Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Curta nossa página

Dias 19 e 20 de Julho

Entrada gratuita: Divas do Samba homenageia Dona Ivone Lara

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Dhi Ribeiro/Divulgação


O samba pede passagem na Capital Federal! A segunda edição do projeto Divas do Samba, um projeto da Beco da Coruja e Maria Maria Produções, chega rendendo tributo a uma de suas grandes damas. “Dona Ivone Lara, a Rainha do Samba” será interpretada por mulheres de diversas partes do país.

Na sexta (19), Anna Christina (DF), Juliana Ribeiro (BA) e Dhi Ribeiro (DF) revezam-se na área externa do Museu da República. No sábado (20), é a vez de Fabiana Cozza (SP), Karynna Spineli (PE) e Cris Pereira (DF). Em cada noite, as intérpretes serão acompanhadas por uma banda de Brasília.

Com músicas e histórias da vida de Dona Ivone, o projeto quer ressaltar a importância da sambista e compositora para a cultura brasileira. “Ela foi um ícone, numa época onde a mulher não tinha espaço e tão pouco ocupava as rodas de samba do país”, conta Ellen Oliveira, idealizadora do projeto. “Também cantar a força das mulheres, ocupar cada vez mais um espaço que é delas. Lugar de mulher é onde ela quiser, inclusive fazendo samba”, acrescenta.

Além dos shows, o festival investe em ações de acessibilidade. Para o público surdo, um palco com as caixas de sub-graves posicionadas na frente do palco para que possam sentir a vibração da música e uma área reservada com palco suspenso para as pessoas com deficiência visual, idosos e pessoas com mobilidade reduzida. Haverá ainda interpretação em libras e audiodescrição durante os shows.

Sexta-feira, 19 de julho

Anna Christina (DF)
Uma das maiores representantes do Samba brasiliense. A Anna tem uma versatilidade incrível, versa do axé ao pop rock, passa pela bossa-nova, mas tem um domínio incrível quando fala de samba. Com 26 de carreira, já rodou o Brasil e o mundo cantando samba. Em Salvador e no Rio de Janeiro, cantou nas principais casas de samba, sempre com casa cheia e aclamada pela crítica musical. Já dividiu o palco com grandes nomes como Jorge Aragão, Dona Ivone Lara, Monarco, Zé Luiz do Império, Toninho Geraes, Tia Surica e Zeca Pagodinho.

Juliana Ribeiro (BA)
Essa baiana arretada é um dos maiores nomes do samba em Salvador. Quem já ouviu a voz dessa mulher garante que ela é dona de uma dos timbres mais lindos que se tem notícia. Com forte influência dos ritmos africanos, o repertório da Juliana vem com muito Lundu, o Jongo, o Maxixe, os Sembas Angolanos, o Batuque e os Sambas-de-Roda. De quebra, ela ainda é historiadora e mestre em Cultura e Sociedade, com pesquisas que desnudam a história do samba. E claro, todo esse conhecimento ela traz para o palco, com um show que resgata as origens do samba!

Dhi Ribeiro (DF)
Quem já respirou em uma roda de samba em Brasília, conhece o trabalho dessa mulher! Uma das vozes mais marcantes do samba brasiliense não podia ficar de fora do Divas do Samba. Com 31 anos dedicados à música, Dhi Ribeiro é uma das maiores representantes do samba no DF. Com domínio de um repertório que passa por várias vertentes do samba, no seu último DVD focou no tema afro, com inspiração na diáspora negra. Dhi canta o sincretismo religioso, sambas de romance, sambas de roda, tudo tratado com as cores da mulher moderna e empoderada.

Sabádo, 20 de julho

Fabiana Cozza (SP)
Gente, vocês não tem noção do que é a VOZ dessa mulher. É de uma potência absurda. Não por acaso essa paulistana é apontada críticos e público como uma das importantes intérpretes da música brasileira contemporânea. Se você ainda não viu um show da Fabiana, eu garanto que está perdendo uma oportunidade única. Ela é MUITO incrível, só vendo pra crer. A Fabiana já venceu DUAS vezes o Prêmio da Música Brasileira, em 2012 e 2018, respectivamente “Melhor cantora de samba” e “Melhor CD de língua estrangeira”. Além do samba, manda super bem no jazz, e já foi convidada pelas maiores Big Bands europeiras para se apresentar em festivais do gênero na Europa e Ásia.

Karynna Spinelli (PE)
Uma das maiores vozes do samba pernambucano, Karina interpreta grandes mulheres negras do Samba e da Cultura Popular Brasileira. Ela canta a resistência da mulher na história do Samba relembrando as canções de Ivone Lara, Leci Brandão, Alcione, Lia de Itamaracá, Jovelina Pérola Negra, Clementina de Jesus e Tia Ciata. Além da forte percussão que marca o seu trabalho, Karynna traz nas canções a louvação a divindades femininas do candomblé. No repertório ela vai misturar samba, ciranda, batuque e macumba, para celebrar o empoderamento da mulher!

Cris Pereira (DF)
Mais uma das maiores representantes do samba brasiliense! Dona de uma voz suave, Cris Pereira está com as raízes fincadas no samba, mas passeia por outros estilos da Música Popular Brasileira. No repertório, não faltam canções que abordam a questão racial, tema que sempre chamou a atenção da artista. Finalista do Prêmio Sesc de Música Tom Jobim (2009) e do Prêmio da Música Popular Brasileira (2010) na categoria Ivone Lara, Cris também é idealizadora e integrante dos projetos “Nós Negras”.

Divas do Samba

  • Dias: 19 e 20 de Julho
  • Horário: a partir de 20h
  • Local: Museu Nacional da República
  • Livre para todas as idades
  • Entrada Gratuita

Entrada franca

CLDF recebe mostra de mulheres que venceram o câncer de mama

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Figueiredo/CLDF

Neves Pereira, Lourdes Capitulino, Joana D’Arc, Sheyla Machado, Val Costa e Joana Jeker. São mulheres que compartilham histórias de superação: diagnosticadas com câncer de mama, enfrentaram a doença, passaram por mastectomia (retirada da mama), fizeram reconstrução mamária e redescobriram seus corpos e suas vidas. Os retratos delas seis integram a exposição “A Força da Mulher”, inaugurada nesta quinta-feira (10), no hall de acesso ao plenário da Câmara Legislativa.

Atualmente, com 57 anos de idade, Neves Pereira soube que estava com câncer de mama há seis anos. Retratada por Luciana Ferry – fotógrafa que assina a mostra –, ela destaca a importância de se deixar fotografar : “É bonito e ajuda na autoestima de quem passa pelo tratamento”.

A deputada Arlete Sampaio (PT), que participou da abertura da exposição, fez questão de falar da importância do diagnóstico precoce do câncer de mama em seu pronunciamento na sessão ordinária. “Mais do que fazer novas leis, é nosso dever fiscalizar a oferta de serviços básicos para evitar que as mulheres sejam vitimadas pelo câncer”, defendeu. A distrital lamentou a situação dos mamógrafos na rede pública de saúde, bem como a dificuldade para se agendar uma consulta médica para solicitar o exame. De acordo com ela, 44% das mulheres com câncer são diagnosticadas já em estágio avançado, o que dificulta o tratamento.

Realizada pela ONG “Recomeçar – Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília”, a exposição “A Força da Mulher” pode ser visitada gratuitamente, de segunda a sexta-feira, até o dia 31 de outubro.

A Força da Mulher – Exposição Fotográfica

  • Local: Hall do Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal
  • Visitação: até 31 de outubro
  • Horários: de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h
  • Classificação indicativa: livre para todos os públicos
  • Entrada franca
Continuar lendo

Quinta, 10 de outubro

Orquestra Sinfônica faz concerto em tributo ao Dia das Crianças

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Gabriel Jabur/Agência Brasilia

Em comemoração ao mês das crianças a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro realizará uma apresentação extraordinária pelo projeto “Concertos Didáticos”. O espetáculo será realizado nesta quinta-feira (10) às 9h30, no Cine Brasília e é aberto ao público.

O concerto temático é de iniciativa do programa “Cultura Educa” da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), em parceria com a Secretaria de Educação. Dessa vez, a apresentação dedicada aos pequenos também contará com o apoio do Instituto Reciclando Sons (IRS), que promove inclusão socioeducativa para crianças, jovens e adultos dentro das comunidades da Região Administrativa da Estrutural.

Regido pelo maestro Cláudio Cohen, o repertório do concerto contará com clássicos das trilhas de cinema, percorrendo entre os memoráveis filmes infantis. Músicas do filme infantil “Frozen, Uma Aventura Congelante” serão tocadas, juntamente com a participação especial do coral misto, com os alunos de música do Instituto Reciclando Sons.

De acordo com o maestro Cohen, a parceria com o coral tornará a apresentação ainda mais especial. “Este concerto também tem um caráter social e o envolvimento do instituto Reciclando Sons, da Estrutural, veio atender essa demanda com a participação do seu coro infanto-juvenil, tornando o momento ainda mais especial”, explica.

Concertos Didáticos

Com o objetivo de gerar acessibilidade aos conteúdos artísticos para o público jovem, estudantes da rede pública de ensino, o projeto Concertos Didáticos aproxima os alunos do universo musical, com uma programação que trabalha a interação direta com as crianças. Uma breve aula sobre o som e função de cada instrumento que compõe a orquestra será ministrada antes do concerto, além de esclarecer dúvidas e curiosidades para o público infantil.

Continuar lendo

Entrada gratuita

Brasília sedia Mostra de Cinema Taiwanês a partir de quarta (9)

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Pedro Ventura/Agência Brasília

Começa nesta quarta-feira (9), no Cine Brasília, a Mostra de Cinema Taiwanês 2019. Serão exibidos dez filmes até o dia 13 de outubro.

Entre as obras escolhidas está o documentário A Foley Artist, que conta a história de Mr. Hu Ding-Yi, o especialista taiwanês mais experiente em arte de foley, técnica que consiste em adicionar efeitos sonoros aos filmes, como sons de passos e portas se abrindo e fechando. Apesar de sua expertise, Ding-Yi enfrentou uma crise profissional, já que seu trabalho começou a ser substituído por recursos de sonorização digitais e passou a ser considerado obsoleto. Ao todo, ele dedicou 40 anos ao exercício dessa função, participando de 70 produções cinematográficas.

Além do filme dirigido por Wan-Jo Wang, integra a programação o filme Dust in the Wind (Poeira no vento), de Hou Hsiao-Hsien. O filme compõe a trilogia do diretor e explora o processo de amadurecimento do garoto Ah-yuan, que se alista ao Exército e acaba perdendo seu amor de infância.

No dia 12 de outubro, o público poderá conferir uma exibição seguida de debate. Na data, haverá uma sessão de Crystal Boys (Rapazes Cristais), obra que denuncia a homofobia em Taiwan, na década de 1970. A dimensão da obra ganhou força este ano, quando Taiwan se tornou o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homoafetivo.

A mostra realizada na capital federal é organizada pelo Escritório Econômico e Cultural de Taipei no Brasil. A entrada para o evento é gratuita.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2019 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - SIG Quadra 01, Lote 385, Platinum Office, Sala 117 - Brasília-DF - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agência Estadão, Agência UnB, assessorias de imprensa e colaboradores.