Curta nossa página

Dr. Fabrício Morais Salgado

Especialista desvenda mitos e verdades sobre o câncer de próstata; confira

Publicado

mitos e verdades sobre o câncer de próstata
Foto/Imagem: Freepik


O câncer de próstata é uma preocupação significativa para a saúde masculina, sendo o segundo tipo mais comum de câncer entre os homens no Brasil – de acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima-se que em 2022 tenham ocorrido mais de 65 mil novos casos da doença no país. A relevância de disseminar informações sobre o câncer de próstata é fundamental, uma vez que o diagnóstico precoce desempenha um papel fundamental na eficácia do tratamento e na sobrevida dos pacientes.

Para auxiliar no esclarecimento das dúvidas sobre o câncer de próstata, a GE HealthCare, empresa líder global em tecnologia médica, diagnóstico farmacêutico e soluções digitais, reuniu explicações do Dr. Fabrício Morais Salgado, Líder de Gestão em Saúde da GE HealthCare para América Latina, sobre os mitos e verdades acerca da doença.

O câncer de próstata afeta apenas homens idosos? MITO.

O câncer de próstata é mais comum com o aumento da idade. No entanto, homens de todas as idades devem ficar atentos aos fatores de risco pessoais e conversar com seus médicos para a realização de exames que permitam a detecção precoce da doença. Cerca de 25% dos novos casos diagnosticados no mundo ocorrem em homens com menos de 65 anos.

O exame de PSA pode substituir o exame de toque? MITO.

Embora o PSA (Antígeno Prostático Específico) seja bastante eficiente, a enzima pode não sofrer alterações em todos os homens que apresentam o câncer de próstata. Cerca de 20% dos tumores no órgão crescem sem aumentar os níveis da substância no sangue e, portanto, o tumor pode estar presente mesmo em homens com PSA normal. Além disso, o aumento do PSA também pode estar relacionado a outros fatores. Assim, o toque retal é fundamental não só para ajudar no diagnóstico do câncer de próstata, mas também para o controle da doença. Afinal, o exame verifica se o órgão se mantém normal mesmo após a conclusão do tratamento.

A vasectomia causa câncer de próstata? MITO.

Não há evidência científica que comprove que a vasectomia aumenta o risco de câncer de próstata. Por isso, este procedimento não é considerado um fator de risco para esta doença.

O tratamento da doença provoca incontinência urinária? MITO.

Ao tratar tumores de próstata, há possibilidade de comprometimento de músculos e inervações, especialmente durante a cirurgia. Aproximar-se demais ou cortar parte do músculo pode resultar em algum grau de incontinência pós-operatória.

No entanto, é fundamental destacar que a incontinência urinária completa é rara. Estatísticas atuais indicam que apenas cerca de 1% dos pacientes enfrentam a incontinência urinária. Além disso, a incontinência geralmente é temporária. Em até três meses após a cirurgia, em média 90% dos pacientes recuperam a continência. O restante, na sua maioria, recupera-se dentro de um ano.

O tratamento da doença causa impotência? MITO.

Os riscos de impotência sexual após a cirurgia de retirada da próstata existem. Entretanto, caso isso ocorra, trata-se de uma situação temporária. Ou seja, a impotência pode ser revertida de maneira natural ou a partir de tratamentos feitos com métodos ou medicações específicas.

Todos os casos de câncer de próstata necessitam de tratamento? MITO.

Nem todos os tipos de câncer de próstata requerem tratamento imediato. O tratamento do câncer de próstata depende da idade, do estadiamento do tumor, da quantidade de células cancerígenas presentes no tecido da biópsia, dos sinais e sintomas apresentados e do estado de saúde geral do paciente.

Câncer de próstata sempre tem cura? MITO.

Casos diagnosticados precocemente em que o tumor atingiu apenas a próstata têm grandes chances de cura. Por outro lado, tumores muito grandes que ocupam não só toda a próstata, mas atingem as regiões adjacentes, têm tratamento mais difícil e nem sempre têm cura efetiva.

O câncer de próstata não apresenta sintomas numa fase inicial? VERDADE.

Em estágio inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas – e é nesta fase que o homem apresenta chance total de cura em mais de 90% dos casos. Diante disso, a realização de exames preventivos são fundamentais para o diagnóstico precoce.

Homens sedentários têm mais chance de desenvolver câncer de próstata? VERDADE.

O sedentarismo e a obesidade estão relacionados a alterações metabólicas, que podem levar às alterações responsáveis pela origem do câncer. Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% dos casos de câncer no mundo têm relação com o estilo de vida. Entre os principais fatores responsáveis por este preocupante cenário estão os hábitos alimentares pouco saudáveis e a falta de uma rotina de exercícios físicos.

O risco de câncer de próstata é maior se algum familiar teve a doença? VERDADE.

A hereditariedade é um dos principais fatores de risco para a doença. Um parente de primeiro grau com a doença tem a chance duplicada de ter o câncer de próstata. Dois familiares ou mais com a doença aumentam essa chance em cinco ou até dez vezes. Para quem tem casos na família, o recomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia é procurar um urologista a partir dos 40 anos.

Homens negros tem maior chance de desenvolver a doença? VERDADE.

O câncer de próstata está muito ligado à genética das pessoas e, por isso, os homens negros podem desenvolver a doença antes. Não se sabe exatamente o motivo pelo qual os negros têm essa tendência maior, mas estudos comprovam que, entre os negros, a doença se desenvolve com uma frequência cerca de 10% maior. O tumor entre os negros também tende a ser mais agressivo.

Atualizado em 03/12/2023 – 08:14.

24 de fevereiro

Sábado é dia de vacinação contra dengue, covid-19 e outras doenças

Publicado

Por

Ao Vivo de Brasília
Vacinação SES-DF
Foto/Imagem: Tony Oliveira/Agência Brasília

Sábado (24) é dia de vacinação no Distrito Federal. No evento GDF Mais Perto do Cidadão, que ocorre no Varjão, das 9h às 12h, e em 18 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) em outras Regiões Administrativas, bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos poderão se proteger contra doenças como covid-19, tétano e febre amarela, conforme os imunizantes indicados para cada faixa etária. Nas UBSs, as crianças de 10 e 11 anos também poderão receber a vacina contra a dengue.

Os atendimentos começam às 8h. Em onze UBSs, o trabalho vai até às 17 horas. Em outras sete, o funcionamento encerra ao meio-dia. A lista completa com endereços e horários está disponível aqui.

A orientação do GDF é levar documento e cartão de vacinação. A equipe de saúde vai analisar como estão todos os esquemas vacinais e fazer a atualização conforme a necessidade. Em alguns casos, é possível receber até mais de uma vacina no mesmo dia e garantir a proteção contra diversas doenças de uma só vez.

Atualizado em 23/02/2024 – 22:47.

Continuar lendo

Boletim Epidemiológico N.º 7

DF registra 84 mil casos notificados de dengue desde o início do ano

Publicado

Por

Ao Vivo de Brasília
Dengue mosquito Aedes aegypti
Foto/Imagem: Freepik

Novo boletim epidemiológico divulgado nesta terça-feira (20) pela Secretaria de Saúde (SES-DF) confirma a notificação de 84.151 casos de dengue desde o início de 2024 no Distrito Federal. Do total, 81.804 são prováveis, dos quais 1.812 foram de residentes de outros estados: Goiás (1.695), Minas Gerais (36), São Paulo (16) e Bahia (10). Os dados são referentes até o dia 19 de fevereiro.

Entre os residentes do DF, a maior incidência de casos prováveis está na faixa etária de 20 a 29 anos, com incidência de 2.865,6 casos por 100 mil habitantes. A menor ocorrência é entre as crianças de 1 a 4 anos, com 1.212,7 casos por 100 mil habitantes, seguido por aquelas com menos de um ano – um caso para cada 100 mil.

Entre as Regiões Administrativas (RAs), Ceilândia continua a ter o maior número de casos prováveis, com 14.718 desde o início do ano. Em seguida, vem Taguatinga (4.428), Sol Nascente/Pôr do Sol (4.352), Brazlândia (4.069), Samambaia (3.378). Há casos confirmados em todas as RAs, sendo a incidência classificada como baixa em Sudoeste/Octogonal e no Park Way, e média em Arniqueira, Jardim Botânico, Lago Sul e Águas Claras. As demais foram classificadas como de incidência alta.

Casos graves e óbitos

Até o dia 19 de fevereiro, foram confirmados no DF 1.399 casos de dengue com sinais de alarme, isto é, sintomas de agravamento da doença. Um total de 67 ocorrências foram classificadas como graves e houve a confirmação de 38 óbitos. Destes, foram 22 homens e 16 mulheres. Em termos de idade, houve óbito confirmado de um bebê menor de um ano, de uma criança de 5 a 9 anos e de um adolescente de 15 a 19 anos. Ocorreram ainda 15 óbitos de adultos entre 20 e 59 anos e 20 entre idosos a partir de 60 anos, sendo oito somente entre os maiores de 80 anos.

Sorotipos

A SES-DF ampliou a capacidade de detecção dos sorotipos virais. Em 2023, foram analisadas mais de mil amostras coletadas por meio de exames de PCR. Neste ano, já foram coletadas 17.439 amostras, sendo 10,9 mil detectáveis. Isso permitiu confirmar 1.129 casos do sorotipo DenV-1 e 9.813 do DenV-2. Não foram confirmados casos dos sorotipos DenV-3 e DenV-4 na capital federal.

Atendimento

A rede de 176 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) é a porta de entrada para o atendimento a pacientes com sintomas de dengue, com assistência das 7h às 18h. Dez unidades estão abertas todos os dias, das 7h às 19h. Outras 49 acolhem também aos sábados, das 7h às 12h; e mais 11 funcionam de segunda a sexta-feira, até às 22h.

De 1º de janeiro a 16 de fevereiro, ocorreram mais de 124 mil atendimentos nas UBSs, representando quase 24% do total de acolhimentos realizados na Atenção Primária à Saúde. Além disso, de 20 de janeiro a 18 de fevereiro, foram 37.162 atendimentos em nove tendas montadas junto a administrações regionais, incluindo 9.930 procedimentos de hidratação venosa e 973 remoções para hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Vacinação

A SES-DF conta atualmente com 67 UBSs onde crianças de 10 e 11 anos de idade podem receber a vacina contra a dengue. Desde o dia 9 de fevereiro, já foram aplicadas 19.588 doses.

Atualizado em 20/02/2024 – 20:10.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana