Curta nossa página

Johnson & Johnson

J&J inicia testes de segurança de vacina contra Covid em humanos

Redação

Publicado

vacina covid
Foto/Imagem: Divulgação
Reuters

Segue a gente no
Google News

A Johnson & Johnson iniciou nesta quinta-feira (30), nos Estados Unidos, os testes de segurança de sua vacina contra a Covid-19 em humanos, depois de divulgar detalhes de um estudo com macacos que mostrou que sua candidata a vacina mais promissora ofereceu uma proteção forte com uma única dose.

Quando expostos ao vírus, todos os seis animais que receberam a candidata a vacina ficaram completamente protegidos de doenças pulmonares, e cinco de seis ficaram protegidos de infecções, tal como verificado pela presença do vírus em amostras nasais, de acordo com o estudo publicado pelo periódico científico Nature.

“Isto nos faz acreditar que podemos testar uma vacina de dose única nesta epidemia e aprender se ela tem um efeito protetor em humanos”, disse o doutor Paul Stoffels, principal autoridade científica da J&J, à Reuters.

A farmacêutica disse que iniciou testes de estágio inicial em humanos nos EUA e na Bélgica e que testará sua candidata a vacina em mais de mil adultos saudáveis de idades entre 18 e 55 anos, além de adultos de 65 anos e mais velhos.

O governo norte-americano está auxiliando o desenvolvimento da vacina da J&J com um financiamento de 456 milhões de dólares, parte de um desembolso mais amplo que visa acelerar a produção de uma vacina para acabar com a pandemia, que já infectou milhões e matou mais de 660 mil pessoas.

Stoffels disse que testes anteriores deste tipo de vacina contra outras doenças revelaram que uma segunda dose aumenta consideravelmente a proteção – mas, em uma pandemia, uma vacina de dose única tem uma vantagem considerável por evitar muitas questões logísticas relacionadas à obrigatoriedade do retorno dos pacientes para uma segunda dose.

A empresa planeja tratar a questão da dose única ou dupla em seu teste de estágio inicial.

Dependendo destes resultados, a J&J planeja iniciar um teste de estágio avançado de larga escala com um regime de dose única na segunda metade de setembro. Aproximadamente nesta época, a farmacêutica iniciará um teste de estágio avançado paralelo com um regime de dose dupla da vacina, disse Stoffels.

A vacina da J&J usa um vírus de gripe comum conhecido como adenovírus tipo 26, ou Ad26, para transportar proteínas de coronavírus para células do organismo, o que induz uma defesa imunológica contra o vírus.

Publicidade

Nenhum efeito colateral

Vacina russa contra Covid gera resposta imunológica ao vírus

Redação

Publicado

Por

Redação
vacina coronavírus
Foto/Imagem: Dado Ruvic/Reuters

O último exame de controle realizado em voluntários que receberam vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) produzida pela Rússia mostraram que todos desenvolveram resposta imunológica ao vírus, informou o Ministério da Defesa russo.

De acordo com o Ministério da Defesa da Rússia, os voluntários que receberam dose da vacina desenvolvida pelo Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei contra a Covid-19, no Hospital Burdenko, desenvolveram resposta imunológica ao vírus, mostraram resultados de testes obtidos nesta segunda-feira (3).

“Os resultados dos exames de controle mostram claramente que houve uma resposta imunológica inequívoca obtida através da vacina. Nenhum efeito colateral ou complicações foram detectados nos voluntários”, informou o ministério.

A notícia foi divulgada após outro instituto de pesquisa, também empenhado no desenvolvimento de vacina contra a Covid-19, o Centro Estatal de Pesquisa de Virologia e Biotecnologia Vektor, ter anunciado planos para iniciar a produção de vacina contra o novo coronavírus já em novembro. De acordo com o centro, a vacina será distribuída de graça na Rússia.

Continuar lendo

Pandemia duradoura

“Bala de prata” contra Covid-19 pode nunca existir, alerta OMS

Redação

Publicado

Por

Redação
oms
Foto/Imagem: Denis Balibouse/Reuters

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou nesta segunda-feira (3) que, embora exista grande esperança em torno de uma vacina contra a Covid-19, pode nunca haver uma “bala de prata” contra o novo coronavírus que já infectou milhões de pessoas no mundo.

“Não existe uma bala de prata no momento e pode nunca haver”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Gebreyesus, em entrevista online na sede da entidade em Genebra.

Comitê

O Comitê de Emergência da OMS prevê que a pandemia de Covid-19 vai durar muito tempo e, por isso, é necessário continuar os esforços para a sua contenção em todo o mundo. Segundo dados oficiais da organização, a doença já provocou 675 mortes e infectou quase 17,4 milhões de pessoas em todo o mundo.

A pandemia é uma crise sanitária que ocorre uma vez em cada século e os seus efeitos serão sentidos nas décadas seguintes”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, ao comitê, segundo comunicado da organização.

Continuar lendo

Instituto Gamalei

Rússia anuncia vacinação em massa contra Covid em outubro

Redação

Publicado

Por

Redação
vacinação em massa contra covid
Foto/Imagem: Sputnik

O ministro da Saúde da Rússia, Mikhail Murashko, disse neste sábado (1º) que os testes de vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) foram completados e que o país deverá dar início à vacinação em massa já em outubro de 2020.

“A vacina contra a infecção pelo novo coronavírus, desenvolvida pelo instituto Gamalei, completou suas pesquisas clínicas”, declarou Murashko ao Serviço de imprensa do Ministério da Defesa da Rússia.

Na etapa atual, estão sendo colhidos os documentos necessários para o registro oficial da vacina do Centro Nacional de Pesquisa de Epidemiologia e Microbiologia Gamalei, que precederá seu uso.

Sobre o uso do medicamento, Murashko afirmou que “estamos nos preparando para que em outubro comece a vacinação em massa contra o novo coronavírus.”

Além disso, médicos e professores deverão ser os primeiros a ser vacinados.

Contudo, ainda são esperadas pelo menos duas declarações oficiais sobre os testes clínicos de outras vacinas desenvolvidas na Rússia nos próximos 45 dias.

Ainda no último dia 29, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, havia dito que a situação do novo coronavírus na Rússia havia se estabilizado, contudo, em algumas regiões a situação ainda é complicada.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão