Curta nossa página

Rede pública de ensino

Ano letivo: Escola em Casa DF já registrou mais de 500 mil contas

Redação

Publicado

Foto/Imagem: Divulgação


Segue a gente no
Google News

As 683 escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal deram início a um dos maiores desafios que já tiveram: realizar a enturmação virtual dos seus 456.109 estudantes, para que possam retomar o ano letivo, no dia 29 de junho, com validação de frequência em três opções ofertadas pela Secretaria de Educação:

  • Internet – plataforma Google Sala de Aula
  • Teleaulas
  • Atividades impressas entregues pelas unidades escolares

Números

Até o fim desta segunda-feira (22), foram registradas 525.766 contas ativas entre professores efetivos, substitutos, gestores e estudantes, sem contar com a educação infantil, que será enturmada até esta quinta-feira (25). Número próximo do limite de 630 mil contas possíveis.

“Considerando que temos esta semana para trabalhar, com certeza vamos iniciar o ano letivo, na semana que vem, com todos a bordo”, afirma David Nogueira, coordenador do Escola em Casa DF, esclarecendo que as contas ativas ainda não indicam uma preferência dos estudantes entre a Internet, TV ou impressos, porque todos devem abrir uma conta de e-mail para participar do programa. A conta dos estudantes é terminada em @estudante.se.df.gov.br.

Só será possível indicar a preferência dos estudantes até o final desta semana, embora o número de acessos à plataforma nos últimos 60 dias, entre 22 de abril e 22 de junho, tenha sido de 800 mil acessos de 156 mil usuários diferentes. David acredita que os acessos devem apresentar uma curva de crescimento expressiva durante esta semana e, especialmente, na próxima, início do ano letivo com registro de presença.

Todos os participantes do programa devem ter contas ativas, por isso o número ultrapassa muito a soma simples de professores e estudantes. Inclui ainda todo o pessoal da carreira de assistência à educação e das instituições parceiras da Secretaria de Educação, que atendem à educação infantil.

Plataforma

“Os pais e estudantes que conseguiram acessar a plataforma nos deram retornos positivos. Estamos orientando aqueles com alguma dificuldade, principalmente por não estarem habituados ao e-mail @estudante. Até o final desta semana será possível saber quantos vão participar pela plataforma e quantos precisarão de material impresso”, diz a orientadora educacional da unidade Danielle Aptta do CEF 3 de Sobradinho, com 1.140 alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental em 36 turmas.

A direção do CEF 3 fez um vídeo para os estudantes e suas famílias apresentando o novo jeito de estudar. A ideia foi tranquilizá-los. Também foram enviadas dicas de estudo para que eles saibam manter a calma na hora de ter contato com o conteúdo e reservem tempo para o estudo. A escola está apurando a necessidade que terá de material impresso por meio dos grupos de mensagens organizados por turmas, muito embora esteja incentivando preferencialmente o uso da plataforma. “Alguns pais ainda estão receosos, mas estamos mostrando a eles que a plataforma pode ser mais útil nesse momento”, conta Danielle.

Doações e criatividade

Esta segunda-feira (22) foi um dia de ajuda mútua e esclarecimentos a professores, estudantes e seus familiares. A vice-diretora Juliana Cândida Pereira, Escola Classe Aspalha, reuniu a equipe gestora da unidade e bateu na tecla que vem batendo seguidamente: “Estamos realizando reuniões virtuais com as famílias por meio de aplicativos de vídeo e passando todas as instruções sobre o uso da plataforma, a necessidade da autorização para uso das ferramentas Google, a disponibilidade das atividades impressas e demais assuntos e dúvidas relacionadas”. A escola, que atende 221 estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental, faz parte de uma rede integradora de crianças em situação de vulnerabilidade social residentes no Varjão, núcleos rurais do Lago Norte, Paranoá Park, Paranoá e Itapoã.

Juliana conta que a unidade tem feito campanha junto à comunidade para doação de computadores, tablets e notebooks que serão disponibilizados para os alunos que não possuem esses meios. Para doar, basta entrar em contato com a Escola Classe Aspalha pelos telefones (61) 98206-3690 ou 3901-7537.

Por conta da pandemia e da distância entre a escola e as localidades onde moram os estudantes, a Escola Classe Aspalha montou um sistema de delivery semanal dos materiais impressos. Foram criados pontos de coleta em cada uma das regiões administrativas atendidas em que pais, mães ou responsáveis podem buscar os materiais.

“Para minimizar os transtornos, também tomamos a iniciativa de cadastrar os estudantes, gerar suas senhas e incluí-los nas turmas. Na próxima semana entregaremos os kits com os materiais que estão na escola, como cadernos, livros, lápis e borracha, para que eles realizem as atividades.

Bota casaco, tira casaco

GDF consegue na Justiça, de novo, reabrir o comércio em Brasília

Redação

Publicado

Por

Redação
ibaneis rocha gdf
Foto/Imagem: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Mais um capítulo foi escrito na novela de reabertura do comércio no Distrito Federal. Dessa vez, a vitória foi do GDF. Na queda-de-braço entre o Palácio do Buriti e o Ministério Público, o vitorioso foi o governador Ibaneis Rocha, que viu derrubada, na noite desta quinta-feira, 9, decisão provisória da Vara da Fazenda que suspendia a volta de salões de beleza, academias, bares, restaurantes e escolas públicas e privadas, dentro de um, cronograma previamente estabelecido.

A decisão favorável ao governo partiu do desembargador Eustáquio de Castro. O magistrado tornou sem efeito a liminar da Justiça do Distrito Federal que proibia o governo de reabrir novas atividades de comércio e serviços durante a pandemia da Covid-19. Mas, por iniciativa do próprio Ibaneis, será mantido o isolamento total em Ceilândia, Sol Nascente e Pôr do Sol, onde a doença tem dado demonstração de força.

A confusão começou na quarta-feira, 8, quando o juiz Daniel Carnachioni concedeu uma liminar determinando ao Governo do Distrito Federal a suspensão do decreto que permitia a reabertura de academias e salões de beleza. O ato do governador também estipulava datas para a retomada de bares, restaurantes e escolas. Com a decisão do desembargador, Ibaneis fica liberado para retomar a flexibilização do isolamento de acordo com o cronograma inicial.

Isso será feito por meio de um novo decreto, uma vez que o anterior foi anulado pelo próprio governador. A expectativa é de que o texto seja publicado em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal. A decisão do desembargador atendeu a um recurso do próprio GDF, além de ação impetrada pela Câmara Legislativa, no meio da tarde, em que os deputados distritais depositaram solidariedade e confiança nos atos de Ibaneis.

Continuar lendo

Batalha jurídica

Justiça força GDF a rever ações de combate ao novo coronavírus

Redação

Publicado

Por

Redação
comércio fechado
Foto/Imagem: Reprodução

O Governo do Distrito Federal (GDF), em função da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), voltou atrás na decisão de permitir a realização de eventos de qualquer natureza que exijam licença do poder público, conforme estava previsto no Decreto 40.939, publicado em 2 de julho. O documento liberava o retorno gradual de academias, bares, restaurantes, salões de beleza e escolas em todo o DF.

Com a revogação, após determinação feita por liminar do Tribunal de Justiça do DF, volta a vigorar o Decreto 40.817, publicado em 22 de maio, proibindo o funcionamento de academias, bares, restaurantes, salões de beleza e escolas. Também estão proibidas visitas a museus e eventos culturais.

Estão autorizados eventos nos quais as pessoas permaneçam dentro do carro, como drive-ins, sob a condição de que os veículos estejam a uma distância mínima de dois metros.

O GDF determinou também a suspensão das atividades econômicas e comerciais nas regiões administrativas de Ceilândia, Sol Nascente e Pôr do Sol, cidades onde os índices de contaminação pela Covid-19 têm aumentado. As medidas foram publicadas na noite desta quarta-feira (8) em edição extra do Diário Oficial do DF, e já valem a partir desta quinta (9).

“Supermercados, padarias, hortifrutigranjeiros, mercearias, açougues, lojas de materiais de construção, postos de combustíveis, petshops, clínicas e consultórios médicos estão entre os estabelecimentos que não se incluem no fechamento determinado pelo novo decreto”, informou o GDF.

Serviços de entrega em domicílio, pronta entrega em veículos e retirada de produtos no local, desde que sem a abertura do estabelecimento para atendimento ao público em suas dependências estão liberados.

“Em todos os estabelecimentos que se mantiverem abertos, impõe-se a observância de todos os protocolos e medidas de segurança já recomendados pelas autoridades sanitárias, como garantia de distância mínima de dois metros entre as pessoas, utilização de equipamentos de proteção individual e disponibilização de álcool 70%”, explicou o Governo do Distrito Federal.

Continuar lendo

Até 7 de agosto

Novacap lança Programa de Desligamento Voluntário (PDV)

Redação

Publicado

Por

Redação
novacap
Foto/Imagem: Reprodução

A diretoria da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) lançou nesta quarta-feira (8), o Programa de Desligamento Voluntário (PDV), muito aguardado por diversos servidores da empresa. Funcionários interessados em participar têm até o dia 7 de agosto para manifestar interesse.

O PDV, em linhas gerais, é um programa em que o empregado tem a oportunidade de se desligar da empresa com condições diferenciadas, entre elas:

– o recebimento de uma porcentagem da Remuneração Mensal Base (RMB) por 60 (sessenta) meses, valor variável de 50% a 60% da RMB;

– a manutenção do ressarcimento do auxílio-saúde até dezembro de 2012 e;

– pagamento da cesta-alimentação de R$ 600 pelo mesmo período e;

– valor equivalente à multa contratual de 20% calculada sobre os depósitos realizados pela Novacap;

“O programa não é obrigatório. Os servidores que se enquadrarem nos critérios e quiserem participar podem aderir, mas não é uma imposição”, explicou o diretor-presidente da Novacap, Fernando Leite.

São exigências para a adesão ao PDV:

– tempo de serviço de, no mínimo, 18 anos de exercício efetivo na empresa;

– idade superior a 49 anos e;

– fazer parte do Quadro de Empregos Permanente (QEP) da empresa, sem estar com contrato suspenso ou interrompido.

O presidente do sindicato que representa os servidores da empresa, Sindser-DF, André Luiz da Conceição, orienta os servidores interessados que fiquem atentos ao prazo e já realizem a adesão. “Caso o servidor inicie o processo e, depois de analisar todos os pontos, decida não participar, é possível voltar atrás. Porém, se ele decidir participar depois do fim do prazo (dia 7 de agosto), não tem como. Então, a nossa orientação é que façam a adesão o quanto antes e, depois, decidam se vão ou não se desligar da empresa”, afirmou, André Luiz.

A direção da Novacap desenvolveu uma cartilha e irá oferecer palestras a todos os servidores para que não haja dúvidas em relação ao programa e suas cláusulas. Além disso, o texto completo estará disponível na intranet para os interessados. Todas as dúvidas podem ser esclarecidas na DEGEP, por meio dos ramais 7421 ou 2704, ou encaminhadas para o email: pdv2020@novacap.df.gov.br. Atendimentos presenciais serão evitados, em razão da pandemia do novo coronavírus.

Continuar lendo
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas da Semana

Copyright © 2015-2020 AVB - AO VIVO DE BRASÍLIA - Todos os Direitos Reservados. CNPJ 28.568.221/0001-80 - Nosso conteúdo jornalístico é complementado pelos serviços da Agência Brasil, Agência Brasília, Agência Distrital, Agências Internacionais, assessorias de imprensa e colaboradores independentes. #FakeNewsNão