Curta nossa página
Dutch   English   French   German   Italian   Portuguese   Russian   Spanish


Cetogênica, slow carb, paleolítica...

Dietas: você sabe diferenciá-las? Qual escolher?

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Pixabay


Segue a gente no
Google News

O brasileiro adora uma dieta, se for aquela que está na moda, então? Mas todo cuidado é pouco, na hora de embarcar nessa empreitada. Um bom programa alimentar pode ser a oportunidade ideal para dar início a uma mudança de hábitos e começar a fazer escolhas mais saudáveis. Porém, pode se tornar, também, uma grande armadilha e causar problemas à saúde. No Google dá para encontrar uma infinidade de receitas e planos alimentares.

Porém é muito importante lembrar que o correto é procurar um profissional para ajustar sua alimentação. De acordo o nutricionista Daniel Novais, começar uma dieta restritiva sem acompanhamento pode ser perigoso. “Cada organismo reage de um jeito. Uns se adaptam bem reduzindo carboidratos, mas outros podem vir a ficar fracos e sem energia”, explica.

Após a explosão da low carb, as mais conhecidas do momento são a cetogênica, a slow carb e a paleolítica. Mas mesmo se falando muito delas, pouca gente sabe do que cada uma se trata, as diferenças entre elas, que alimentos ingerir ou por quanto tempo elas podem ser seguidas. Que tal tirar estas dúvidas?

Cetogênica

Muita gente acredita que a dieta cetogênica é a low carb com outro nome, porém, não é bem assim. Na low carb, a proposta é apenas a diminuição de um macro nutriente, que é o carboidrato. Já na cetogênica é proposto que o paciente regule a ingestão dos três macro nutrientes – carboidratos, proteínas e gorduras. Ou seja, enquanto na low carb só se restringe os carboidratos, na cetogênica, além da disso, tem que haver um aumento no consumo de gorduras e moderação no de proteínas.

Porque emagrece: no momento em que você reduz a quantidade de carboidratos ingeridos, o organismo entra em estado de cetose. Isso ocorre quando os níveis de glicose no sangue diminuem e o corpo passa a produzir cetonas, que são moléculas derivadas da gordura. A partir daí, a gordura corporal passar a ser consumida como combustível quando o corpo precisa de energia, o que causa o emagrecimento.

Quais alimentos ingerir: o cardápio da cetogênica conta com, em sua maioria, alimentos ricos em gordura. Alguns exemplos muito utilizados são as oleaginosas, queijo amarelo, ovos, bacon, azeite, manteiga, abacate e coco.

Slow carb

A dieta slow carb vem do livro 4 Horas Para o Seu Corpo, escrito por Timothy Ferris, e é famosa por trazer resultados especialmente para aqueles que precisam perder acima de 10 kg. O método traz cinco regras que devem ser seguidas à risca:

1- Evite carboidratos brancos
Os praticantes da slow carb devem evitar alimentos como pães, massas, cereais, frituras, batatas e arroz, incluindo o integral.

2- Coma as mesmas refeições
As refeições do dia devem seguir o básico e variar pouco. Dentre os grupos alimentares das proteínas, leguminosas e vegetais, deve-se escolher um item de cada e comer sempre estas variações em todas as refeições.

3- Não beba calorias
Na slow carb, calorias vindas de bebidas são proibidas. As únicas exceções são para a água, que sempre deve ser consumida em boas quantidades, chás e café – sem açúcar.

4- Não coma frutas
Esta dieta segue a vertente que acredita que a frutose, tipo de açúcar natural encontrado nas frutas, seja grade responsável pelo acúmulo de gordura corporal quando consumido em excesso.

5- Tenha um dia do lixo por semana
Na contramão da ideia de que ter um dia do lixo pode vir a não ser saudável e atrapalhar no emagrecimento, a regra da slow carb é ter um dia da semana em que você possa consumir tudo o que quiser, nas quantidades que quiser. Porém, não se pode deixar de consumir água neste dia.

Paleolítica

A proposta da dieta paleolítica é simples: volta à alimentação que o homem mantinha há 10 mil anos. Ou seja, só se come o que o homem era capaz de conseguir por meio da caça e da plantação. Muitos consideram a paleolítica um estilo de vida e argumentam que o ser humano viveu muito mais tempo se alimentando desta forma, já que a agricultura é um advento mais recente na humanidade. Isto quer dizer que nossa genética já estaria acostumada com essa dieta.

Porque emagrece?
Como a proposta é uma alimentação 100% natural, o emagrecimento se dá por conta da eliminação de fontes de alergia e inflamação, da melhoria da absorção de alimentos e do sistema digestivo, pelo controle de glicose e insulina no corpo e pelo alto valor nutricional dos alimentos.

Quais alimentos ingerir
Na paleolítica, não são permitidos grãos, cereais, leguminosas, açúcar refinado, leite ou laticínios, óleos vegetais refinados, frituras ou qualquer tipo de alimento industrializado. Quem adotar este estilo de alimentação pode ingerir todo tipo de tubérculo (batata, mandioca, batata-doce, inhame), frutas e vegetais frescos, carnes, peixes, frutos do mar, ovos, castanhas, sementes e óleos saudáveis (óleo de coco, azeite).

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços de notícias de agências nacionais e internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #GenuinamenteBrasiliense