Curta nossa página

Garrafas pet, pneus, manequins etc

Caesb alerta para descarte de materiais inadequados no esgoto

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Dênio Simões/Agência Brasília


A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) é responsável pela coleta e tratamento da maioria do esgoto produzido no DF. A Companhia tem um índice de coleta de 89%, e trata 100% do esgoto coletado. Ao longo do transporte do material, mais do que esgoto, no entanto, é encontrado nas redes da Companhia. Até setembro deste ano, a Caesb realizou 36.310 desobstruções na rede de esgoto em toda a capital federal. Os técnicos encontraram pneus, lençóis, gordura, garrafas pet, brita e até manequins.

Sólidos, como sacos plásticos, fibras de tecido, madeira, são considerados estranhos aos esgotos. São eles os maiores responsáveis pelos problemas de obstrução das redes coletoras. O esgoto é formado por 99,9% de água proveniente dos diversos usos domésticos, tais como da descarga do vaso sanitário, lavagem de roupas, banho. A fração sólida representa apenas 0,1%, mas é nessa parcela ínfima que se concentram os maiores desafios do tratamento dos esgotos.

A superintendente de Operação e Tratamento de Esgotos, Ana Maria Mota, explica que o lançamento de material indevido tem um grande impacto para o sistema de coleta e tratamento de esgotos, à medida que pode provocar obstrução das redes coletoras, com consequente extravasamento e impacto para a comunidade, além de afetar os processos e equipamentos das unidades de tratamento de esgotos. “Muitas pessoas desconhecem o funcionamento do sistema coletor e acabam lançando materiais que deveriam ser descartados no lixo, o que prejudica o processo de transporte e tratamento dos esgotos”, lamenta Ana Maria.

O superintendente de Operação e Manutenção de Redes Oeste-sul da Caesb, Paulo Roberto Caldeira, chama a atenção para a importância da caixa de gordura nas residências. Ele explica que esse dispositivo retém a gordura e impede que ela chegue às redes coletoras, onde pode provocar obstruções. Nas estações de tratamento de esgotos essa gordura pode afetar diretamente os processos biológicos. “É importante realizar rotineiramente a limpeza da caixa de gordura, descartando o material retido no lixo, de maneira que não cause impacto para as redes coletoras”, esclarece.

Estação de tratamento

Depois de utilizada, a água que vai para o ralo percorre um longo caminho até chegar na estação de tratamento de esgoto (ETE). Da casa do usuário, o esgoto vai para a rede coletora da Caesb. Diferentes redes coletoras deságuam num interceptor, que tem diâmetro maior do que as redes. Por sua vez, o material de vários interceptores é lançado em emissários que transportam os esgotos para a estação de tratamento.

Ao longo do caminho das redes coletoras e dos interceptores, há diversos poços de visitas (PVs), que são usados pela Companhia para facilitar o trabalho de desobstrução e manutenção das redes. No percurso entre a casa do usuário e a ETE, é comum serem encontrados resíduos lançados indevidamente no sistema, que podem provocar prejuízos tanto na rede coletora, quanto nas ETEs.

Ao chegar na estação de tratamento de esgoto, os resíduos sólidos grosseiros (material lançado de forma irregular) são retidos por um sistema de gradeamento, que separa esse resíduo para posterior disposição no aterro sanitário. O gradeamento é uma etapa que revela a desinformação da população sobre o que deve ou não ser jogado ralo abaixo. Cabelo, estopa, bolas de tênis, cotonetes, fraldas, embalagens, preservativos e absorventes são alguns dos materiais frequentemente encontrados.

Processo biológico

Nas ETEs, o esgoto é tratado por um processo biológico, onde microrganismos realizam os processos responsáveis por remover os contaminantes dos esgotos. Ana Maria Mota explica que o lançamento na rede de esgotos de materiais como tinta, óleos, solventes, gorduras é tóxico para os microrganismos, que muitas vezes morrem em função dos efeitos provocados por esses produtos, o que causa prejuízos e onera o tratamento dos esgotos.

Outro problema relevante que afeta o sistema de coleta e tratamento dos esgotos é o lançamento de águas de chuva na rede da Caesb, pois a concepção do sistema prevê apenas o transporte e tratamento dos esgotos. No período chuvoso é possível identificar um aumento significativo do volume que chega às estação de tratamento de esgoto e no número de extravasamentos nas redes coletoras, provocados principalmente por ligações irregulares de águas pluviais no sistema coletor da Caesb. Dessa forma, é importante lembrar que a água da chuva deve ser ligada às galerias de águas pluviais.

Câmara Legislativa do DF

Deputados Distritais fecham o cerco contra rinhas de animais

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Reprodução

Em sessão remota da Câmara Legislativa realizada nesta terça-feira (2), os deputados distritais aprovaram projeto de lei que proíbe as rinhas de animais no Distrito Federal. Proposto por Daniel Donizet (PSDB), o PL nº 837/19 teve a tramitação concluída na Casa e agora vai à sanção do governador Ibaneis Rocha.

“Os mais recentes estudos sobre o meio ambiente destacam a importância da valorização do bem-estar animal, devendo os mesmos serem livres de fome, sede, estresse, entre outras limitações”, afirmou o autor da matéria, que protestou contra as práticas cruéis envolvidas nas rinhas.

Emenda de plenário apresentada pela deputada Júlia Lucy (Novo) estabeleceu que a penalidade a quem infringir a norma não poderá ser, “em hipótese alguma”, inferior a dez salários mínimos.

Continuar lendo

Conta de luz

CEB Distribuição lança sistema de autoleitura de medidores

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Arquivo/AVB

A CEB Distribuição lançou, na última semana de maio, o sistema de autoleitura de medidores de energia para os consumidores do Distrito Federal. Isso significa que, caso queira, o cliente poderá fazer a leitura do próprio medidor de energia e informar, por meio da agência virtual da CEB, o seu consumo, para que a companhia faça o cálculo da conta.

“Durante essa pandemia que estamos enfrentando, é importante a redução do contato entre os leituristas e os moradores, mas outros segmentos também são beneficiados com a autoleitura”, explica o diretor de Atendimento ao Cliente e Tecnologia da Informação da CEB, Gustavo Alvares. “Comércios que só funcionam à noite e residências em que o relógio não fica exposto e estão vazias durante o horário comercial são exemplos.”

A companhia calcula que, em média, 15 mil unidades consumidoras têm algum tipo de impedimento para a realização da leitura todos os meses. Com a situação do coronavírus, em que os serviços não essenciais estão fechados, esse número dobrou.

Novas funções

O bancário Julio Cesar dos Santos, 50 anos, foi o primeiro cliente da CEB a realizar o procedimento de autoleitura. “Com o isolamento social, houve redução de pessoal no meu prédio e eventualmente o porteiro não estava disponível para abrir o acesso ao medidor”, conta. “Procurei uma solução no site da CEB e encontrei a autoleitura. Vou continuar fazendo sempre que lembrar, foi muito tranquilo e indico a todos”.

Para facilitar o atendimento ao cliente e o acesso aos serviços, a CEB tem investido na digitalização dos procedimentos. “Novas funções foram adicionadas à agência virtual, como solicitação de ligação nova e de alteração de titularidade de conta”, informa o presidente da companhia, Edison Garcia. “A autoleitura é mais uma ferramenta que possibilita aos consumidores resolverem demandas de forma digital, com conforto e proteção”.

Como funciona?

O procedimento é simples. Primeiramente, deve-se consultar, na conta de luz, a data prevista de leitura do mês seguinte. Entre dois e três dias antes desse período, o cliente deverá fotografar os números que aparecem no medidor e enviar a imagem, por meio da opção Serviços Expressos, na agência Virtual da CEB. O canal digital pode ser acessado por computador ou por smartphones.

Em caso de dúvidas, os consumidores podem entrar em contato com a CEB pela central de atendimento 116.

Continuar lendo

Chopp solidário

Ação social arrecada alimentos em troca de chopp Colombina

Redação

Publicado

Por

Redação
Foto/Imagem: Shutterstock

A Confraria Panelas da Casa em parceria com a Cervejaria Colombina e a Pulso Distribuidora, representante da marca goiana em Brasília, se uniram para realizar uma ação beneficente e promover a solidariedade com parte dos trabalhadores do Distrito Federal.

No próximo sábado, dia 6 de junho de 2020, das 10h às 16h, alguns restaurantes do DF (veja lista no final da matéria) serão pontos de troca para arrecadar alimentos que serão doados para os funcionários das unidades fechadas devido à pandemia causada pelo novo coronavírus. A ação terá o apoio do Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro, Restaurantes, Bares e Lanchonetes (SECHOSC), responsável por organizar a logística e fazer a entrega aos funcionários mais carentes do setor.

A iniciativa do grupo é voltada para as famílias que ficaram sem emprego ou sem salário desde o início das medidas de contenção da Covid-19 adotadas pelo governo do DF e seguidas com bastante responsabilidade pelo segmento.

“São pais, mães e responsáveis que perderam não só o alimento de cada dia, mas também se veem sem perspectivas ou esperança diante do cenário em que estamos vivenciando. Dessa vez quem precisa de ajuda está ao nosso lado e é um dos nossos”, explica o empresário Andrei Prates.

Arrecadação de alimentos

A arrecadação ocorrerá da seguinte forma: a cada 2kg de alimentos não perecíveis (exceto sal) doados, o participante receberá 1 litro de chopp Colombina. A troca será limitada a 2 (duas) unidades por número de CPF e enquanto durar o estoque. Ao todo, a Cervejaria Colombina irá doar 500 litros de chopp – nos sabores Ipa, Pilsen e Weiss – que serão entregues em growlers no modelo disponível. A troca será realizada em 12 (doze) pontos do Plano Piloto, apenas no dia e horário marcado, não sendo possível efetuar a retirada antes ou depois da data.

Com a ação os empresários pretendem retribuir, de alguma forma, o cuidado com àqueles que sempre se dedicaram a oferecer o melhor em seus trabalhos e também dentro de suas casas, além de levar esperança para que todos continuem a acreditar em dias melhores.

Responsabilidade social

A responsabilidade social é uma prioridade do Festival Panelas da Casa. Na 10ª edição, realizada entre os dias 6 de fevereiro e 1º de março de 2020, a organização se comprometeu em, tão logo finalizasse o evento, elaborar um menu completo (entrada + prato principal + sobremesa) para oferecer à duas Instituições que assistem pessoas em situação de vulnerabilidade social. Na época, o compromisso da organização foi de doar a mesma quantidade de menus vendidos para esse locais que seriam definidos pela Instituição Atados.

Aos clientes, amigos e imprensa, a organização informa que a iniciativa estava em processo de elaboração e organização para ser executada. Contudo, a pandemia causada pelo novo coronavírus impediu a realização da atividade dentro do planejamento inicial e, pelo mesmo motivo, encontra-se suspensa até que a situação esteja controlada e as atividades possam ser reestabelecidas.

O grupo reafirma seu compromisso com a ação e espera que tudo seja resolvido no menor tempo possível para que consigam levar essa saborosa refeição às famílias que precisam.

Sobre a Confraria

A confraria de amigos teve início no ano de 2015. Criada pelo empresário Andrei Prates e pelos chefs Mateus Takano e Alexandre Albanese, o grupo se reunia todos os meses para trocar ideias, experiências e, é claro, um bom bate-papo. Dos encontros surgiu uma vontade comum que foi movimentar a gastronomia de Brasília e levar ao público da cidade algo diferente, e assim mostrar que a capital federal é um grande polo de comida deliciosa de alta qualidade e feita por pessoas que são movidas pela paixão. Assim nasceu o Festival Panelas da Casa. Ano a ano, novos restaurantes são convidados a participar e também mostrar um pouco da gastronomia oferecida dentro de uma faixa de preço acessível.

Sobre a Colombina

A Colombina existe há 14 anos e é a primeira marca de cerveja artesanal do Centro-Oeste. As cervejas são elaboradas com insumos de alta qualidade e processos modernos que misturam sabores do cerrado em cada etapa da produção das bebidas.

Sobre a Pulso

A Pulso nasceu, inicialmente, com propósito de distribuir os maravilhosos bolinhos de chocolates chamados de brownie. Em 2013 o leque de ofertas foi ampliado para as cervejas artesanais.

Pontos de troca

  • El Paso – CLS 404, Bloco C – Asa Sul
  • Cantucci – CLN 403, Bloco E – Asa Norte
  • Carpe Diem – CLS 104, Bloco D – Asa Sul
  • Santé 13 – CLN 413, Bloco A – Asa Norte
  • Bem Te Vi – CLS 408, Bloco A – Asa Sul
  • Marvin – CLN 110, Bloco A – Asa Norte
  • Dona Lenha – CLS 202, Bloco C – Asa Sul
  • Nossa Cozinha Bistrô – CLN 402, Bloco C – Asa Norte
  • Grano & Oliva – CLN 403, Bloco E – Asa Norte
  • Dom Francisco – CLS 402, Bloco B – Asa Sul
  • Belini Pães e Gastronomia – CLS 113, Bloco D – Asa Sul
  • The Plant – CLS 103, Bloco C – Asa Sul
Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão