Curta nossa página

Brasil

Exercícios reduzem em 30% as chances de câncer de mama

Redação
Luana Santiago

Outubro é o mês de vestir rosa. Não somente pela quarta-feira do dia três comemorada pelos fãs de “Meninas Malvadas”, filme de 2004 estrelado pela atriz norte-americana Lindsay Lohan, mas pela campanha de conscientização sobre o câncer de mama — a doença que mais mata mulheres no Brasil. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a estimativa de diagnósticos da doença entre 2018 e 2019 será de 59.700 novos casos da doença no país.

Para o presidente regional do Rio de Janeiro da Sociedade Brasileira de Mastologia, Eduardo Millen, a ineficácia da mobilização para reduzir os números de mortalidade está na quantidade de pacientes que realizam o exame de mamografia anualmente:

— A Organização Mundial de Saúde (OMS) estipulou que uma campanha de combate ao câncer de mama só faz efeito quando 70% das mulheres com mais de 50 anos realiza o exame de mamografia. No Brasil, apenas 23% delas tem essa cobertura pelo SUS.

O exame — que deve ser feito uma vez por ano a partir dos 40 anos —  não é o único que faz diagnóstico da doença. Também podem ser acrescentadas à lista ultrassonografias, ressonâncias e, para de fato classificar um tumor como benigno ou maligno, a biópsia. A mamografia, no entanto, é a única que pode identificar microcalcificações na mama que podem vir a se tornar em um tumor.

— A ressonância e a ultrassonografia são indicadas para a população de alto risco, o que é apenas 10% das mulheres — diz o médico com doutorado pela Unifesp.

A importância da mamografia

Embora o autoexame tenha sua importância, Millen afirma que ele apenas identifica nódulos quando já estão em estágio avançado. Uma mulher leiga, por exemplo, costuma percebê-los somente quando possuem mais de dois centímetros — o que significa que ele está em formação há pelo menos 20 anos:

— O nódulo é uma manifestação tardia do câncer. Um médico, por exemplo, não vai perceber um nódulo menor que um centímetro. Por isso que não podemos delegar à mulher a função de se diagnosticar e por isso que é tão importante fazer mamografia.  Com ela é possível identificar nódulos de dois milímetros, ou seja, formado há pouco mais de cinco anos.

A maioria dos caroços nas mamas não são câncer. Mas apesar de todas estarem propícias a desenvolvê-lo, as mulheres com maior fator de risco são as com histórico na família — principalmente se tratando de casos manifestados antes dos 50 anos. É o caso da atriz Angelina Jolie, que realizou uma mastectomia preventiva em 2013.

— A mãe da Angelina morreu de câncer de mama e sua tia desenvolveu câncer de mama e ovário. Após ela fazer testes genéticos, os médicos detectaram uma alta chance de ter a doença. Antes que o problema acontecesse, ela optou pela cirurgia preventiva da retirada das mamas. Este procedimento, que retira apenas as glândulas mamárias e preserva a capa do seio, reduz o risco do câncer em 90% e a mortalidade em 100% — explica o mastologista.

Outras prevenções, entretanto, não precisam ser tão radicais. Mudanças de hábitos simples, como consumir menos álcool diariamente, diminuem expressivamente a chance de ter a doença. Eduardo ainda dá mais recomendações:

— As mulheres precisam se mover, portanto, praticar exercícios, nem que seja uma caminhadinha rápida uma vez ao dia, reduz em 30% o risco de câncer de mama. Essa prática ajuda no segundo ponto ao qual as mulheres devem dar atenção, que é o controle do peso. Para fechar, quem faz terapia para a menopausa com hormônios deve evitar estender esse tratamento por mais de cinco anos. Se não puder, o ideal é aumentar a vigília, realizando exames laboratoriais a cada seis meses.

Um diagnóstico precoce representa a diferença entre a vida com qualidade e a morte. Se um nódulo maligno ultrapassa os cinco centímetros, a chance de quimioterapia é de 100%. Se ele for identificado com um centímetro, a escala encolhe para menos de 1%.

Considerando a qualidade da vida das pacientes é que o Dr. Eduardo apela para a realização da mamografia na frequência recomendada. Afinal, usar rosa para simbolizar a batalha contra um mal que tirou a vida de 14 mil brasileiras em 2013 deve ir além de outubro e das quartas-feiras, durando o ano inteiro.

Continuar lendo
Publicidade

Brasil

Pagamento do 13º salário deve injetar R$ 211,2 bi na economia

Redação

em

Publicado por

iStock

O pagamento do 13º salário deve injetar R$ 211,2 bilhões na economia brasileira até dezembro. O valor representa cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, beneficiando cerca de 84,5 milhões de trabalhadores do mercado formal, inclusive aposentados, pensionistas e empregados domésticos.

As estimativas do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) apontam um rendimento adicional de R$ 2.320,00, com fonte na relação anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego.

Os trabalhadores do mercado formal representam 48,7 milhões, ou 57,6% do total beneficiados pelo pagamento do 13º salário. Os empregados domésticos são 1,8 milhão, ou 2,2% do total. Os aposentados e pensionistas representam 34,8 milhões, ou 41,2% do total. Dos R$ 211,2 bilhões pagos, os empregados do mercado formal ficarão com 66%, ou R$ 139,4 bilhões. Os aposentados e pensionistas receberão R$ 71,8 bilhões, ou 34%.

Regiões

Os estados da região Sudeste ficarão com 49,1% do pagamento do 13º salário, seguido pelos estados do sul com 16,6%, Nordeste com 16%, Centro-oeste com 8,9% e Norte com 4,7%. O beneficiário com o maior valor médio (R$ 4.278,00) será pago no Distrito Federal e o menor no Maranhão (R$ 1.560,00) e Piauí (R$ 1.585,00).

A maior parcela que será paga aos assalariados do setor de serviços (incluindo administração pública), que receberão R$ 137,1 bilhões, ou 64,1% do total destinado ao mercado formal. Os empregados da indústria receberão 17,4%, os comerciários 13,3%, enquanto que os da construção civil ficarão com 3,1% e da agropecuária com 2,1%. O valor médio do 13º salário do setor formal ficará em R$ 2.927,21, sendo que a maior média será paga aos trabalhadores do setor de serviços com valor de R$ 3.338,81 e o menor para os trabalhadores do setor primário da economia, com R$ 1.794,86.

A economia paulista receberá cerca de R$ 60,7 bilhões, ou 28,8% do total do Brasil. Os beneficiados são estimados em 21,6 milhões, equivalente a 25,6% do total.

Continuar lendo

Brasil

Trabalhadores nascidos em outubro já podem sacar o PIS

Redação

em

Publicado por

José Cruz/Agência Brasil

Começa nesta quinta-feira (18) o pagamento do abono salarial do Programa de Integração Social (PIS), calendário 2018/2019, para os trabalhadores nascidos no mês de outubro. Em relação ao Pasep, abono destinado a servidores públicos, que é feito pelo Banco do Brasil, o pagamento é para quem tem inscrição de final 3. Os pagamentos se referem ao ano-base 2017.

Segundo a Caixa, no caso do PIS, os valores variam de R$ 80 a R$ 954, conforme o tempo de trabalho durante o ano passado. Titulares de conta individual na instituição, com saldo acima de R$ 1,00, já receberam o crédito automático antecipado na última terça-feira (16).

A Caixa reservou R$ 1,3 bilhão apenas para o pagamento de 1,8 milhão de trabalhadores nascidos em outubro e que têm direito ao benefício. O início do pagamento se deu em julho, com os nascidos naquele mês. Os recursos de todos beneficiários ficam disponíveis até 28 de junho de 2019. No total, ao longo do calendário de pagamentos, serão disponibilizados o valor de R$ 16,3 bilhões destinados a mais de 22,3 milhões de beneficiários.

Quem tem direito

Tem direito ao benefício o trabalhador inscrito no PIS há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2017 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos. Também é necessário que os dados estejam corretamente informados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais), ano-base 2017.

Quem tem o Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir a uma casa lotérica, a um ponto de atendimento Caixa Aqui ou aos terminais de autoatendimento do banco estatal. Caso o trabalhador não tenha o Cartão do Cidadão ou não tenha recebido automaticamente na sua conta, o valor pode ser retirado em qualquer agência da Caixa, bastando apresentar um documento de identificação com foto.

Abono de 2016

Os trabalhadores que não sacaram o Abono Salarial PIS/Pasep calendário 2017/2018, ano-base 2016, que terminou em 29 de junho, também terão nova oportunidade para sacar o benefício. Para esses trabalhadores, cerca de 8% dos beneficiários, o valor está disponível para saque até 28 de dezembro deste ano.

Continuar lendo

Brasil

Saúde confirma 2.192 casos de sarampo em todo o país

Redação

em

Publicado por

iStock

O Ministério da Saúde atualizou, nesta quarta-feira (17), as informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde sobre a situação do sarampo no país. Até o dia 15 de outubro, foram confirmados 2.192 casos. Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo: no Amazonas são 1.776 casos e 7.801 em investigação, e em Roraima, com o registro de 330 casos da doença, sendo que 93 continuam em investigação.

Os surtos estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus (D8) que está circulando no país é o mesmo que circula na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017. Alguns casos isolados e relacionados à importação foram identificados nos estados de São Paulo (3), Rio de Janeiro (18); Rio Grande do Sul (37); Rondônia (2), Pernambuco (4), Pará (17), Distrito Federal (01) e Sergipe (4).

O Ministério da Saúde permanece acompanhando a situação e prestando o apoio necessário aos Estados. Cabe esclarecer que as medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados.

Até o momento, no Brasil, foram confirmados 12 óbitos por sarampo, sendo quatro óbitos no estado de Roraima (3 em estrangeiros e 1 em brasileiro), 6 óbitos no estado do Amazonas (todos brasileiros, sendo três do município de Manaus, dois do município de Autazes e um no município de Manacapuru) e dois no Pará (indígena venezuelano).

Imunização

O Ministério da Saúde, de janeiro a outubro de 2018, encaminhou aos Estados de Rondônia, Amazonas, Roraima, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Sergipe e Distrito Federal o quantitativo de 13.2 milhões de doses da vacina tríplice viral, para atender a demanda dos serviços de rotina e a realização de ações de bloqueio, intensificação e campanha de vacinação para prevenção de novos casos de sarampo. Em relação à Campanha Nacional de Vacinação contra sarampo, todos os estados que apresentam casos confirmados de sarampo alcançaram a meta mínima de 95% de cobertura vacinal, com exceção do Distrito Federal.

Continuar lendo
Brasília, 19 de outubro de 2018

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana