal (GDF) e da Secretaria de Segurança Pública (SSP-DF) para reforçar o quadro de das forças de segurança pública da capital federal. Desde 2019, o Executivo nomeou cerca de 4 mil homens e mulheres para os quadros da pasta.

“A recomposição do efetivo das forças de segurança do DF e a criação de estratégias que minimizem esse impacto aos serviços prestados à sociedade têm sido prioridades para o governo do DF e para a nossa gestão. Existe a previsão do ingresso de cerca de 3 mil policiais e bombeiros”, enfatiza o secretário de Segurança Pública do DF, Sandro Avelar.

O GDF também empenha recursos em tecnologia, inteligência e capacitação, coordenando ações com diferentes setores do governo e da sociedade, visando melhorar o serviço prestado à sociedade. O investimento já trouxe resultados: em 2023, o DF atingiu o menor índice de homicídios dos últimos 47 anos, com taxa de 9,1 homicídios por grupo de 100 mil habitantes – o mais baixo desde 1977, que teve 14 casos por grupo de 100 mil.

Outra política pública de destaque no âmbito da segurança pública é a criação do Programa de Videomonitoramento Urbano (PVU) que agora atende a 29 regiões administrativas (RAs) do Distrito Federal. Já são mais de 1,1 mil câmeras instaladas pelas vias públicas, que permitem o monitoramento integrado entre as forças de segurança e outros 30 órgãos, bem como instituições e agências dos governos local e federal.

Só no ano passado, o GDF investiu R$ 14.207.991,79 no programa, e, para 2024, a SSP-DF pretende investir mais R$ 5.330.189,59. O programa está inserido no contexto do eixo Cidade Mais Segura, do DF Mais Seguro – Segurança Integral.

Mais nomeações

Além de reforço na segurança, as nomeações promovidas pelo GDF também objetivam contrabalancear a evasão de agentes que têm solicitado aposentadoria nos últimos anos e o aumento da população do DF e do Entorno. Em 2014, a capital contava com 15 mil policiais militares e 5 mil civis na ativa. Atualmente, o efetivo é de 10 mil e 3 mil, respectivamente.

Avelar destaca ainda que, no Distrito Federal, as forças de segurança possuem situação peculiar às outras unidades da federação. “Por se tratar da capital do país, onde acontecem, por exemplo, diversas manifestações e eventos de caráter político, nossa atuação se dá nas esferas nacional e até internacional, no suporte a órgãos e autoridades federais e corpo diplomático, por exemplo”, explica o titular da pasta.

A redução do efetivo, contudo, não é uma exclusividade do DF. Ainda conforme o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, o Brasil tem 69,3% das vagas existentes para policiais militares preenchidas. Atualmente, o país possui 404.871 policiais militares, 95.908 policiais civis e 17.991 peritos criminais na ativa.

Segundo a Polícia Militar do DF (PMDF), de 2018 até hoje, 3.434 policiais foram para a reserva remunerada (aposentados) e mais 399 contando exclusões, saídas para outros órgãos, desligamentos, totalizando 3.833 policiais.

A PMDF afirma que há previsão de inclusão de novos policiais para o biênio 2024-2025, na ordem de 869 para contratação imediata e 1.422 para cadastro reserva, perfazendo um total de 2.291 vagas.

Na Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), está em andamento concurso para agente de polícia, com previsão inicial de 600 vagas para contratação direta, além de 900 vagas para cadastro reserva, além de concurso para escrivão de polícia, com previsão inicial de 300 vagas. Em dezembro do ano passado foram nomeados 100 escrivães de polícia e 200 agentes de polícia.

Atualizado em 29/02/2024 – 10:14.

Continuar lendo

Inscrições abertas

Universidade Católica oferece curso gratuito de informática para idosos

Publicado

Por

Ao Vivo de Brasília
informática para idosos
Foto/Imagem: Freepik

A Universidade Católica de Brasília (UCB) está com inscrições abertas para curso básico de informática destinado a idosos com 60 anos ou mais. As aulas são ministradas aos sábados, das 9h às 12h, ao longo do primeiro semestre. Os interessados devem se cadastrar até o dia 23 de fevereiro por meio deste link.

Com previsão de início para 16 de março, o curso terá abordagem acerca da desinformação, fake news e ferramentas do Google; estudo sobre sistemas operacionais, com foco no Windows; e módulos com enfoque em Internet, aparelhos de celular e em ferramentas como Word, Excel e Power Point. Para receber o certificado, os alunos precisam ter frequência de pelo menos 75% e efetuar uma avaliação geral do curso ao final. Coordenado por um docente da UCB, o curso gratuito de informática para idosos contará com o auxílio de coordenadores e monitores estudantes. O encerramento do curso está previsto para o dia 6 de julho.

Atualizado em 28/02/2024 – 09:09.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana